Ozzy Osbourne: dando uma ajuda para Slash detonar Axl Rose

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marcelo Araújo, Fonte: Ogro do Metal
Enviar Correções  

Em 2010, exatamente 14 anos após deixar o Guns N' Roses, o guitarrista Slash lançou um álbum solo que contava com as participações de quatro ex-membros da poderosa fase de "Appetite for Destruction": ele próprio, Izzy Stradlin, Duff McKagan e Steven Adler.

"Cê tá de brincadeira, né?": quando grandes nomes vacilam

Cenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e Metal

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum vendeu 61 mil cópias na primeira semana de lançamento nos EUA, atingindo a posição de Nº 3 na Billboard 200 Chart. O vocalista Myles Kennedy apareceu pela primeira vez fazendo a tão competente e profissional dobradinha dos dias de hoje com o "senhor dos riffs", interpretando as faixas "Back from Cali" e "Starlight".

Outra dobradinha que mostrou muito entrosamento, foi com a sensual Fergie (ex-Black Eyed Peas), que interpretou a faixa "Beautiful Dangerous", e até hoje é escalada por muitos fãs para ser a voz do projeto Velvet Revolver. Pena que Slash já declarou que não existe a mínima possibilidade de colocar uma mulher na banda. Os motivos você pode conferir no link abaixo.

Slash: saiba o motivo de ele não querer mulher no Velvet RevolverSlash
Saiba o motivo de ele não querer mulher no Velvet Revolver

Mas o que chamou mesmo a atenção nesse álbum, foi a faixa "Crucify the Dead", feita em parceria com Ozzy Osbourne. Apesar do guitarrista desmentir, dizendo que a letra simplesmente fala de músicos que não se dão bem entre si, o madman diz que essa música traduz o que Slash gostaria de dizer para Axl Rose com o fim da união. Confira a letra e tire as suas próprias conclusões.

O fogo começou há muito tempo
As chamas queimam, as brasas ainda brilham
Assim carbonizados e pretos, não há nada para queimar
Para queimar

Tínhamos o mesmo sonho
Viva a vida ao extremo
Uma arma carregada emperrada por uma rosa

Os espinhos não estão amarrados em torno de sua cabeça
Seu ego amaldiçoou você até sangrar
Você não pode crucificar os mortos
Para mim, você está morto, yeah

O futuro estava posto em pedra
Decisões passadas te deixaram sozinho
Traído a todos nós com sua ganância egoísta
Sua ganância, yeah

Seus soldados agora dizem que seus mendigos recolhem
Recrutas que são comprados e pagos por você

Os espinhos não estão amarrados em torno de sua cabeça
Seu ego amaldiçoou você até sangrar
Você não pode crucificar os mortos
Para mim, você está morto, yeah

Éramos como irmãos, com o mundo em nossas mãos
Você sempre teve muito para dizer
Algum dia você vai olhar para trás e vai perguntar porquê
Você deixou tudo isso escapar, yeah

Crucificar os mortos
Crucificar os mortos

Os espinhos não estão amarrados em torno de sua cabeça
Seu ego amaldiçoou você até sangrar
Você não pode crucificar os mortos
Para mim, você está morto, yeah




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Cê tá de brincadeira, né?: quando grandes nomes vacilam"Cê tá de brincadeira, né?"
Quando grandes nomes vacilam

Cenografia: os pedestais mais bizarros do Rock e MetalCenografia
Os pedestais mais bizarros do Rock e Metal


Sobre Marcelo Araújo

Carioca da gema e fanático por música de qualidade, aprendeu a gostar de Rock aos 10 anos de idade por causa de bandas como Scorpions, Led Zeppelin e Guns N' Roses. A maior decepção foi ver uma de suas bandas preferidas, o Bon Jovi, mudar completamente de estilo e se tornar uma coisa bem chatinha de uns tempos pra cá, algo classificado como uma mistura de Sertanejo Universitário com Pop. Das bandas mais recentes, curte bastante Alter Bridge e Unisonic. Adora tudo relacionado com as curiosidades por trás das canções, álbuns e bandas, sempre escrevendo matérias a respeito desses fatos no blog Ogro do Metal.

Mais matérias de Marcelo Araújo no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor