Marilyn Manson: a polêmica versão sem censura de "(S)aint"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Narcissus Narcosis, Fonte: Mansonwiki, Tradução
Enviar Correções  

No dia 28/09/2004, MARILYN MANSON lançou uma coletânea - "Lest We Forget" - para comemorar os 10 anos do lançamento do primeiro álbum, "Portrait of an American Family". Com ela, veio também um DVD contendo os vídeos dos seus maiores hits e uma versão sem censura do clipe para a música "(S)aint", do álbum "The Golden Age of Grotesque" (2003).

Marilyn Manson: música nova é lançada e detalhes do próximo álbum são revelados

Sexo Anal: saiba onde encontrar esse prazer no cenário Rock

"(S)aint" é a sétima música do quinto álbum de MARILYN MANSON. Ela foi gravada em dois lugares na Califórnia entre 2002 e 2003: no estúdio do MANSON, o Doppelherz (Hollywood) e no The Mix Room (Burbank), e lançada em 5 de maio de 2003. Foi produzido um vídeo para "(S)aint", que causou controvérsia em inúmeros países, fazendo com que ele fosse banido pelo seu conteúdo altamente explícito.

O vídeo de "(S)aint" é notório pela sua natureza extremamente gráfica. Dirigido por Asia Argento, o clipe retrata MANSON como um visitante depravado de um hotel, aspirando linhas de cocaína na capa da bíblia, cortando o peito 5 vezes com uma lâmina de dois gumes, recebendo narcóticos intravenosos enquanto um rosário é usado como torniquete, participando de uma série de atividades bondage (submissão sexual) e se masturbando na frente de uma mulher, que depois descobrimos ser um homem (TIM SKOLD, o baixista da época).

O vídeo foi banido pela própria gravadora (Interscope Records) nos Estados Unidos. No Japão e na Alemanha, técnicas de indefinição foram usadas nas cenas em que o MANSON aparece executando cunilíngua em uma mulher.

Quando foi feito o upload do vídeo da música no site do MANSON, em novembro de 2005, mais 75 discos do "Lest We Forget" foram vendidos sob encomenda, muitos deles vinham com uma página da bíblia autografada pelo cantor.

Eric Szmanda (o Greg Sanders, de CSI) faz uma aparição no vídeo, onde pode ser visto lambendo o pescoço de MANSON. Szmanda é acompanhado do ex-baixista GIDGET GEIN, marcando a primeira colaboração entre este e MANSON em 11 anos. Outros participantes incluem Dita Von Teese, Asia Argento e Vanessa Hutton. O vídeo foi filmado no Argyle Hotel (agora conhecido como The Sunset Tower), que possui 2000 metros quadrados e suites de dois andares.

O próprio MANSON financiou a produção do vídeo, que ele descreve como "um olhar descomprometido para mim mesmo na minha mais absoluta decadência. Um ponto tão baixo que eu tenho que olhar para cima para enxergar a merda", e comparou a situação ao filme "Despedida em Las Vegas".

Curiosidades:

1. De acordo com o site da banda, as cenas em que o MANSON aparece fitando o espelho quebrado têm a intenção de evocar a fotografia da "personalidade fraturada", usada na capa de "The Long Hard Road Out of Hell".

2.Um shot da escultura "Incase of Emergency Break Heart", do ex-baixista GIDGET GEIN, pode ser visto enquanto a letra "You said I tasted famous, so I drew you a heart" é cantada. A escultura é uma edição de três. A usada no vídeo pertence à Asia Argento. As outras duas são de posse de Damian Crowley e Aron Partridge.

3. O vídeo da música contém referências à República de Weimar, nome dado pelos historiadores ao estado Alemão que existiu de 1919 a 1933 entre a Alemanhã Imperial e o Terceiro Reich. A máscara que o MANSON usa era popular na República de Weimar. Além disso, a cena em que a Dita Von Teese aparece sobre outra mulher em uma cama é quase idêntica a uma foto do livro "The Hot Girls of Weimar Berlin", um livro que o MANSON disse possuir em uma entrevista para o Howard Stern em 2004.


adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin