Matérias Mais Lidas

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemIggor Cavalera diz que reunião da formação clássica do Sepultura seria incrível, mas...

imagemNovo clipe do Megadeth foi filmado no litoral de São Paulo, veja fotos

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"

imagemTravis Barker, do Blink-182, é hospitalizado às pressas e filha pede orações

imagemJoão Gordo diz que não torce pela seleção brasileira de futebol

imagemQuando Jimi Hendrix chamou Eric Clapton para subir no palco e afinar sua guitarra

imagemCinco nomes do heavy metal que já gravaram músicas do ABBA

imagemAvenged Sevenfold e o álbum do Guns N' Roses que deveria ser mais valorizado

imagemKerry King explica por que não assumiu o posto de guitarrista do Megadeth

imagemVeja diz que David Coverdale só passa vergonha nas redes sociais

imagemCuecão de couro: Rob Halford posa com suas "great balls of fire" em camarim

imagemMustaine diz que novo álbum tem uma das músicas mais rápidas que o Megadeth escreveu

imagemDead Fish diz que "tem fã que é melhor perder" e explica posicionamento político


Stamp

Poison: o chifre que Bret Michaels levou e transformou em canção

Por Marcelo Araújo
Fonte: Ogro do Metal
Em 20/06/14

Em 1988, a banda de Glam Metal, Poison, lançou a música "Every Rose Has It's Thorn", e a inspiração para escrever essa "power ballad" veio através do término do relacionamento entre Bret Michaels e sua namorada, Tracy Lewis, de acordo com o que o próprio vocalista relatou em uma entrevista para o "VH1 Behind the Music". Depois de tocar em um bar localizado em Dallas, Texas, Michaels fez uma chamada de um telefone público para o apartamento de Lewis, em Los Angeles, e ouviu uma voz masculina em segundo plano. No dia seguinte, devastado com a situação, Michaels levou seu violão para uma lavanderia e escreveu a canção em um bloquinho amarelo enquanto esperava as suas roupas ficarem secas. Quanto ao significado metafórico da rosa e do espinho no título da canção, Michaels explicou que a rosa era a sua carreira decolando, enquanto o espinho, foi o preço a se pagar pelo sucesso, o que acabou custando o seu namoro com Lewis.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Vale lembrar que em 2010, no álbum "Custom Built", Bret Michaels lançou uma versão country dessa música, que contou com a participação de Brad Arnold, da banda 3 Doors Down, e que você pode conferir no link abaixo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Produtor do Poison dedurou grupo por plágio; é uma banda sueca, quem vai saber?Produtor do Poison dedurou grupo por plágio; "é uma banda sueca, quem vai saber?"


Poison: Bret passou o cambão na mãe da Hannah Montana?

Bret Michaels: como ele se sente vendo a filha modelo posando de maiô



Sobre Marcelo Araújo

Carioca da gema e fanático por música de qualidade, aprendeu a gostar de Rock aos 10 anos de idade por causa de bandas como Scorpions, Led Zeppelin e Guns N' Roses. A maior decepção foi ver uma de suas bandas preferidas, o Bon Jovi, mudar completamente de estilo e se tornar uma coisa bem chatinha de uns tempos pra cá, algo classificado como uma mistura de Sertanejo Universitário com Pop. Das bandas mais recentes, curte bastante Alter Bridge e Unisonic. Adora tudo relacionado com as curiosidades por trás das canções, álbuns e bandas, sempre escrevendo matérias a respeito desses fatos no blog Ogro do Metal.

Mais matérias de Marcelo Araújo.