Pearl Jam: Novo álbum traz preocupação com a política, em especial o tema do meio ambiente

Resenha - Pearl Jam - Gigaton

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por André Espínola
Enviar Correções  

Por diversos motivos, emocionais, artísticos/estéticos e políticos, o rock vem me decepcionando nos últimos anos, sobretudo após a morte repentina de David Bowie, o que pode não ter nada a ver, mas para mim foi um marco referencial. Para agravar a situação, outras bandas que eram referências para mim foram decepcionando a cada novo lançamento. Arcade Fire, Queens Of The Stone Age, são só dois grandes exemplos dessas bandas que acabaram cedendo a tendências do mundo pop e eletrônico, especialmente uma onda new-wave, que, ironicamente, era bastante influenciada pelos experimentos de Bowie. Ao saber que Pearl Jam iria lançar um novo álbum, o primeiro desde Lightning Bolt, de 2013, confesso que fiquei receoso que a banda abriria mão do seu estilo clássico e cederia às exigências do mundo fonográfico em busca de ampliar seu público. O mundo já não seria mais o mesmo: David Bowie estava vivo e surpreendendo o mundo como sempre, com o disco The Next Day, Arcade Fire lançava Reflektor, e Queens Of The Stone Age completava o belo ano musical com ...Like a Clockwork. Por fim, esse receio veio acompanhado de um calafrio ao ouvir o primeiro single de Gigaton, nome do novo disco, "Dance of The Clairvoyants", que reúne todos os elementos que temia. Mas nada como um dia após o outro. Gigaton é um dos discos mais ricos e interessantes da banda, que já tem em seu catálogo grandes clássicos desde a década de 90.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A partir da capa de Gigaton e através de suas músicas, percebe-se claramente a preocupação de Pearl Jam com a política, em especial o tema do meio ambiente. A variedade de sons é bem grande, mostrando a experiência e a riqueza do percurso em três décadas de carreira. Tem as faixas mais pesadas, no estilo clássico, outras mais experimentais e introspectivas, bem como acústicas.

O disco começa com "Who Ever Said", mostrando já de início toda a energia que a banda ainda dispõe ao afirmar que ainda tem o que dizer, pois, como diz a letra, "quem disse que tudo já foi dito abriu mão da satisfação". A música também conta com variações rítmicas bem interessantes. "Superblood Wolfmoon", outra bastante rápida e pesada, os riffs de guitarra estão bem definidos e acompanhados aqui por um belo solo. Essa dupla inicial certamente agrada os fãs mais antigos, que exigem muita guitarra e energia de Eddie Vedder. É porque o oposto vai acontecer agora com a faixa seguinte, "Dance of The Clairvoyants", a viagem da banda pelo experimento new-wave.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Após o delírio, uma rápida fuga, é o que se trata de "Quick Escape", muito peso e riffs novamente e uma letra pessimista sobre os caminhos que estamos tomando, cutucando o presidente dos Estados Unidos, com a pessoa indo de um lugar para outro em busca de um lugar onde Trump ainda não tinha fudido tudo. As coisas se acalmam com a belíssima "Alright", sobretudo num mundo onde a vida está cada vez mais rápida, cobrando para vencermos sempre. Eddie Vedder diz na letra "tudo bem, ficar sozinho, ficar quieto, dizer não, ser uma decepção na sua própria casa, tudo bem desligar tudo, ignorar as regras do estado, é por você mesmo".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Seven O’Clock" é uma das melhores faixas de Gigaton, tanto musicalmente quanto em relação à letra, e poderia muito bem colocá-la na lista de melhores da banda. Uma letra fluindo rápido e sempre com novas imagens e reflexões que clamam para que trabalharmos juntos para transformar essa situação fudida em que nos achamos, sem tempo para depressão ou hesitação autoindulgente. Na letra, várias indiretas para Trump e uma mensagem: "much to be done".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em "Never Destination" e "Take The Long Way" o hard rock clássico da banda retorna com satisfação. "Buckle Up" é bem leve e agradável e prepara caminho para a extremamente emotiva "Comes Then Goes", claramente uma homenagem ao amigo de longa data da banda, Chris Cornell, que morreu em 2017. Só Eddie e o violão exalando emoção. "Retrograde" e "Rivercross", as quais falam com preocupação sobre as mudanças climáticas, mantém o clima calmo e introspectivo e finalizam o álbum.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Muito mais do que ficar querendo colocar em que posição o novo disco vai ficar na carreira de Pearl Jam, o melhor a fazer é comemorar que rock ’n’ roll com consciência e propósito como esse ainda é feito hoje em dia, o que o torna muito mais relevante do que muita coisa que vem sendo produzida ultimamente.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guns N' Roses: por que a turnê conjunta com Pearl Jam e U2 não aconteceuGuns N' Roses
Por que a turnê conjunta com Pearl Jam e U2 não aconteceu

Pearl Jam: Eddie Vedder relembra rivalidade com Nirvana e críticas de Kurt CobainPearl Jam
Eddie Vedder relembra rivalidade com Nirvana e críticas de Kurt Cobain

Eddie Vedder: em raro desabafo, ele admite negação após morte de Chris CornellEddie Vedder
Em raro desabafo, ele admite negação após morte de Chris Cornell

Pearl Jam: show acústico de 1992 é disponibilizado em HD no Youtube (vídeo)Pearl Jam
Show acústico de 1992 é disponibilizado em HD no Youtube (vídeo)

Pearl Jam: MTV Unplugged, gravado em 1992, é disponibilizado nas plataformas digitaisPearl Jam
MTV Unplugged, gravado em 1992, é disponibilizado nas plataformas digitais

Miley Cyrus: cantora pop grava cover acústico de Just Breathe, do Pearl Jam (vídeo)Miley Cyrus
Cantora pop grava cover acústico de "Just Breathe", do Pearl Jam (vídeo)

Lista: músicas que farão 30 anos em 2021 (e você nem percebeu)Lista
Músicas que farão 30 anos em 2021 (e você nem percebeu)

Pearl Jam: banda transmitirá show lendário para celebrar 30 anos do álbum TenPearl Jam
Banda transmitirá show lendário para celebrar 30 anos do álbum Ten

Pearl Jam: ouça Get It Back, nova música da bandaPearl Jam
Ouça "Get It Back", nova música da banda

Eddie Van Halen: Parecia que era de outro planeta, diz guitarrista do Pearl JamEddie Van Halen
"Parecia que era de outro planeta", diz guitarrista do Pearl Jam


Lado feminino: astros do rock que se vestiram de mulherLado feminino
Astros do rock que se vestiram de mulher

Guitarra: 7 solos icônicos dos anos 90Guitarra
7 solos icônicos dos anos 90


O Surto: Fora Queen, só nós fizemos 250 mil cantarem no Rock in RioO Surto
"Fora Queen, só nós fizemos 250 mil cantarem no Rock in Rio"

Andre Matos: o que ele faria se fosse mulher por um dia?Andre Matos
O que ele faria se fosse mulher por um dia?


Sobre André Espínola

André Espínola, recifense, estudante de História e apaixonado por música, quer levar um pouco de sua paixão para os outros, resenhando sobre novos lançamentos e pagando tributo aos clássicos e às nossas raízes musicais, sobretudo o Blues, Rock e Jazz, cuja missão básica é dizer aos quatro cantos: "a boa música nunca morrerá!". Possui o blog Filho do Blues, onde escreve e edita textos sobre as novidades musicais do mundo do rock, indie e blues.

Mais matérias de André Espínola no Whiplash.Net.

Goo336 Goo728 Cli336 Goo336 Goo336 Cli336