Ramones: em 1978, as coisas começaram a mudar

Resenha - Road To Ruin - Ramones

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10

A carreira do Ramones começou muito bem, com três ótimos álbuns, que figuram entre os melhores trabalhos da banda e ajudaram a redefinir a maneira de se fazer rock and roll: "Ramones" (1976), "Leave Home" (1977) e "Rocket To Russia" (1977). Os referidos discos são os únicos com a formação clássica da banda (Joey, Johnny, Dee Dee e Tommy),e o quarto lançamento trouxe a primeira troca de integrantes: cansado da estrada, Tommy saiu e foi substituído por Marky Ramone, baterista vindo do Dust.

Em 01/10/1984: Ramones lançava o álbum "Too Tough To Die"Autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich Nietzsche

Em setembro de 1978 o mundo vê o nascimento de "Road To Ruin", quarto registro do Ramones. A sonoridade da banda ficou mais séria e as músicas ficaram um pouco mais longas. Além disso, Marky se mostrou um excelente baterista e ajudou a deixar o som mais pesado.

Logo nos primeiros acordes de "I Just Want To Have Something To Do" é perceptível que o som estava diferente, e que a banda iria explorar novos horizontes. Rápida, pesada e revoltada, é uma das músicas mais marcantes do disco.

Falando em revolta, poucos momentos da carreira do Ramones contém tanto ódio e desprezo quanto "I Don't Want You". Outro grande destaque do disco, que funcionava muito bem ao vivo.

Existem outras músicas mais nervosas no disco que merecem atenção, casos de "I Wanted Everything", "I'm Against It" e "Bad Brain". Existe até mesmo uma música romântica no disco que tem um riff furioso, "She's The One".

Falando em baladas, não podemos esquecer da emocionante versão para "Needles And Pins" e a maravilhosa "Questioningly", que estão entre as músicas mais tocantes já gravadas pela banda, e tocam o coração até mesmo das pessoas menos sensíveis.

Outra novidade no disco é a aparição dos primeiros solos de guitarra em músicas da banda em duas músicas: o hit radiofônico 'Don't Come Close" e "It's A Long Way Back".

Bem, e além de tudo isso, "Road To Ruin" tem espaço para "I Wanna Be Sedated", que está entre as músicas mais famosas do Ramones e é uma das canções mais divertidas e contagiantes já escritas por uma banda de rock and roll. É bem provável que você ouviu alguém cantarolando o clássico "Ba ba baba, baba ba baba, I wanna be sedated". É apertar o play, dançar e curtir.

"Road To Ruin" mostra muita maturidade, um som mais agressivo com letras um pouco mais sérias, o que só colaborou para que o nome da banda ficasse mais forte ainda no cnário.

Em uma discografia repleta de clássicos, consegue se sobressair como um dos melhores registros. Fundamental, obrigatório e necessário.

Ano de lançamento: 1978

Faixas:
"I Just Want To Have Something To Do"
"I Wanted Everything"
"Don't Come Close"
"I Don't Want You"
"Needles & Pins"
"I'm Against It"
"I Wanna Be Sedated"
"Go Mental"
"Questioningly"
"She's The One"
"Bad Brain"
"It's A Long Way Back"

Formação:

Joey Ramone: vocal
Johnny Ramone: guitarra
Dee Dee Ramone: baixo
Marky Ramone: bateria


Outras resenhas de Road To Ruin - Ramones

Ramones: A resenha do "Road to Ruin" na Punk Magazine




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ramones"


Em 01/10/1984: Ramones lançava o álbum "Too Tough To Die"Em 22/09/1978: Ramones lançava "Road To Ruin"Em 18/09/1951: Nascia o lendário e saudoso Dee Dee Ramone

Drowned: liberada versão de Poison Heart, do RamonesDrowned
Liberada versão de "Poison Heart", do Ramones

Ramones: resenha do último disco da banda, Adios AmigosRamones: em 1979, um ótimo ao vivo para coroar o primeiro ciclo da ban

Ídolos imortais: Dee Dee Ramone, um gênio insanoÍdolos imortais
Dee Dee Ramone, um gênio insano

Ramones: covers que a banda gravou (e se tornaram grandes sucessos)Ramones
Covers que a banda gravou (e se tornaram grandes sucessos)

Ramones: a resenha do disco Acid Eaters

Ramones: O legado não vai desaparecer, isso é o mais importanteRamones
"O legado não vai desaparecer, isso é o mais importante"

Richie Ramone: CJ e eu somos do Ramones e Marky sabe dissoRichie Ramone
"CJ e eu somos do Ramones e Marky sabe disso"

Queen e Ramones: a história por trás dos logos das duas bandasQueen e Ramones
A história por trás dos logos das duas bandas

USA Today: as 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUAUSA Today
As 20 maiores bandas de todos os tempos nos EUA

Ramones: as músicas de outras bandas que eles gravaram ao longo de seus discosRamones
As músicas de outras bandas que eles gravaram ao longo de seus discos


Autores que inspiraram o Heavy Metal: Friedrich NietzscheAutores que inspiraram o Heavy Metal
Friedrich Nietzsche

Heavy Metal: 25 bandas que fizeram o gênero ser o que éHeavy Metal
25 bandas que fizeram o gênero ser o que é

Morte: confira 15 das melhores músicas sobre o temaMorte
Confira 15 das melhores músicas sobre o tema

Guns N' Roses: a família brasileira de Axl RoseGuns N' Roses
A família brasileira de Axl Rose

G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Nikki Sixx: Sebastian Bach tem que sair dessa de ex-Skid RowNikki Sixx
"Sebastian Bach tem que sair dessa de ex-Skid Row"

Guns N' Roses: O caminho até o recomeçoGuns N' Roses
O caminho até o recomeço


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336