Matérias Mais Lidas

imagemAs faixas do "Black Album" que James Hetfield e Lars Ulrich não curtem

imagemAs seis músicas do Metallica que Dave Mustaine ajudou a escrever

imagemRock in Rio: Pitty alfineta a produção do festival ao revelar qual seria sua exigência

imagemJanis Joplin: última gravação dela em vida foi feita para um Beatle

imagemSérgio Moro elege banda clássica de Rock como sua favorita

imagemAnitta é a maior roqueira que existe hoje no Brasil, diz integrante do Titãs

imagemEdu Falaschi comenta produção "nível banda europeia" da nova turnê e agradece fãs

imagemAs 10 melhores versões metal de músicas pop dos anos 1980, em lista da Metal Hammer

imagemMax e Iggor Cavalera: setlists, fotos e vídeos de shows na Audio, em São Paulo

imagemQuando Derico, do Programa do Jô, descobriu que Ian Anderson tocava tudo errado

imagemAs músicas de John Lennon favoritas de Paul McCartney - nos Beatles e solo

imagemJoão Gordo relembra proposta de fazer propaganda de calmante com Dado Dolabella

imagemA reação de Jimi Hendrix ao assistir King Crimson ao vivo

imagemNando Reis e a linda música que Samuel Rosa dispensou por ter recebido na hora errada

imagemJoão Gordo compara anarcocapitalistas com quem acredita em terraplanismo


Dream Theater 2022

Wael Daou: um trabalho brilhante em cada detalhe

Resenha - Sand Crusader - Wael Daou

Por Junior Frascá
Em 29/05/17

Nota: 10

Finalmente chega ao mercado o novo trabalho do talentosíssimo guitarrista paraense Wael Daou, sem dúvida um dos músicos mais brilhantes de nosso cenário. E desde a apresentação do material, até o seu conteúdo completo, tudo aqui beira à perfeição, o que nos faz concluir desde o início que já se trata de um novo clássico do metal nacional que surge.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O trabalho anterior de Wael, o EP "Ancient Conquerors", já dava mostras de todo o talento do músico, tanto na parte das composições, como na execução das faixas, aliando peso, melodia e técnica com maestria. E, mesmo assim, desta vez o trabalho superou todas as expectativas, sendo daquelas obras de fazer cair o queixo até daqueles com o ouvido bastante calejado no estilo.

Em primeiro lugar, não há como não mencionar que a inclusão de mais vozes nas faixas fez toda a diferença, com ótimas variações, seja nos momentos mais guturais e furiosos (a maioria), seja líricos e emocionais.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Além disso, a variedade sonora aqui presente é impactante, e mesmo sem nunca deixar o peso e a brutalidade de lado, temos diversas incursões nas mais variadas vertentes musicais por aqui, em especial as influências da sonoridade do oriente médio (de onde Wael descende), além de Jazz, Fusion e até new age e música clássica. Cada detalhe parece milimetricamente pensado e executado, tamanha a consonância que tudo exara.

No lado do metal, temos também uma grande gama de subgêneros aqui presentes, como o groove, o death, o metalcore, o thrash, o djent e o progressivo, tudo harmonicamente apresentado, com uma organicidade brilhante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E tudo isso aliado à competência e ao virtuosismo de Wael (em prol da música em si, e não apenas visando exibicionismos), fazem de "Sand Crusade" uma verdadeira obra prima.

As guitarras pesadíssimas e intricadas (de 08 cordas) de Wael dão a tona em cada uma das 07 faixas do álbum, trazendo claras influências de monstros como Jeff Loomis, Dino Cazares e John Petrucci, mas com uma personalidade própria diferenciada, que já emergia em seu primeiro EP, e aqui flui com muito mais evidência.

"Scourge of Humanity" e "Thorns of Joy" mostram o lado mais extremo do músico, exalando fúria em cada entonação, e com ótimas linhas guturais de Bruno Dourado na primeira, e Leon Ferreira na segunda, além de muita técnica instrumental.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Já a faixa título, embora mantenha o peso, é mais progressiva e introspectiva, com várias mudanças de andamento, além das belas linhas vocais, que aqui contam Eduardo Lobo, Luiz Klaud e Mira Said.

Por sua vez, as duas partes de "The Awakening" (a primeira mais brutal, e a segunda mais progressivos é melódica) são as únicas totalmente instrumentais do material, mostram uma banda entrosada, e Wael esbanjando todo seu talento, com riffs e solos matadores.

Finalizando o trabalho, a magistral e épica "Power to Believe" (na qual o instrumental prevalece, havendo apenas alguns diálogos de vozes), que mescla um peso cavalar, com momentos mais claros e intimistas, e a emocional "Mira", com arranjos belíssimos e tocantes mostram que realmente temos em mão uma obra muito especial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas não é só, meu caro amigo leitor, pois temos ainda aqui 02 discos bônus. Sim, isso mesmo, o lançamento aqui é um material triplo, embalado em um belíssimo digipack, com arte maravilhosa (para varia) de Gustavo Sazes.

No CD2, temos novas  versões das músicas lançadas no EP "Ancient Conquerors", que aqui ficaram ainda mais matadoras e melhor produzidas. Já o disco três é um DVD coom as versões animadas de todas as faixas do CD1, além de três playthroughs, tudo repleto novamente de artes exclusivas de Sazes.

Assim, fica claro que temos aqui um trabalho fantástico, que supera todas as expectativas, com um grau de profissionalismo de causar inveja a artistas já consagrados, inclusive do mercado nacional, e que entra facilmente como um dos melhores álbuns de 2017.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E, sem rasgação de seda, só nos resta aplaudir de pé Wael Daou, e escutar o álbum como se não houvesse amanhã...

Sand Crusade - Wael Daou
(Independente)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Power Metal: os dez álbuns essenciais do gênero

Andreas Kisser: "Eloy Casagrande talvez não seja humano"


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá.