Matérias Mais Lidas

Titãs: o motivo pelo qual Arnaldo Antunes saiu da banda antes de TitanomaquiaTitãs: o motivo pelo qual Arnaldo Antunes saiu da banda antes de "Titanomaquia"

Como está hoje o casal que inspirou Eduardo e Mônica, da Legião UrbanaComo está hoje o casal que inspirou "Eduardo e Mônica", da Legião Urbana

Beatles: todas as músicas da banda em ordem de grandiosidade, segundo a NMEBeatles: todas as músicas da banda em ordem de grandiosidade, segundo a NME

Vocalista do King's X relembra sofrimento; implorava a Deus para não ser mais gayVocalista do King's X relembra sofrimento; "implorava a Deus para não ser mais gay"

Slash diz que ficou impressionado e orgulhoso ao ver Axl Rose como vocalista do AC/DCSlash diz que ficou impressionado e orgulhoso ao ver Axl Rose como vocalista do AC/DC

Fã coloca Bruce Dickinson em saia justa; já pegou groupie e achou um membro extra?Fã coloca Bruce Dickinson em saia justa; "já pegou groupie e achou um membro extra?"

Foo Fighters: a tocante opinião de Brian May (Queen) sobre a bandaFoo Fighters: a tocante opinião de Brian May (Queen) sobre a banda

Bruce Dickinson já fez show para um único ser humano (e ofereceu cerveja ao felizardo)Bruce Dickinson já fez show para um único ser humano (e ofereceu cerveja ao felizardo)

Black Sabbath: 10 músicas menos conhecidas da formação clássica que todos deveriam ouvirBlack Sabbath: 10 músicas menos conhecidas da formação clássica que todos deveriam ouvir

U2: Edge escolhe a melhor música gravada por outro artista (e você certamente a ouviu)U2: Edge escolhe a melhor música gravada por outro artista (e você certamente a ouviu)

João Gordo e Eloy Casagrande ironizam morte de Olavo de Carvalho nas redesJoão Gordo e Eloy Casagrande ironizam morte de Olavo de Carvalho nas redes

Ex-Iced Earth Matt Barlow continua em contato com Jon Schaffer apesar de toda polêmicaEx-Iced Earth Matt Barlow continua em contato com Jon Schaffer apesar de toda polêmica

Guns N' Roses: DJ Ashba critica Buckethead e seu balde de frango na cabeçaGuns N' Roses: DJ Ashba critica Buckethead e "seu balde de frango na cabeça"

Geoff Tate diz que Queensryche recusou quantias obscenas de dinheiro por reuniãoGeoff Tate diz que Queensryche recusou quantias "obscenas" de dinheiro por reunião

Nightwish: a sincera opinião da ex-vocalista Anette Olzon sobre atual som da bandaNightwish: a sincera opinião da ex-vocalista Anette Olzon sobre atual som da banda


Stamp

Radiohead: E mais um álbum desnecessário

Resenha - A Moon Shaped Pool - Radiohead

Por Wendell Soares
Em 24/05/16

Nota: 1

Tenho um amigo que, sempre que o lembro como a banda do Thom Yorke se tornou chata e pedante, costuma me dizer que são a maior banda inglesa dos últimos tempos. Eu nunca discordei. Aliás, até os uso pra traçar um parâmetro com os Los Hermanos, que, nas plagas nacionais, possuem um status de idolatria (e pedância) bem similares. Nos dois casos, temos duas bandas que despontaram com certo burburinho (Pablo Honey, no primeiro caso, e o autointitulado Los Hermanos), cometeram um discaço na segunda tentativa (The bends e Bloco do eu sozinho) e fizeram do terceiro álbum completo um ponto de referência para a música que surgia após ele (Ok computer e Ventura). Tivessem acabado ali, ambas as bandas seriam a influência máxima de uma geração, com álbuns cultuados e naquela linha limite entre o rock, o pop e tudo o que mais cabe na (boa) música. Mas aí ambas seguiram o mesmo curso. Com Kid A e IV, a curva deixa de ser ascendente, e ainda que haja algum sopro de criatividade, o DNA da banda, aquele tino assoviável, triste e belo - que arregimentou uma horda de fãs - se perde.A vantagem da banda brasileira é que, teoricamente, ela encerra atividades. Fica o mito e uma porção de tentativas, em álbuns solos chatos e iguais, mas nada capaz de macular a obra dos cariocas. Mas o Radiohead não se conteve com o fim. Ele quis se reinventar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Relevante situar que, 16 anos depois do fim dos anos 90, já não há exagero em dizer que Ok computer, do Radiohead, só se posiciona atrás do Nevermind (Nirvana) como álbum mais importante daquela década. E falando deles, especificamente, eu sempre adotei a piada que, tivessem terminado antes do Kid A, teriam feito um álbum nota 8, um nota 10 e um nota 11. Respectivamente.

Mas a década seguinte serviu pra banda criar um conceito de anti-música, jogar às favas a musicalidade pop e levar a lógica de experimentação a um patamar que nem Lou Reed e seu Metal machine music conseguiram.

E nem pontuo aqui que, devido essa noção estranha de ser pop, boa parte da música inglesa mainstream os usou como referência. Do Coldplay ao Muse. Pro bem ou pro mal.
A crítica aplaudiu. Alguns fãs defenderam. Inclusive, há casos graves daqueles que ainda acompanharam a banda após Hail to the thief e Amnesiac. Esqueçamos estes.
Depois veio In rainbows, e quando a gente quase acreditou que Thom Yorke e companhia ainda conseguiam compor pequenas pérolas pop, já era tarde. De King of limbs só ficou na memória a dança estranha do vocalista no clipe de Lotus Flower.
Na verdade, discorri sobre tudo até aqui, sem citar o álbum em questão, por que não precisa: não há nada novo ali.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

E se na discografia de alguns grandes (Morrissey, Dylan, pra ficar com dois), a não-inovação é tida como um elogio, aqui, depende de que lado você está.
Se for o tal fã que ainda considera o Radiohead a coisa mais genial da música, vai gostar. Veja bem, eu disse gostar. E só. Se for como eu, que abandonou a banda lá pelos idos de 2000, e chegou até a procurar no Muse (Absolution é magnifíco) ou no Grandaddy um resquício daquela noção musical monstruosa dos primeiros álbuns, vai odiar. Mas odiar muito.
Pudesse renomear o álbum, eu o chamaria de "Almost music". E já explico.
A moon shaped pool abre com o single Burn the witch, e quase consegue enganar em seus primeiros momentos. Tem violão, tem Yorke lamentando, tem clipe bonito. Mas a guitarra deixa a impressão de quase aposentadoria definitiva, ainda na primeira faixa.
Daydreaming é monocórdica e quase insinua uma canção triste. Mas a tristeza vira tédio antes do término e dá lugar aos barulhos eletrônicos que quase pontuam a faixa seguinte, Decks dark.
Sinceramente, não encontrei alguma faixa destaque, qualquer coisa que me fizesse querer ouvir o álbum de novo. Em Ful stop, quase fui enganado pela vibe pós-punk do Joy Division mas quando parecia que o álbum teria, no mínimo, um pouco de raiva, Yorke se desculpa e pede, repetidamente, que o "aceite de volta". É uma clichê pronto pra resposta. E a resposta é não. Ou talvez "quase".
A crítica, já previsível, vai incensar o álbum. Vai tentar relacionar alguma música a um clássico, vai falar sobre a aura cult da banda, vai discorrer sobre o término de casamento do vocalista e dizer que as letras estão "densas e complexas". Não será mentira, mas tudo isso servirá de pano de fundo pra chegar a um conclusão negativa: o Radiohead não é mais relevante.
E não é relevante por que optou pela estranheza quando, sua melhor faceta ainda é o pop.
Vai ser álbum do ano, vai ter fã (sempre eles!) compartilhando e idolatrando os clipes e os shows, mas no fundo, bem no fundo, até eles sabem: o tempo vai dar ao álbum o mesmo destino de tudo o que o Radiohead fez após Ok computer. Vai deixar morrer em silêncio e ignorar.
E num futuro não tão distante, quando a banda decidir "voltar às raízes", até eles irão concordar: a gente quer o Radiohead de Creep. De Karma Police. De Exit music. De No surprises.
E não isso aí, que me fez perder 50 minutos na audição deste álbum.
Decepcionante.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Outras resenhas de A Moon Shaped Pool - Radiohead

Radiohead: O Samba do Último Álbum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Radiohead: 10 das melhores letras de Thom Yorke, segundo a Far Out MagazineRadiohead: 10 das melhores letras de Thom Yorke, segundo a Far Out Magazine

As 40 melhores músicas lançadas em 2021, segundo a equipe do Ultimate Classic RockAs 40 melhores músicas lançadas em 2021, segundo a equipe do Ultimate Classic Rock

Radiohead: mashup mistura Idioteque com a grudenta Da Ba Dee, aquela dos memesRadiohead: mashup mistura "Idioteque" com a grudenta "Da Ba Dee", aquela dos memes


South Park: Aparições de estrelas do rock no desenhoSouth Park: Aparições de estrelas do rock no desenho

Rolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 2000Rolling Stone: os 100 melhores álbuns dos anos 2000

Oops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicosOops!: 10 erros eternizados em gravações de clássicos


Black Sabbath: um Tony Iommi que você não conheciaBlack Sabbath
Um Tony Iommi que você não conhecia

The Voice Kids: garotinha canta Led Zeppelin e conquista todosThe Voice Kids
Garotinha canta Led Zeppelin e conquista todos