Sinner: Charmoso para uns, Perigoso para outros!

Resenha - Dangerous Charm - Sinner

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

Muitas vezes, "experimentalismos" não são vistos com bons olhos por parte de algumas pessoas. No entanto, é o artista quem deve decidir o que vai ser feito em seu trabalho, e além do mais, convenhamos que é impossível agradar a todos. "Dangerous Charm" pode até soar datado e com algumas passagens "estranhas" em um primeiro contato, mas independente disso e das criticas, possui sim, ótimas músicas.

Sinner: banda alemã lança lyric video para música "Santa Muerte"; assistaIron Maiden: Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"

Talvez pela intenção de atingir em cheio o alvo do mercado norte-americano, o alemão Mat Sinner chegou ao resultado que temos aqui, ou seja, uma mistura entre Hard Rock, AOR, Heavy Metal e quem sabe uma pitada de Pop, que se ouvida sem maiores pretensões, pode se tornar surpreendente.

"Concrete Jungle" abre o disco, e pode ser tida como a mais 'diferente', vamos dizer assim, (resenhistas furiosos, possivelmente usariam adjetivos menos, éticos), mas nem por isso é ruim, sendo o que pode causar certa estranheza mesmo, são os sintetizadores empregados de maneira duvidosa. Na segunda faixa, a coisa realmente fica mais interessante com "Knife in My Heart", já condizente com o Heavy/Hard, e mostra mais uma das várias facetas da banda, aqui mais melódica e forte. A balada "Everybody Needs Somebody" é uma boa pedida, sem soar maçante e comercial, e abre caminho para mais 3 destaques: a envolvente "Tomorrow Doesn`t Matter Tonight", a pancada rápida e pesada de "Fight the Fight" e o encerramento (desta versão, pelo menos, pois pode ser substituída por "Nobody Rocks Like You", mas como faixa 5) "Last Dance", com seu clima bem pra cima e festeiro, que encerra o trabalho com gosto de "quero mais". Uma coisa a se notar, é que mesmo Mat sendo o dono da banda, seu baixo não se destaca muito, o que era para ser o contrário.

Se acaso o leitor tiver uma impressão ruim sobre o disco, pois viu alguém o esculhambando, vá atrás e ouça antes de fazer um julgamento injusto e preconceituoso...

Line Up:
Mat Sinner - Vocals & Bass
Andy Susemihl - Guitars
Bernie van der Graaf - Drums
Armin Muecke - Guitars
Matthias Ulmer - Keyboards

Track List:
1. Concrete Jungle
2. Knife in My Heart
3. Dangerous Charm
4. Everybody Needs Somebody
5. Tomorrow Doesn`t Matter Tonight
6. Fight the Fight
7. Back in My Arms
8. Gypsy
9. Desperate Heart
10. Last Dance*

Lançamento: 1987 - Noise (International)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Sinner"


Sinner: banda alemã lança lyric video para música "Santa Muerte"; assista

Iron Maiden: Bruce Dickinson revela sua canção de merdaIron Maiden
Bruce Dickinson revela sua "canção de merda"

Pink Floyd: tudo sobre Another Brick in the WallPink Floyd
Tudo sobre "Another Brick in the Wall"

Linkin Park: Chester Bennington abre o jogo sobre seu vícioLinkin Park
Chester Bennington abre o jogo sobre seu vício

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1

Cristina Scabbia: Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!Cristina Scabbia
"Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"

Rob Halford: senhor Gene Simmons, o rock nunca esteve tão forteRob Halford
Senhor Gene Simmons, o rock nunca esteve tão forte

Metallica: a prova de que Rick Rubin estragou o Death MagneticMetallica
A prova de que Rick Rubin estragou o Death Magnetic


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336