Black Sabbath: O ataque do deus da guerra!

Resenha - TYR - Black Sabbath

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Sobreira
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Para quem não fica muito preso ao passado e sabe aceitar as novidades e mudanças que um artista pode oferecer, sempre terá boas músicas para curtir, e por consequência, ainda ajudar a perpetuar mais o nome da banda que gosta, de forma respeitosa.

364 acessosBlack Sabbath: Tony Iommi fala sobre o último show5000 acessosCuriosidades: 40 fatos inacreditáveis do rock

Mesmo que Tony Iommi sempre tenha procurado o melhor para o Black Sabbath (e para si mesmo), ao longo de sua carreira, marcada por inúmeros altos, e alguns "baixos", não significa que não tenha sofrido críticas e torcida-de-narizes por parte da praga do radicalismo de "fãs" inconformados com os direcionamentos seguidos e expostos por ele. TYR pode ser considerado como um dos trabalhos mais obscuros, de uma fase ainda mais "obscura" (sim, pois para a maioria esmagadora, só é Black Sabbath verdadeiro o que contou com Ozzy ou Dio nos vocais...) do grupo inglês, mas por isso tende a ser algo desprezível indigno de se conhecer? Eu te digo bem alto: NÃO!!

Mesmo não sendo também um clássico absoluto, não se pode ignorar faixas luxuosas e imperdíveis como a balada "Feels Good To Me" (que ganhou um vídeo bem dramático), as rápidas "Law Maker" e "Valhalla", a quase Doom "The Sabbath Stones" (que curiosamente me lembra um pouco o som que o Solitude Aeturnus faria mais tarde), a impactante "Heaven in Black" e a pesada com momentos mais refinados "Anno Mundi", que valem muito bem a responsabilidade do nome que ostentam.

Para quem espera um trabalho conceitual, sobre a mitologia nórdica, sinto informar, mas, apenas três faixas tratam do tema, sendo o que tem de mitológico mesmo é a formação, com Tony Martin cantando pra valer (apesar de quê, em alguns breves momentos, lembrar bem o Dio...) e dos mais que experientes Cozy Powell e Neil Murray (Whitesnake), além do apoio nas teclas do fiel Geoff Nicholls!

Leitor inconformado, este disco pode não ser do Black Sabbath que gravou 'Vol. 4' ou 'Heaven And Hell', mas ainda sim, deve ser apreciado sem qualquer receio! Se você acha que merece...

Line-up:
Tony Martin - Vocals
Neil Murray - Bass
Cozy Powell (R.I.P. 1998) - Drums
Tony Iommi - Guitars
(Geoff Nicholls - Keyboards)

Track List:
1. Anno Mundi
2. The Law Maker
3. Jerusalem
4. The Sabbath Stones
5. The Battle of Tyr
6. Odin's Court
7. Valhalla
8. Feels Good to Me
9. Heaven in Black

Lançamento: Agosto/1990 - I.R.S. Records

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de TYR - Black Sabbath

5000 acessosTradução - Tyr - Black Sabbath

Black SabbathBlack Sabbath
Tony Iommi fala sobre o último show

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

Black SabbathBlack Sabbath
$60.000 para fazer o Vol. 4 e $75.000 em cocaína

Vanusa e Black SabbathVanusa e Black Sabbath
A notável coincidência nos riffs

Zakk WyldeZakk Wylde
Tocando Black Sabbath na mini-guitarra da Hello Kitty

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"

CuriosidadesCuriosidades
Quarenta fatos inacreditáveis sobre artistas de rock

Iron MaidenIron Maiden
O pior momento de Bruce Dickinson no palco

MetallicaMetallica
O video game da banda que nunca foi lançado

5000 acessosTwo and a Half Men: Participações de astros do rock5000 acessosArnaldo Jr: Colecionador de ítens relacionados ao Metallica5000 acessosPlayback.FM: saiba qual a música mais tocada nas rádios no dia que você nasceu5000 acessosRobert Plant: em vídeo, as mudanças em sua aparência de 1968 até 20165000 acessosMetallica: Hetfield com vergonha ao relembrar documentário5000 acessosRock e Metal: dez covers que são melhores que as originais

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 09 de março de 2016

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online