Matérias Mais Lidas

Metallica: a fortuna que Robert Trujillo recebeu só para se juntar à bandaMetallica
A fortuna que Robert Trujillo recebeu só para se juntar à banda

Neil Peart: por que ele é melhor que John Bonham, segundo Mike PortnoyNeil Peart
Por que ele é melhor que John Bonham, segundo Mike Portnoy

RATM: Tom Morello revela por que não corta as cordas de sua guitarraRATM
Tom Morello revela por que não corta as cordas de sua guitarra

Iron Maiden: linha fitness de produtos oficiais licenciados pela W A SportIron Maiden
Linha fitness de produtos oficiais licenciados pela W A Sport

Motörhead: Mikkey Dee tinha brigas honrosas com Lemmy; Phil Campbell era na deleMotörhead
Mikkey Dee tinha "brigas honrosas" com Lemmy; Phil Campbell era na dele

Kreator: Mille fala sobre racismo e diz que metal sempre teve a ver com direitos humanosKreator
Mille fala sobre racismo e diz que metal sempre teve a ver com direitos humanos

Van Halen: quando eles tocaram Jump desastrosamente fora do tom em 2007Van Halen
Quando eles tocaram "Jump" desastrosamente fora do tom em 2007

Guns N' Roses: quando Donald Trump quis conhecer Axl Rose, o Trump do rockGuns N' Roses
Quando Donald Trump quis conhecer Axl Rose, o "Trump do rock"

AC/DC: quando jovem, Angus Young não gostava nem um pouco da escola e a evitavaAC/DC
Quando jovem, Angus Young não gostava nem um pouco da escola e a evitava

Megadeth: novo álbum de estúdio vai ter um cover, afirma MustaineMegadeth
Novo álbum de estúdio vai ter um cover, afirma Mustaine

Judas Priest: quando eles negaram música a Top Gun e apostaram em filme que fracassouJudas Priest
Quando eles negaram música a Top Gun e apostaram em filme que fracassou

Steve Vai: guitarrista rasga elogios a Zakk Wylde, no pessoal e no profissionalSteve Vai
Guitarrista rasga elogios a Zakk Wylde, no pessoal e no profissional

SOAD: Serj Tankian não gosta da palavra DeusSOAD
Serj Tankian não gosta da palavra "Deus"

Black Sabbath: por que dificilmente teremos algo oficial com Dave Walker no vocalBlack Sabbath
Por que dificilmente teremos algo oficial com Dave Walker no vocal

Behemoth: Nergal lança campanha é hora dos artistas poloneses lutarem, após condenaçãoBehemoth
Nergal lança campanha "é hora dos artistas poloneses lutarem", após condenação


Stamp

Bryan Adams: Ele nunca desvirtua de sua tradição musical

Resenha - Get Up! - Bryan Adams

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Pagliaro Thomaz
Enviar Correções  

Nota: 8

Quanto tempo que eu não vejo Bryan Adams lançar algo realmente inédito! Eu sempre gostei do trabalho dele, tem gente que torce o nariz, acha o cara muito radiofônico. Mas curtir o som que ele faz apenas mostra o cara que realmente está em sintonia com as próprias raízes do Rock'n'roll e da música Pop de forma geral, que é exatamente o que ele faz. Não importa se você curte Hard, Metal, Punk, Progressivo etc, eu mesmo também curto muita coisa desses estilos, mas gosto de pensar que o lado soft também tem seu espaço. Dito isso, vamos conferir Get Up!, o novo disco de estúdio do cantor canadense.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ao todo, o novo álbum tem 9 músicas novas e mais 4 versões acústicas. Talvez a minha crítica maior a esse disco seja essa, de que tem pouco material inédito. Em 2014 ele lançou o primeiro disco de covers da carreira dele, Tracks of My Years. Considerando aí um espaço que o cara teve de mais ou menos uns 7 anos desde seu último disco de inédias, 11 (2008), achei que o disco poderia vir mais recheado de material novo, mas OK, qualidade acima de quantidade; atualmente Adams se dedica bem mais ao seu trabalho de fotógrafo, isso fica evidente quando ele relata que o disco foi feito esporadicamente entre 2013 e 2015, quando o produtor Jeff Lynne (ELO) e Jim Vallance, que é colaborador de longa data de Adams se juntavam a ele para escrever as músicas. Vamos ver o disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De uma forma geral, Adams nunca desvirtuou de sua tradição musical. Desde as canções agitadas up tempo como o single de abertura "You Belong to Me" ou o blues com caída de country-rock "Go Down Rockin'" que são duas das minhas favoritas do álbum, até as pop rock "That's Rock and Roll", que tem bem aquela pegada Motown, a mais pop "Thunderbolt" e "Brand New Day", que é uma típica música de Adams, daquelas bem clássicas mesmo, até me lembrou "Summer of 69" do álbum Reckless (1984), que é uma das mais famosas do cantor, ou seja, canções com aquela sonoridade que acabou me chamando a atenção para o cara no final dos anos 80, quando ele tocava sem parar nas rádios. E falando em rádios, há também as baladas típicas dele, como "Yesterday Was Just a Dream".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Também há aquelas que ilustram bem as raízes e influências de Adams, como "We Did It All", que se assemelha a uma música de Paul McCartney, "Don't Even Try", que parece um som dos Beach Boys ou "Do What Ya Gotta Do" que emula bem o estilão do The Who. Por fim, temos as versões acústicas de algumas faixas do disco que estão na própria versão normal dele. Eu geralmente não sou tão apegado em versões acústicas, mas gostei da versão acústica de "Brand New Day", até acho legal checar algumas músicas numa forma mais acústica para se notar a raíz melódica mesmo, mas eu geralmente prefiro a versão elétrica. Se você quiser comprar o disco pelo iTunes, ainda ganha uma entrevista final de 12 minutos com Adams falando um pouco sobre o disco.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Enfim, Bryan Adams aqui continua sendo ele mesmo, coisa que ele nunca deixou de ser, o que para mim sempre foi motivo de grande felicidade. Quem é fã, vai adorar este disco novo, quem nunca foi fã, pode torcer o nariz como sempre, mas eu recomendo que dê uma chance, pois se tem uma coisa que está em falta hoje na grande mídia, é música pop de qualidade; e Adams sempre dedicou sua carreira a ela.

Get Up! (2015)
(Bryan Adams)

Tracklist:
01. You Belong to Me
02. Go Down Rockin'
03. We Did It All
04. That's Rock and Roll
05. Don't Even Try
06. Do What Ya Gotta Do
07. Thunderbolt
08. Yesterday Was Just a Dream
09. Brand New Day
10. Don't Even Try (acoustic version)
11. We Did It All (acoustic version)
12. You Belong to Me (acoustic version)
13. Brand New Day (acoustic version)
14. Interview (faixa extra da versão do iTunes)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Selos: Universal, Polydor

Banda:
Bryan Adams: voz, guitarra
Jeff Lynne: guitarra, back vocal, piano, baixo, bateria
Jim Vallance: guitarra, slide guitar, back vocal
Steve Jay: percussão

Discografia anterior:
- Tracks of My Years (2014)
- 11 (2008)
- Room Service (2004)
- Spirit: Stallion of the Cimarron (2002)
- On a Day Like Today (1998)
- 18 til I Die (1996)
- Waking Up the Neighbours (1991)
- Into the Fire (1987)
- Reckless (1984)
- Cuts Like a Knife (1983)
- You Want It You Got It (1981)
- Bryan Adams (1980)

Site oficial:
http://www.bryanadams.com

Para mais informações sobre música, filmes, HQs, livros, games e um monte de tralhas, acesse também meu blog.

http://www.acienciadaopiniao.blogspot.com.br


publicidade
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Como consegui viver de Rock e Heavy Metal


Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bon Jovi: por que o mandaram tocar com Kiss e Judas Priest em vez de Bryan AdamsBon Jovi
Por que o mandaram tocar com Kiss e Judas Priest em vez de Bryan Adams


Bon Jovi: por que o mandaram tocar com Kiss e Judas Priest em vez de Bryan AdamsBon Jovi
Por que o mandaram tocar com Kiss e Judas Priest em vez de Bryan Adams


Creed: nomeada pior banda dos anos 1990 pela Rolling StoneCreed
Nomeada pior banda dos anos 1990 pela Rolling Stone

Trollagem: quando as bandas decidem zoar com o playbackTrollagem
Quando as bandas decidem zoar com o playback


Sobre Ricardo Pagliaro Thomaz

Roqueiro e apreciador da boa música desde os 9 anos de idade, quando mamãe me dizia para "parar de miar que nem gato" quando tentava cantarolar "Sweet Child O'Mine" ou "Paradise City". Primeiro disco de rock que ganhei: RPM - Rádio Pirata ao Vivo, e por mais que isso possa soar galhofa hoje em dia, escolhi o disco justamente por causa da caveira da capa e sim, hoje me envergonho disso! Sou também grande apreciador do hardão dos anos 70 e de rock progressivo, com algumas incursões na música pop de qualidade. Também aprecio o bom metal, embora minhas raízes roqueiras sejam mais calcadas no blues. Considero Freddie Mercury o cantor supremo que habita o cosmos do universo e não acredito que há a mínima possibilidade de alguém superá-lo um dia, pelo menos até o dia em que o Planeta Terra derreter e virar uma massa cinzenta sem vida.

Mais matérias de Ricardo Pagliaro Thomaz no Whiplash.Net.