RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemDeep Purple: David Coverdale revela quem quis como substituto de Ritchie Blackmore

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemProdutor da turnê de Paul Di'Anno explica problemas no primeiro show

imagemVocalista do Fleshgod Apocalypse é pedida em casamento durante show da banda

imagemO motivo nada musical que fez Bruce Dickinson querer se juntar aos hippies

imagemZelador viraliza após incrível semelhança com voz de Steve Perry em "Don't Stop Believin'"

imagemTony Iommi conta quais são os riffs preferidos que ele escreveu

imagemShane Hawkins, filho de Taylor Hawkins, ganha prêmio de melhor performance do ano

imagemEm disputa acirrada, fãs batem recorde e elegem melhores discos de metal de 2022

imagemEloy Casagrande repete o feito sendo eleito melhor baterista de metal do mundo

imagemPaul Stanley sabia que seria um rockstar desde a sua juventude


Apocryphal Voice: Uma ode à versatilidade

Resenha - Pain and Pleasure - Apocryphal Voice

Por Vitor Franceschini
Postado em 23 de abril de 2015

Nota: 7

O Apocryphal Voice vem da Finlândia e sua sonoridade é focada no Black Metal com incursões de Progressivo e Avant-gard, ou seja, algo que muitas bandas do estilo (principalmente na Europa) têm buscado atualmente. Na verdade, a ‘banda’ é um duo formado por J. Anton Jokisalo (vocal/guitarra/baixo/sintetizadores) e V. Salonen (bateria).

A qualidade das composições é incontestável, mas a produção que deixou o som abafado tirou um pouco do brilho do resultado final. Ainda mais em se tratando da sonoridade proposto, que requer algo mais límpido e detalhado, já que o som é versátil e variado.

Não espere músicas velozes e ríspidas o tempo todo, já que o que se encontra são composições até burocráticas, com alternâncias de ritmos e não tão digeríveis. Há também influências de Doom Metal, principalmente nos momentos arrastados e com inclusão de vocais limpos.

As faixas são longas, mas longe de serem cansativas, já que a variação faz com que soem interessantes. Destaque para As Fire Itself Dances e Waves of Transparency. Não fosse pela produção bem mediana, o disco ganharia mais pontos, porém, vale à pena dar uma conferida.

http://www.apocryphalvoice.net/
https://www.facebook.com/pages/Apocryphal-Voice/344573545632012

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.
Mais matérias de Vitor Franceschini.