Damn Yankees: 25 anos do ótimo disco de estreia

Resenha - Damn Yankees - Damn Yankees

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: IgorMiranda.com.br
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Nem todo supergrupo é super de verdade. As vezes, a simples presença de músicos consagrados em uma mesma banda não faz com que role química.

Bandas: Por que ninguém está indo a seus shows?Spin: as 30 melhores faixas instrumentais de todos os tempos

Não é o caso do Damn Yankees, que casou perfeitamente logo de início. Talvez a ocasião tenha sido essencial, pois, com exceção do relativamente novato baterista Michael Cartellone, os outros músicos não estavam fazendo tanto sucesso com seus projetos anteriores.

Jack Blades (Night Ranger), Tommy Shaw (Styx) e Ted Nugent se uniram ao já mencionado Michael Cartellone para uma banda com um foco claro: mergulhar no hard rock oitentista, de tanto sucesso à época. No entanto, isso foi feito de forma cuidadosa, sem se render a visuais exagerados ou abordagens excessivamente pop. Não espere encontrar teclados e sintetizadores abusivos no disco de estreia do quarteto, nem clichês mal trabalhados - há clichês, como 99% dos trabalhos de rock, mas praticados com excelência - ou passagens de encaixe duvidoso. O hard do debut dos Yankees é direto e conciso.

O álbum de estreia do Damn Yankees é fora de série justamente por trazer a vivacidade dos hits oitentistas com a preocupação instrumental que havia nas bandas setentistas. Música feita com o olhar de quem entende. A pegada comercial de Shaw e Blades, dois hitmakers, aliada ao instrumental rústico especialmente de Nugent e Cartellone, foi o ponto de equilíbrio. E deu certo.

A aposta na evolução do que se chama de "arena rock" foi bem reconhecida. O álbum de estreia do quarteto chegou à 13ª posição das paradas gerais dos Estados Unidos, conquistou disco duplo de platina e emplacou cinco singles em charts do país, com destaque à "High Enough", que atingiu o 3° lugar na Billboard Hot 100. Foi sucesso também no Japão. O grupo se deu bem e ainda lançou um segundo disco, "Don't Tread", de menor repercussão, até que o projeto se desfez.

Leia a análise faixa-a-faixa completa no link:
http://www.igormiranda.com.br/2015/02/damn-yankees-25-anos-d...

Damn Yankees: "Damn Yankees"
(Lançado em 22 de fevereiro de 1990)

Tommy Shaw (vocal, guitarra, violão)
Jack Blades (vocal, baixo)
Ted Nugent (guitarra, vocal em 10)
Michael Cartellone (bateria)

Músicos adicionais:
Steve Freeman (teclados)
Alan Pasqua (órgão Hammond)
Neverleave Brothers (backing vocals)
B.J. Ingram (violino)
David Niwa (violino)
Marion Pinhiero (violino)
Marti Sweet (violino)
Gerlad Tarack (violino)
Sarah Carter (violoncelo)
Jesse Levy (violoncelo)
Charles McCracken (violoncelo)
Ron Raffio (baixo adicional)
Danny Cahn (trompete)
Steve Guttman (trompete)
Richard Centalonza (palhetas)
Lawrence Feldman (palhetas)
William Meade (palhetas)
Roger Rosenberg (palhetas)
Nancy Wolfe (palhetas)
Dale Kirkland (trombone)
Keith O'Quinn (trombone)
Jack Schatz (trombone)
Katharine Easter (trompa)
Ann Yarbrough (trompa)
Ian Finkle (percussão)
Clfton Hardison (percussão)
Ray Marchica (bateria adicional)

01. Coming Of Age
02. Bad Reputation
03. Runaway
04. High Enough
05. Damn Yankees
06. Come Again
07. Mystified
08. Rock City
09. Tell Me How You Want It
10. Piledriver




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Damn Yankees"


AOR: dez álbuns essenciais dos anos noventaAOR
Dez álbuns essenciais dos anos noventa


Bandas: Por que ninguém está indo a seus shows?Bandas
Por que ninguém está indo a seus shows?

Spin: as 30 melhores faixas instrumentais de todos os temposSpin
As 30 melhores faixas instrumentais de todos os tempos

Vícios: As 10 melhores músicas sobre drogasVícios
As 10 melhores músicas sobre drogas

Lemmy: "as pessoas se tornam melhores quando morrem"Corey Talor: "Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"Guitar World: os 20 melhores álbuns de Hair Metal dos anos 80Metallica: a história da música "Fade to Black"

Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGooILQ