Death Angel: Se superando a cada título lançado

Resenha - Dream Calls for Blood - Death Angel

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Pierre Cortes
Enviar Correções  

9


Formado em 1982, o DEATH ANGEL lançou álbuns pesados e de boa representatividade no Thrash Metal até interromper suas atividades em 91. Foram longos 14 anos sem nenhum registro, mas felizmente o grupo retornou com o excelente "The Art of Dying". E de lá pra cá a banda parece se superar a cada título.

Death Angel: Em coma com COVID-19, baterista viu Satã e não o achou legalO tempo, ah o tempo!: rockstars nos anos oitenta e hoje

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"The Dream Calls for Blood", o mais recente, não traz nenhuma fórmula nova. Continuam na mesma pegada, ou seja, executam um Thrash Metal pesado, rápido, furioso e cheio de qualidade em seus quase 50 minutos de duração. O que, de fato, nos chama bastante a atenção são os riffs de guitarra matadores, solos bem feitos e as vocalizações cheias de agressividade.

Os destaques são diversos: a abertura "Left for Dead" possui um início dedilhado e lento, mas logo apresenta um ritmo avassalador; "The Dream Calls for Blood", a faixa título, traz um baixo pesado e marcante, além de um solo de guitarra que impressiona; "Execution / Don’t Save Me" tem uma introdução tranquila e bela, mas rapidamente cede lugar ao peso e velocidade.

Foi também lançada uma versão especial em formato digipack incluindo o cover da "Heaven and Hell" do BLACK SABBATH e um DVD contendo o making of das gravações do álbum.

Fato é que "The Dream Calls for Blood" é um trabalho bem cuidado e empolgante, trazendo uma banda que se mostra cada vez mais madura, técnica e profissional. Uma obra imperdível para os fãs do bom Thrash Metal feito por quem, na realidade, entende muito bem do assunto.

Banda: Death Angel
País de Origem: Estados Unidos
Título do álbum: The Dream Calls for Blood
Ano: 2013
Estilo: Thrash Metal
Gravadora: Nuclear Blast

Line-up:

Rob Cavestany – Guitarra
Mark Osegueda – Vocais
Ted Aguilar – Guitarra
Damien Sisson – Baixo
Will Carroll – Bateria

Faixas:

1. Left for Dead
2. Son of the Morning
3. Fallen
4. The Dream Calls for Blood
5. Succubus
6. Execution / Don’t Save Me
7. Caster of Shame
8. Detonate
9. Empty
10. Territorial Instinct / Bloodlust


Outras resenhas de Dream Calls for Blood - Death Angel

Resenha - Dream Calls for Blood - Death AngelResenha - Dream Calls for Blood - Death Angel



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Death Angel: Em coma com COVID-19, baterista viu Satã e não o achou legalDeath Angel
Em coma com COVID-19, baterista viu Satã e não o achou legal

Thrash Metal: assista vídeos do documentário com Metallica, Megadeth, Testament e outrosThrash Metal
Assista vídeos do documentário com Metallica, Megadeth, Testament e outros

Há 30 anos: Death Angel lançava o clássico Act III

Death Angel: noiva de Will Carroll afirma que baterista já está em casaDeath Angel
Noiva de Will Carroll afirma que baterista já está em casa

Death Angel: Rumores de minha morte foram muito exagerados, ironiza Will CarrollDeath Angel
"Rumores de minha morte foram muito exagerados", ironiza Will Carroll

Death Angel: Will Carroll se manifesta pela primeira vez após 12 dias em comaDeath Angel
Will Carroll se manifesta pela primeira vez após 12 dias em coma


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1990Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1990

Thrash Metal: os 10 melhores discos do século 21, segundo o LoudwireThrash Metal
Os 10 melhores discos do século 21, segundo o Loudwire


O tempo, ah o tempo!: rockstars nos anos oitenta e hojeO tempo, ah o tempo!
Rockstars nos anos oitenta e hoje

Iron Maiden: O que a equipe consome quando vai a um pub?Iron Maiden
O que a equipe consome quando vai a um pub?


Sobre Pierre Cortes

Pierre Cortes, paulistano, bacharelado em Publicidade e em Cinema, amante da fotografia e escrita, apreciador do Heavy Metal e todas as suas subdivisões desde o início dos anos 80, colaborador do Whiplash.Net desde 2011, Twitter - @pierrecortes.

Mais matérias de Pierre Cortes no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor