Ensiferum: Um mundo de lutas e vitórias, de calmaria e guerra

Resenha - Iron - Ensiferum

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Diogo de França Santos
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Iron é o segundo álbum da banda Finlandesa de Folk/Viking metal, Ensiferum, o último com Jari Mäenpää (Wintersun) no grupo. Jari saiu após o álbum estar finalizado em 2003. Em 2004 essa obra prima foi lançada.

Slayer: "Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da BarbieRockstars: Tatuagens que possivelmente geram arrependimento

3 anos após o lançamento do seu primeiro álbum oficial, o Ensiferum lança esse que é considerado o melhor e mais consistente trabalho do grupo.

Iron te "joga" em um mundo de lutas e vitórias, de calmaria e guerra. Como um livro épico, deve ser apreciado como um trabalho só, todas as músicas contribuindo como capítulos de uma história.

"Ferrum Aeternum" abre o álbum, uma intro que começa com instrumentos de sopro e lentamente outros instrumentos preenchem a harmonia, lembrando o que seria o momento de preparação para batalha.

Logo após temos "Iron", canção que da nome ao álbum. Uma das mais famosas da banda. Tem como destaque a linha do teclado que gruda na cabeça assim que ouvida. Nesse momento somos "lançados" no meio da guerra, cada riff tocado lembra a espada passando pela carne do inimigo.

Depois "Sword Chant" aparece, a canção da espada. Nesse momento a batalha passou, e você e seu exercito de guerreiros marcham rumo a próxima luta.

"Mourning Heart" da as caras, com seu teclado e levada suave. Passa o que seria o descanso da sua tropa, o momento de reflexão do que pode ser o seu último momento na terra média.

A saga continua com "Tale of revenge". Que começa mais cadenciada mas sem perder o "peso" tão característico do Viking Metal. Por volta dos 2 minutos de música, a velocidade aumenta, junto com essa pegada influênciada pelo Power Metal, nesse momento o sentimento de uma batalha inesperada é claro.

"Lost in Dispair" é a música das perdas em batalha. Com vocal limpo e levada mais lenta, se ouve claramente o sofrimento passado.

Logo após temos a mais "pesada" do álbum, "Slayer of Light", passa toda a fúria da guerra. Uma canção curta, de um pouco mais de 3 minutos, sem solos. É um grande destaque desse trabalho, furiosa do começo ao fim, essa canção faz com que você "bata cabeça" desde o primeiro segundo de duração.

Depois temos a canção da batalha, "Into Battle". Com Riffs memoraveis e atmosfera épica, é outro grande destaque do álbum. "Lai lai hei" cantada em língua nativa e inglês, passa a sensação de vitória. O momento de pegar sua caneca e encher de hidromel para celebrar.

"Tears" fecha essa obra. Com vocal de Kaisa Saari, lembra o momento antes dos créditos de um filme do "Senhor dos Anéis". Levadas calmas e instrumentos acústicos são os últimos sons ouvidos neste grande álbum.

Este álbum só não merece nota 10 porque não foi composto por deuses nórdicos.

SetList

Ferrum Aeternum
Iron
Sword Chant
Mourning Heart - Interlude
Tale of Revenge
Lost in Despair
Slayer of Light
Into Battle
LAI LAI HEI
Tears

Banda

Jari Mäenpää − Vocais, guitarra
Markus Toivonen − Guitarra, backing vocals
Meiju Enho − Teclado
Jukka-Pekka Miettinen − Baixo
Oliver Fokin − Bateria

Kaisa Saari − Vocal na "Tears"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ensiferum"


Riffs parecidos: ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outrosRiffs parecidos
ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outros


Slayer: Raining Blood é brutal, mesmo com a bateria da BarbieSlayer
"Raining Blood" é brutal, mesmo com a bateria da Barbie

Rockstars: Tatuagens que possivelmente geram arrependimentoRockstars
Tatuagens que possivelmente geram arrependimento

U2: as 10 melhores músicas de todos os tempos da bandaU2
As 10 melhores músicas de todos os tempos da banda

Alice in Chains: mensagem subliminar na capa de The Devil Put Dinosaurs HereAlice in Chains
Mensagem subliminar na capa de "The Devil Put Dinosaurs Here"

Ultimate Guitar: as 28 canções mais sombrias de todos os temposUltimate Guitar
As 28 canções mais sombrias de todos os tempos

Rammstein: Veja o que os alemães pensam sobre a banda (vídeo)Rammstein
Veja o que os alemães pensam sobre a banda (vídeo)

Power Metal: 10 álbuns essenciais segundo About.comPower Metal
10 álbuns essenciais segundo About.com


Sobre Diogo de França Santos

Diogo Santos, 21 anos, estudante de Marketing, paulistano, apaixonado por música, amante do heavy metal e suas vertentes, guitarrista quando lhe convém, frequentador de shows. Thrash metal é vida, ou morte, dependendo da sua visão. "You can't kill the metal, the metal will live on".

Mais matérias de Diogo de França Santos no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336