S.O.D.: Um projeto só de curtição que virou uma coisa enorme

Resenha - Speak English Or Die - S.O.D.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Noé de Souza
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 10


A década de 1980 foi muito produtiva para o Rock/Heavy Metal em geral. Vários discos foram peças fundamentais para o crescimento do cenário, mas apenas UM álbum foi o estopim para o movimento virar de cabeça para baixo. E esse registro era Speak english Or Die, do Stormtroopers Of Death.

Fotos de Infância: Joey Jordison e Corey Taylor, do SlipknotLemmy: "as pessoas se tornam melhores quando morrem"

Pelo nome, poderia ser mais uma banda de Punk/Hardcore de Nova York, mas o que ninguém esperava era que os integrantes dessa então nova empreitada eram ninguém menos que os integrantes Scott Ian (guitarra, Anthrax), Charlie Benante (bateria, Anthrax), Dan Lilker (baixo, Nuclear Assault, Brutal Truth, ex-Anthrax) e Billy Milano (vocal).

Durante as gravações de Spreading The Disease (1985), Scott ficou de saco cheio no estúdio e resolveu gravar alguns riffs e desenhar um personagem chamado Sargent D. Esse mesmo alter-ego, que se tornaria o mascote do projeto (uma espécie de irmão gêmeo do Eddie, do Iron Maiden), dizia slogans, como "eu não sou racista, odeio todo mundo". Foi então que teve a ideia de formar um projeto que misturava Metal com Hardcore.

Scott se juntou com seu parceiro do Anthrax, Charlie, e Dan para compor as músicas. Segundo o guitarrista, ele queria gravar com o baixista de qualquer jeito, já que ele não ficou feliz com a saída dele, após o disco Fistful Of Metal (1984). No vocal, chamou Billy Milano, que era baixista do Psychos, mas era um letrista de primeira.

Formada a banda, gravaram uma demo de 63 (!) músicas, a Crab Society North, e, junto com o produtor Alex Perialas, lançaram o épico Speak English Or Die. Com 21 pérolas (incluindo algumas vinhetas) e algumas com menos de três minutos, o disco virou uma bomba-relógio para a cena toda.

Faixas como March of the S.O.D., Kill Yourself, Milano Mosh, A faixa-título, Freddy Krueger e United Forces se tornaram hinos de batalha, sendo que essa última virou um elo de união de Punks e Headbangers, que antes se "matavam" nos shows. Outra faixa que virou mantra é a The Ballad Of Jimi Hendrix, que nada mais era que uma releitura de Purple Haze de 5 segundos, terminando com "You're Dead!"

As letras, apesar de sarcásticas, eram polêmicas. Por isso que a banda foi acusada de nazista e nacionalista, por causa das faixas Speak English Or Die e Fuck The Middle East, já Chromatic Death fala sobre aniquilar a raça humana como medida para higiene ambiental. Dan Lilker declarou que "Nossas letras nunca foram sérias, só as fizemos para irritar as pessoas".

Mesmo com toda essa situação, nada mudou na trajetória do S.O.D., que vendeu mais de um milhão de cópias, além de abrir shows do Motörhead e Plasmatics, em que os músicos entravam no palco andando de bicicletas, imitando a banda Manowar.

Enquanto a popularidade do S.O.D. aumentava, a estabilidade do Anthrax ficava abalada. Depois de tirar fotos promocionais para o filme A Hora do Pesadelo, junto com o ator Robert Englund (o Freddy Krueger), os integrantes resolveram seguir seus caminhos.

Scott e Charlie focaram no anthrax, Dan montou o Nuclear Assault e Billy formou o M.O.D., que lançou USA for M.O.D., que nada mais era um disco que o S.O.D. lançaria.

Dan resumiu o "fim" da banda: "Essa era uma das razões pelas quais a duração do S.O.D. foi abreviada na época. Outras pessoas do Anthrax estavam bravas com isso. a gente precisa lembrar que era pra ser um projeto só de curtição e, de repente, bum!, virou uma coisa enorme".

Formação:

Billy Milano - vocal
Scott Ian - guitarra
Dan Lilker - baixo
Charlie Benante - bateria

Tracklist:

"March of the S.O.D." - 1:27
"Sargent D & the S.O.D." - 2:23
"Kill Yourself" - 2:11
"Milano Mosh" - 1:32
"Speak English or Die" - 2:24
"United Forces" - 1:53
"Chromatic Death" - 0:43
"Pi Alpha Nu" - 1:09
"Anti-Procrastination Song" - 0:06
"What's That Noise" - 1:00
"Freddy Krueger" - 2:32
"Milk" - 1:54
"Pre-Menstrual Princess Blues" - 1:20
"Pussy Whipped" - 2:14
"Fist Banging Mania" - 2:04
"No Turning Back" - 0:52
"Fuck the Middle East" - 0:27
"Douche Crew" - 1:35
"Hey Gordy!" - 0:07
"Ballad of Jimi Hendrix" - 0:05
"Diamonds and Rust" (Extended Version) - 0:05


Outras resenhas de Speak English Or Die - S.O.D.

SOD: riffs e idéias aleatórias inspiradas pelo HardcoreS.O.D.: "Fale Inglês ou Morra": Os 30 anos da clássica estreia




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "S.O.D."


SOD: a polêmica sátira da capa de The Number of the BeastSOD
A polêmica sátira da capa de "The Number of the Beast"

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1985

Scott Ian: guitarrista explica o fim do SODScott Ian
Guitarrista explica o fim do SOD


Fotos de Infância: Joey Jordison e Corey Taylor, do SlipknotFotos de Infância
Joey Jordison e Corey Taylor, do Slipknot

Lemmy: as pessoas se tornam melhores quando morremLemmy
"as pessoas se tornam melhores quando morrem"

Solos de guitarra: lista dos 50 melhores segundo a NMESolos de guitarra
Lista dos 50 melhores segundo a NME

Nirvana: Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivoNirvana
Dave Grohl explica porque não toca clássicos ao vivo

Top 5 Pantera: About.com elege os cinco melhores álbuns da bandaTop 5 Pantera
About.com elege os cinco melhores álbuns da banda

Megadeth: Música foi inspirada na série VikingsMegadeth
Música foi inspirada na série Vikings

Dave Mustaine: religião é para quem tem medo de ir para o infernoDave Mustaine
Religião é para quem tem medo de ir para o inferno


Sobre Rodrigo Noé de Souza

Nasci em 1984. Esse ano não é só o início de uma nova democracia, mas também é o ano em que vários discos foram lançados, como Powerslave (IRON MAIDEN), Stay Hungry (TWISTED SISTER), W.A.S.P., Don't Break The Oath (Mercyful Fate), Slide It In (WHITESNAKE), 1984 (VAN HALEN), The Last In Line (DIO) e, o meu favorito de todos, Ride the Lightning (METALLICA). Sou um aficcionado por Metal, desde AC/DC e ZZ Top, até Anaal Nathrakh e Krisiun. Sou Jornalista, blogueiro, facebookeiro, o que for. Quem quiser saber o que eu escrevo, acessem meu blog: www.esporropublico.zip.net.

Mais matérias de Rodrigo Noé de Souza no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336