SupreMa: profissionalismo em voga

Resenha - Traumatic Scenes - SupreMa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Vitor Franceschini
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


À época do lançamento deste seu primeiro disco, o Suprema era formado por Douglas Jen (guitarras), Pedro Nascimento (vocal), Gabriel Conti (baixo) e Helmut Quacken (bateria). Atualmente Fábio Carito (baixo, Shadowside) e Fernando Castanha (bateria) formam a atual cozinha.

5000 acessosMamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?5000 acessosAC/DC: a história do nome e a idéia do uniforme de Angus

Sempre trabalhando com alto grau de profissionalismo, os paulistanos apostaram todas suas fichas neste debut e o resultado não poderia ser tão satisfatório. Tanto que o trabalho é conceitual e a história baseada no thriller “O Invisível”, do diretor David S. Goyer.

Falando da música, não há o que questionar. Afinal, o Power/Prog Metal apresentado pelo grupo é digno de gente grande. Músicas bem estruturadas, dando ênfase desde o instrumental ao trabalho vocal, aliando peso a arranjos bem encaixados, tudo com uma produção de alto nível, a cargo de Heitor Rangel, Pedro Nascimento e Douglas Jen, no Barulho Estúdio.

A versatilidade da banda em executar composições mais rápidas e outras mais intricadas já fica em voga na faixa Dark Journey, que abre o disco após a introdução Marks Of Time. Rápida e agressiva, seu riff inicial já joga o ouvinte pra história sem perder tempo.

Visions Of The Other Side e sua veia Prog Metal mostra o lado mais cadenciado e acessível da banda, apesar da complexidade. Talvez seja a faixa mais atraente do trabalho, com um ótimo refrão. Ainda devo mencionar Burnin My Soul, onde a participação de Victor Prospero (Seventh Seal) nos vocais guturais é o destaque – ele ainda aparece em Visions Of The Other Side e na faixa título - além Nightmare que foi sabiamente escolhida como música de trabalho (veja o clipe no final da resenha).

Fica difícil resumir “Traumatic Scenes” em apenas uma resenha, de tão detalhado que o trabalho é. Portanto, é bom que além de procurá-lo para ouvir, você busque todas as informações devidamente contidas no site da banda. É sempre bom apreciar álbuns como este debut.

http://www.suprema-online.com/
http://www.facebook.com/supremabr

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Traumatic Scenes - SupreMa

770 acessosSupreMa: aula de Prog Metal feito por time cheio de propriedade


0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Suprema"

Metal BrazucaMetal Brazuca
Algumas bandas que você precisa conhecer

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Suprema"


Mamonas AssassinasMamonas Assassinas
Músicos já sabiam que iam morrer?

ACDCACDC
A história do nome e a idéia do uniforme de Angus

AnthraxAnthrax
Scott Ian escolhe seus hinos favoritos do heavy metal

5000 acessosMike Terrana: "Malmsteen foi uma das piores pessoas que conheci!"5000 acessosEm 10/08/1993: Euronymous é assassinado por Varg Vikernes5000 acessosAxl Rose: Texto analisa rivalidade com Kurt Cobain3098 acessosIron Maiden: o nervosismo de Bruce Dickinson nos primeiros shows5000 acessosGhost: Papa Francisco impede apresentação da banda nos EUA3955 acessosMegadeth: banda toca com orquestra de instrumentos feitos de lixo

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


Sobre Vitor Franceschini

Jornalista graduado tem como principal base escrever sobre Rock e Metal, sua grande paixão. Ex-editor do finado Goredeath Zine, atual comandante do blog Arte Metal, além de colaborador de diversos veículos do underground.

Mais matérias de Vitor Franceschini no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online