Agressive: segunda demo é porrada do início ao fim

Resenha - Legacy Remains - Agressive

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A banda cearense AGRESSIVE sempre toca para casa cheia onde quer que se apresente, seja abrindo para outras bandas ou em grandes e pequenos festivais. Uma das razões para isso é a espetacular performance de palco dos meninos (sim, eles são todos ainda recém-saídos da adolescência ou nem isso), especialmente do vocalista Diego Barbosa. Porém, performance no palco não seria nada se eles não atacassem seus instrumentos e fizessem um som a altura. Lançada este ano, a segunda demo "The Legacy Remains" é porrada do início ao fim. Com seis sons que trazem de volta toda a energia e fúria do thrash metal old-school, executada de forma que é impossível não bater cabeça, esteja você em um show dos carinhas ou esteja em sua casa tomando uma cerveja.

Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusSteve Vai: O dia em que ele foi humilhado por Chimbinha

O CD começa com uma porrada, a faixa título, com uma longa e matadora introdução instrumental. Não, não estou falando de teclados, partes lentas ou soturnas. É porrada mesmo, com guitarra, baixo e bateria. Como ninguém ali está para brincadeira, a pauleira segue com outras faixas muito boas como "Avalanche of Hate", "General Death", "Dictators Sarcastic", numa gravação que está muito boa para uma demo, com todos os instrumentos recebendo o merecido destaque. O baixista Léo e o baterista Mateus estão muito bem, com boas levadas de baixo, boas viradas, tocando rápida e intensamente. O guitarrista Camilo Neto arrasa nos riffs e esse pode ser um dos motivos do sucesso que a banda faz no palco, gerando rodas grandes e violentas na plateia. Nos solos ele demonstrou uma grande evolução desde a primeira demo "Death and Chaos", mas ainda tem como melhorar. E isso certamente acontecerá pois os caras não param de compor e fazer shows. Com dez sons gravados nas duas demos, a banda de Caucaia (Região Metropolitana de Fortaleza) já pode começar a pensar em fazer um full-length, aproveitando o conteúdo que já produziram e incluindo mais umas duas ou três porradas.

O petardo, cuja capa bem oitentista ilustra muito bem o espírito da banda, foi gravado e mixado no Estúdio 764 e a distribuição ficou a cargo da Warhammer Distro e da MVCS Prod/Distro e pode ser encontrado nas bancas de merchandising nos shows de metal em Fortaleza ou em contato com os distribuidores: mvcspd@hotmail.com e warhammerdistro@hotmail.com

Um ponto que precisa ser melhorado para que a banda consiga mais e mais fãs Brasil afora e até no exterior (som os caras tem pra isso) é o inglês. Como grande parte das bandas do estilo, a banda escolheu compor no idioma de Shakespeare, mas não o domina, como se pode ver no próprio nome da banda (falta um "g") e em faixas como "General Death". Se você não se incomoda com isso (e mesmo se você se incomoda), esta demo vai fazer você pular da cadeira e bater cabeça como se estivesse ouvindo pela primeira vez o "Bonded By Blood".

Para entrar em contato com a banda, acesso o facebook abaixo.

http://www.facebook.com/AgressiveMetal

Line Up:
Diego Barbosa (v)
Camilo Neto (g)
Leo (b)
Mateus (d)

Set List:
The Legacy Remains
Avalanche of Hate
General Death
Dictators Sarcastic
Killer Machine
Infernal Soldier




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Agressive"


Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e DeusRockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus
Rockstars que atacaram a igreja, Jesus Cristo e Deus

Steve Vai: O dia em que ele foi humilhado por ChimbinhaSteve Vai
O dia em que ele foi humilhado por Chimbinha

Entrevistas: Coices e tretas entre artista e entrevistadorEntrevistas
Coices e tretas entre artista e entrevistador

Psicografia: uma suposta carta do espírito de Cássia EllerHeavy Metal: 5 músicos que não são metaleiros mas amam o estiloOzzy Osbourne: Madman desiste definitivamente de dirigirKirk Hammett perdendo a guitarra para o público em 1983

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.