Amon Amarth: muito mais brutal que a maioria das bandas do estilo

Resenha - Deceiver of the Gods - Amon Amarth

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

9


Após o excepcional "Surtur Rising" (2011), os vikings mais amados do metal contemporâneo retornam com um novo disco, novamente surpreendendo o ouvinte, com outro trabalho memorável, e que certamente figurará entre os melhores de sua discografia.

Melodic death metal: 10 discos essenciais do estilo, segundo a Metal HammerRockstars: as filhas mais lindas dos astros do rock

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Embora mantenha uma sonoridade bem agressiva e brutal, o disco mostra a banda ainda mais preocupada em criar boas melodias, que cativem facilmente o ouvinte, como fica claro em cada uma das 10 faixas da versão regular do álbum. Mas, como fica claro em toda a discografia da banda, e aqui é mais uma vez comprovado, não há como simplesmente classificar o som da banda como death metal melódico, pois o AMON AMARTH é muito mais brutal que a maioria das bandas do estilo, mas mesmo assim consegue também se destacar pelos ótimos arranjos, belas melodias criadas e uma variedade de outras influências que tornam sua música única.

"Deceiver of the Gods" e "As Loke Falls", escolhidas para abrir o trabalho, mostram que a banda está em plena forma, e trazem ainda influências muito bem vindas de thrash metal.

Outro grande destaque fica para a maravilhosa "Hel", que conta com a presença mais especial de Messiah Marcolin (ex-CANDLEMASS), e possuí um dos riffs mais legais da carreira da banda, e um clima soturno de arrepiar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A produção do mestre Andy Sneap também precisa ser mencionada, pois a qualidade sonora do álbum beira a perfeição, com timbres de guitarra estupendos, mas sem ofuscar os demais instrumentos e as linhas vocais, que trilham seus caminhos de forma orgânica e precisa.

Portanto, o AMON AMARTH mais uma vez mantém sua fama de nunca decepcionar os fãs, e a cada novo lançamento amplia ainda mais seus horizontes musicais. Certamente um disco a constar da lista dos melhores de 2013.

Deceiver of the Gods – Amon Amarth
(2013 – Metal Blade - Importado)

Tracklist:
CD 1:
1. Deceiver of the Gods
2. As Loke Falls
3. Father of the Wolf
4. Shape Shifter
5. Under Siege
6. Blood Eagle
7. We Shall Destroy
8. Hel
9. Coming of the Tide
10. Warriors of the North

CD 2 (deluxe edition)
Under the Influence (EP):
1. Burning Anvil of Steel
2. Satan Rising
3. Snake Eyes
4. Stand Up to Go Down


Outras resenhas de Deceiver of the Gods - Amon Amarth

Resenha - Deceiver of the Gods - Amon AmarthResenha - Deceiver of the Gods - Amon Amarth



Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Melodic death metal: 10 discos essenciais do estilo, segundo a Metal HammerMelodic death metal
10 discos essenciais do estilo, segundo a Metal Hammer


Amon Amarth: é impossível viver de música hoje em diaAmon Amarth
"é impossível viver de música hoje em dia"

Heavy Metal: as 10 capas mais de macho de todos os temposHeavy Metal
As 10 capas mais "de macho" de todos os tempos


Rockstars: as filhas mais lindas dos astros do rockRockstars
As filhas mais lindas dos astros do rock

Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280