Stone Sour: auto conhecimento com toques surrealistas

Resenha - House of Gold & Bones - Stone Sour

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Júlio César Tortoro Ribeiro
Enviar Correções  

8


O Stone Sour lançou em 2012, seu projeto mais ambicioso da carreira, inicialmente planejado como álbum duplo, House of Gold & Bones foi dividido em duas partes, é um álbum conceitual que fala sobre uma jornada pessoal de altos e baixos, e auto conhecimento com toques surrealistas.

Corey Taylor: Ele não tem mais nem as senhas de suas redes sociais

Megadeth: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Aliás as letras e as interpretações de Corey Taylor são fenomenais, um dos melhores trabalhos da extensa carreira do vocalista. Essa nova jornada marca a saída de Shawn Economaki, baixista e um dos fundadores da banda ao lado de Taylor e do guitarrista James Root. Para as gravações foi recrutado Rachel Bolan (Skid Row) que está como convidado.

Musicalmente encontramos um álbum rico em arranjos e variações que prendem o ouvinte, os caras estavam realmente inspirados, desde músicas mais pesadas, remetendo ao Heavy Metal até baladas mais melancólicas. O mais legal de House of Gold & Bones é que ele não se prende a rótulos, e consegue transcender classificações pré estabelecidas, sendo feito de maneira espontânea e criativa.

As guitarras foram privilegiadas, James Root e Josh Rand estão em ótima forma, alternando riffs pesados, solos e duetos, sempre bem encaixados de acordo com o que cada música precisa, e talvez essa dinâmica abriu espaço para canções marcantes e variadas. Falar de Corey Taylor é algo fácil, ele é bom demais no que faz, canta muito e interpreta como ninguém, um grande vocalista e ótimo letrista.

O álbum abre com Gone Sovereign, com uma parede de guitarras no riff inicial e os vocais nervosos de Taylor. O baixo de Bolan entra quebrando tudo junto com a bateria veloz e intrincada do competente Roy Mayorga, os solos aparecem surpreendendo com escalas rápidas e duetos, característica pouco comum nos álbuns anteriores.

A seqüência com Absolute Zero, que vem emendada na abertura, numa pegadas cadenciada flertando com um Hard Rock bem pesado, característico do Stone Sour, os vocais contrastam partes urradas com melodia no refrão, que vem forte e marcante. Uma música com muito potencial para ser clássico do grupo.

A introdução acústica Travelers Pt 1 é um tema melancólico com incursões orquestrais e violões, com vocais bem suaves de Taylor, e abre espaço para a balada Tired, outro destaque do álbum, uma balada com toque progressivo, dotada de um grande refrão, James Root aparece muito bem com um ótimo solo de guitarra.

Os timbres pesados das guitarras de My Name is Allen casam bem com o vocal rasgado e a bateria pulsante de Mayorga, um som macabro, combinando com o personagem apresentado na mesma. A música lembra os temas mais cadenciados do Slipknot.

Last Of The Real fecha o álbum com uma pegada moderna e com muito groove graças a linha baixo de Rachel Bolan que aparece com força, distorcido e ditando o ritmo, Corey Taylor parece furioso, com uma grande performance.

House of Gold & Bones Pt 1, mostrou todo o potencial do Stone Sour, um dos grandes albuns de 2012, A segunda parte acabou de ser lançada e em breve vocês poderão conferir o review aqui no Its Electric.

House of God & Bones Part 1 (2012)

1. Gone Sovereign
2. Absolute Zero
3. A Rumor of Skin
4. The Travelers (Pt. 1)
5. Tired
6. RU486
7. My Name Is Allen
8. Taciturn
9. Influence of a Drowsy God
10. The Travelers (Pt. 2)
11. Last of the Real

Stone Sour:

Corey Taylor − vocals e piano
James Root − guitarra ritmica e solo
Josh Rand − guitarra ritmica e solo
Roy Mayorga − Bateria
Rachel Bolan - Baixo

Its Electric - http://itselektric.blogspot.com.br/2013/04/stone-sour-house-of-gold-bones-pt-1.html




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Corey Taylor: Ele não tem mais nem as senhas de suas redes sociaisCorey Taylor
Ele não tem mais nem as senhas de suas redes sociais

Corey Taylor: confira vídeo oficial de HWY 666, excelente música de álbum soloCorey Taylor
Confira vídeo oficial de "HWY 666", excelente música de álbum solo

Corey Taylor: vocalista toca Black Eyes Blue ao vivo na TV japonesaCorey Taylor
Vocalista toca "Black Eyes Blue" ao vivo na TV japonesa

Corey Taylor: vocalista faz participação em música do rapper Tech N9neCorey Taylor
Vocalista faz participação em música do rapper Tech N9ne

Stone Sour: Deu o que tinha que dar, diz Corey TaylorStone Sour
"Deu o que tinha que dar", diz Corey Taylor

Corey Taylor: Ele estava ficando viciado nas redes sociais, e caiu fora de tudoCorey Taylor
Ele estava ficando viciado nas redes sociais, e caiu fora de tudo

Corey Taylor: cantor anuncia álbum solo e lança clipe com Halford, Lars, Manson e maisCorey Taylor
Cantor anuncia álbum solo e lança clipe com Halford, Lars, Manson e mais

Corey Taylor: filho do vocalista se arrebenta andando de bicicleta, mas passa bemCorey Taylor
Filho do vocalista se arrebenta andando de bicicleta, mas passa bem

Corey Taylor: música do primeiro disco solo será lançada nesta quarta-feira (29)Corey Taylor
Música do primeiro disco solo será lançada nesta quarta-feira (29)

Corey Taylor: vocalista divulga bastidores de vídeo de seu projeto soloCorey Taylor
Vocalista divulga "bastidores" de vídeo de seu projeto solo


Corey Talor: Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otárioCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

Corey Taylor: o amor do vocalista pelo Iron MaidenCorey Taylor
O amor do vocalista pelo Iron Maiden


Megadeth: Perguntas e respostas e curiosidades diversasMegadeth
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Black Metal: banda brasileira fez clipe mais bizarro do universoBlack Metal
Banda brasileira fez clipe mais bizarro do universo


Sobre Júlio César Tortoro Ribeiro

Paulistano fanático por música e lutas, não sou jornalista, mas sempre gostei de escrever como Hobby, e por isso mantenho um blog totalmente amador chamado Its Electric no qual discorro sobre esses assuntos. Sou contra o radicalismo e apóio quem como eu ainda compra material das bandas e escreve sobre as mesmas por puro gosto.

Mais matérias de Júlio César Tortoro Ribeiro no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin