Avatar: ampliando os horizontes de sua sonoridade

Resenha - Black Waltz - Avatar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Sem dúvida esse quarto disco dos suecos do AVATAR irá surpreender seus fãs. A banda, formada em 2001, sempre foi conhecida por praticar aquele death metal melódico pesado, com elementos que lembravam em especial SOILWORK e IN FLAMES. Mas, no novo disco, os caras buscaram ousar, saindo do lugar comum e ampliando os horizontes de sua sonoridade.

Guns N' Roses x Nirvana: o que ocorreu em 1992?Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey

Mas que fique claro uma coisa: os caras não abandonaram de vez o death metal melódico que sempre praticaram. Porém, resolveram adicionar diversas outras influências, principalmente de metal gótico, industrial e de math metal, criando uma sonoridade bem diversificada e difícil de rotular. Imaginem uma mescla de bandas como SOILWORK, DEATHSTAR, RAMMSTEIN e MESHUGGAH, para se ter uma "leve" ideia da sonoridade deste quinteto.

Além disso, a temática abordada pela banda é bem sombria, como se observa da própria capa e dos clipes lançados para divulgar o material, que mostram o vocalista Johannes Eckerstrom com um pintura que lembra um palhaço diabólico totalmente insano, com vocalizações que variam entre o agressivo, o melodioso e o agonizante, todas com muita competência. As guitarras também estão pesadíssimas e cheias de groove, com ótimos riffs e solos. A cozinha não é tão técnica, sendo inclusive bem previsível, mas não compromete no geral o som dos caras.

Com uma produção fantástica, a banda apresenta 11 faixas muito legais, coesas e variadas, e que farão com que muitos dos antigos fãs mais tradicionalistas torçam o nariz até quebrar o pescoço. Mas, se você tem a cabeça mais aberta e curte sons mais modernos e diferentes, com certeza irá se empolgar ao ouvir faixas como "Let us Die", "Torn Apart", "Black Waltz", "Let it Burn" e "Paint Me Red", pois são de inegável qualidade, e demonstram uma nova faceta criativa do AVATAR.

"Black Waltz", pois, mostra muita coragem, pois uma banda com mais de uma década de estrada, e com uma carreira já estabilizada (sem grande sucesso, é verdade), se reinventando deste jeito, é algo raro, ainda mais com esta qualidade. Por isso, deixe os preconceitos de lado, escute o disco, e tire suas próprias conclusões.

Black Waltz - Avatar
(2012- Sony Music - Importado)

Track List:

Formação:
Johannes Eckerström - vocals
Jonas Jarlsby - guitars
Tim Öhrström - guitars
Henrik Sandelin - bass
John Alfredsson – drums

Track List:

Let Us Die
Torn Apart
Ready for the Ride
In Napalm
Black Waltz
Blod
Let it Burn
One Touch
Paint Me Red
Smells Like a Freakshow
Use Your Tongue




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Guns N' Roses x Nirvana: o que ocorreu em 1992?Guns N' Roses x Nirvana
O que ocorreu em 1992?

Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin