RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemPor que Lemmy odiava tocar "Ace of Spades" nos shows do Motörhead

imagemOmelete diz que heavy metal pertence agora à nova geração e não ao tiozão headbanger

imagemA atitude punk da Legião Urbana que causou irritação e deu trabalho na gravação

imagemO hit dos Beatles que talvez seja sobre drogas e que "Jesus" acompanhou gravação

imagemQuatro músicas de artistas brasileiros que citam Os Paralamas do Sucesso

imagemO brasileiro com a voz parecida com a de Axl Rose que viralizou no TikTok

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemO conselho realista de John Petrucci para bandas que estão começando agora

imagem5 motivos para assistir ao novo RockGol 2023 que estreia em fevereiro

imagem"Quem não gosta de Beatles bom sujeito não é", diz João Gordo

imagemDeep Purple: David Coverdale revela quem quis como substituto de Ritchie Blackmore

imagemAndi Deris tem problemas de saúde e shows do Helloween são adiados

imagemClipe de "From The Ashes" ultrapassa 1 milhão de views e Fernanda Lira celebra

imagemProdutor da turnê de Paul Di'Anno explica problemas no primeiro show


Stamp

Anathema: Uma experiência lisérgica!

Resenha - A Fine Day To Exit - Anathema

Por Leandro Peroni
Postado em 06 de agosto de 2012

Nota: 9

O Anathema é uma das bandas mais surpreendentes da história da música pesada. Conhecida mundialmente como um dos pilares do Death/Doom Metal inglês ao lado de Paradise Lost e My Dying Bride. O primeiro álbum, "Serenades" (1993), se tornou um clássico absoluto com tudo de mais classudo que o estilo tem direito e doses estratosféricas de peso e melancolia... Já no segundo, "The Silent Enigma" (1995), a banda começou a mudar sua sonridade para algo mais melodioso e trabalhado, com Vincent Cavanagh assumindo também os vocais, algo que mudaria muito o som da banda já que os guturais urrados e secos do primeiro disco deram lugar à um tipo de vocal sussurrado que se tornava impressionentemente desesperado nos refrões! Só que o passo definitico seria dado com o álbum "Eternity" (1996), onde a banda passou a fazer um som cada vez mais melancólico, porém sem o peso de outrora e sem vocais extremos, com Vincent se mostrando um cantor versátil e com uma voz limpa muito bonita. Após o estardalhaço causado pelo "Alternative 4" (1997) e o belíssimo "Judgement" (1999), a banda lançou o quase sempre "esquecido" A Fine Day To Exit (2001)... um dos melhores discos da banda, sem dúvida!

1 - Pressure

Duas notas... tristes e melancólicas... é assim que começa o disco. A voz de Vincente Cavanagh mais uma vez está afiadíssima, melancólica e até mesmo "desesperada" na medida certa. O refrão é muito bonito, gruda facilmente na cabeça após algumas audições. A música mantém aquele clima alternativo, sem muito peso (apenas em um solo meio psicodélico no meio), mas ainda sim agrada! Um ótimo começo.

2- Release

Introdução acústica com um sampler disparando sons eletrônicos fazem a base para a voz aveludada de Vincent dar inicio à mais uma belíssima música. Essa já é um pouco mais pesada que a anterior, porém menos densa, e com mais um ótimo refrão. As guitarras tem um papel muito mais importante nessa faixa (já que a anterior era guiada pelo piano) e as dobras de voz no refrão também são marcantes. Um simples, porém eficiente, solo de guitarra finaliza a música com chave de ouro! Um dos destaques do disco.

3- Looking Outside Inside

Começo muito bonito com violões e orquestrações, uma batida meio pop seguida dos vocais quase sussurrados (algo que a banda se especializaria no futuro), desemboca uma ponte e um refrão que não me agradam muito (questão de gosto)... Embora pegajoso, o refrão tem uma melodia muito estranha, mas muitos podem discordar de mim. Na minha opinião, uma das mais fracas do disco, porém é uma bela faixa!

4- Leave No Trace

Essa poderia ter sido uma música do Pink Floyd. Todos sabem que o grupo de Waters e Gilmour é uma das maiores influências para o Anathema e essa música deixa isso bem evidente. As vezes essa música também me lembra o Opeth, mas no fim acaba sendo apenas Anathema. A parte mais psicodélica depois do refrão é extremamente viajante, um primor de música... Mais um dos destaques!

5- Underworld

Riff de guitarra muito bem composto, novamente acompanhado de um sampler e a linda voz de Vincent. A melodia é agradabilíssima, com certeza uma das mais belas do álbum. Essa música tambem é uma das mais pesadas do álbum, um ótimo Rock Alternativo lembrando muito os anos 90. O refrão com certeza é o mais marcante do álbum, sendo impossível não catarolar o "This Feeling Is Over, This Feeling Is Over Me" depois da primeira audição. A faixa mais forte do disco!

6- Barrier

A mais progressiva do disco. Começo muito viajante com um teclado muito bem timbrado, lembrando os anos 70, acompanhado de várias dobras de vozes (inclusive uma feminina). A bateria e os efeitos eletrônicos deixam bem claro que a banda também teve uma grande influência de King Crimson, já que daí pra frente é viajem garantida. A psicodelia progressiva impera nessa faixa, diferindo-a do restante do álbum que é muito mais Alternativo/Post- Rock.

7- Panic

A música mais pesada do álbum, quase um Punk. Um Rock rápido, de respeito, sem perder a melancolia típica da banda. Dentro de um disco tão calmo como esse, essa música cai como uma luva. A tipica música para sair do chão e bater cabeça adoidado! A grande supresa do álbum...

8- A Fine Day To Exit

Mais uma progressiva, guiada por violões e efeitos. Também é muito viajante, talvez até mais que Barrier, mas é de uma beleza incrivel. A partir do momento que a betria entra na canção ela se torna algo muito além de uma bela música, se torna quase um mantra para se ouvir de olhos fechados e se comunicar com todos os seus chacras interiores! Mais que uma música... Uma experiência lisérgica!

9- Temporary Peace

Minha preferida do álbum... A melodia calma, a melancolia, a voz de Vincent, o barulho das ondas do mar... tudo se completa! No desenrolar do tema uma voz feminina doce se cruza com a de Vincent até que somente a voz dele canta o belíssimo refrão, o melhor do álbum! Uma melodia belíssima capaz de arrancar lágrimas até de quem se diz insensível... Impossível não viajar cantando a parte em que ele repete "Drift And Out" inúmeras vezes até a cançaõ ter seu fim, dando lugar a uma série de efeitos que se prolongam por quase 19 minutos... Um encerramento perfeito para um grande disco!

[an error occurred while processing this directive]

A banda pode ter perdido muitos fãs pelo seu direcionamento musical, mas ganhou muitos outros... E eu fico me perguntando porque bandas como o Anathema nunca tiveram o merecido reconhecimento! No estio que se porpõem a fazer são muito melhores do que bandas "mainstream" como Coldplay e Radiohead... Fato é que não importa o quanto a banda motive polêmica, o importante é saber reonhecer boa música. Um dos melhores álbums da banda e que geralmente é ofuscado pelo brilho de "Judgement"(1999) e "A Natural Disaster" (2003).

[an error occurred while processing this directive]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps



Anathema até Motörhead: 10 bandas que usaram seus nomes como títulos de músicas

Opeth: "Fã de Metal só quer saber de ter seu McLanche Feliz"


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal