Evergrey: Repleto de melodias carregadas de emoção

Resenha - Glorious Collision - Evergrey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar Correções  

8


Depois de lançarem dois álbum medianos ("Monday Morning Apocalypse", de 2006, e "Torn", de 2008), e de ficarem sem gravadora devido à falência da SPV, os suecos do EVERGREY amargaram uma grande crise interna, que culminou com a saída de quase todos os seus membros, restando apenas o líder Tom S. Englund (vocal/guitarra) e Rikard Zander (teclados). E quando todos achavam que a banda iria encerrar sua carreira, eis que no início de 2011 eles voltam com esse excelente "Glorious Collision", seu oitavo trabalho de estúdio, que remete aos melhores momentos da banda.

Como todos sabem, Tom sempre foi a alma por trás da banda, e mais uma vez conseguiu lançar um grande trabalho, extremamente pesado e soturno, repleto de melodias carregadas de emoção, sendo o melhor trabalho da banda desde o clássico "The Inner Circle", de 2004.

publicidade

Além disso, os novos integrantes, Hannes Van Dahl (bateria), Marcus Jidell (guitarra) e Johan Niemann (baixo) trouxeram um novo gás para a banda. Tendo em vista os lançamentos anteriores do conjunto, era notório que existiam problemas internos. Contudo, agora, com força renovada, a banda voltou a ser matadora.

O grande destaque do álbum, como sempre, é Tom, tanto nos riffs soberbos que cria e executa (tente não destroncar o pescoço no riff do meio da música "You"), como na parte vocal, conseguindo atingir a excelência tanto nas partes mais agressivas e pesadas como nas mais suaves e melodiosas. Além disso, o som da banda continua bastante trabalhado, com diversas passagens de metal progressivo, e todos os demais músicos merecem aplausos.

publicidade

O álbum é todo muito bom, mas dentre as músicas, além da já citada "You", merecem destaque a abertura com a pesada "Leave It Behind Us", a mais comercial "Wrong" (que possui um clipe muito interessante), a emocional "The Phantom Letters" e a agressiva "Out of Reach", além da bela balada "... And the Distance", que na versão nacional vêm em duas versões, sendo uma bônus, com os vocais de Carina Englund, esposa de Tom.

publicidade

A gravação também é excelente, com todos os instrumentos bem dosados, o que ressalta ainda mais todo o caráter emocional da música do EVERGREY. Além disso, a arte gráfica do material é muito bonita, apresentada em forma de desenho em quadrinhos, fazendo referência às músicas da disco, cujas letras são muito introspectivas.

Enfim, trata-se de um álbum muito bom que, apesar de não ser um clássico imediato como "The Inner Circle", "Recreation Day" e "In Search for Truth", consegue colocar novamente em destaque o nome do EVERGREY. Torçamos para a banda se estabilize com esta formação, e continue lançando álbuns matadores como este.

publicidade

Glorious Collision – Evergrey
(2011 – Hellion Records – Nacional)

1. Leave It Behind Us
2. You
3. Wrong
4. Frozen
5. Restoring the Loss
6. To Fit the Mold
7. Out of Reach
8. The Phantom Letters
9. The Disease ...
10. It Comes from Within
11. Free
12. I m Drowning Alone
13. ... And the Distance
Bonus Track:
14. ... And the Distance (Featuring Carina Englund)


Outras resenhas de Glorious Collision - Evergrey

Evergrey: Danem-se os rótulos, o que importa é boa música




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

Tom Englund: os álbuns que marcaram o vocalista do EvergreyTom Englund
Os álbuns que marcaram o vocalista do Evergrey


Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista

Nirvana: Kurt Cobain era meio pau no cu, diz produtorNirvana
"Kurt Cobain era meio pau no cu", diz produtor


Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin