RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemA atitude ousada da Legião Urbana ao peitar Globo e Faustão no meio de uma grande crise

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemA razão que levou Humberto Gessinger a decidir não usar mais nome "Engenheiros do Hawaii"

imagemPor que Gisele Bündchen e Ivete Sangalo deturparam "Imagine", segundo André Barcinski

imagemDiva Satânica explica qual foi a razão que a fez deixar a banda Nervosa

imagemO último show de Bon Scott com o AC/DC, três semanas antes de sua morte

imagemA hilária reação de Keith Richards ao encontrar músicos do Maneskin

imagemDavid Coverdale relembra parceria com Jimmy Page, e fala sobre relançamento

imagemAs duas razões que levaram RPM a passar por segunda separação em 2003

imagemEm entrevista, Tony Iommi contou como aprendeu a tocar guitarra

imagemAlém do Moonspell, São Paulo Metal Fest anuncia Beyond Creation em seu cast

imagemAngra parabeniza a aniversariante Sandy nas redes sociais

imagemJimmy Page sobre o "Presence": "Não se faz músicas como aquelas caindo de bêbado"

imagemGuitarrista do Offspring continuou em seu emprego normal mesmo depois da fama

imagemPrika explica por que nova vocalista da Nervosa não é brasileira e promete single em março


Summer Breeze

Avenged Sevenfold: Falta de músicas mais pesadas atrapalha

Resenha - Nightmare - Avenged Sevenfold

Por Paulo Finatto Jr.
Postado em 16 de abril de 2011

Nota: 7

Em pouco menos de cinco anos, o AVENGED SEVENFOLD se viu em uma escalada vertiginosa. A banda, que deixou de ser um simples representante do underground para virar um expoente do gênero pesado, conquistou um imenso público, sobretudo constituído por fãs adolescentes. A perda do baterista The Rev – que faleceu em 2009 – não abalou o quarteto por muito tempo. Com o astro Mike Portnoy (ex-DREAM THEATER) como convidado, a banda consolidou o seu mais recente álbum, intitulado "Nightmare". No entanto, o status de "febre" que contorna o AVENGED SEVENFOLD é nitidamente superestimado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por mais que a banda norte-americana mostre qualidade e técnica em "Nightmare", o motivo que faz de M. Shadows (vocal), Zacky Vengeance (guitarra), Synyster Gates (guitarra) e Johnny Christ (baixo) mega-astros do mundo da música é inconcebível. Não que a banda possua um repertório extremamente fraco e sem nenhum hit de impacto. O que se vê (e se ouve) aqui é um disco que apresenta (poucas) ótimas composições, mas que cai continuadamente em mesmices. A participação de Mike Portnoy (bateria) claramente deu um brilho extra à obra. De certo modo, o ex-DREAM THEATER é responsável por aquilo que o AVENGED SEVENFOLD criou de mais interessante em "Nightmare". O que comprova a ideia de que o grupo é superestimado são os números que contornam o disco. O primeiro lugar no Billboard 200 e figurar entre os cinco primeiros nas paradas do Reino Unido mostram como a carreira da banda possui muito apelo comercial.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em atividade desde o fim dos anos noventa, M. Shadows & Cia. chegaram ao mainstream com o álbum "City of Evil" (2005). A banda, que foi se afastando do metalcore do debut "Sounding the Seventh Trumpet" (2001), aos poucos conquistou reconhecimento necessário para ser apontada como um dos melhores nomes da sua década pela revista norte-americana Ultimate Guitar. A performance do AVENGED SEVENFOLD, sobretudo em cima do palco, é digna dos maiores elogios. No estúdio – por outro lado – não há a mesma energia e a mesma uniformidade apresentada nos shows do quinteto. Entretanto, "Nightmare" possui músicas particularmente interessantes. A faixa de abertura, que empresta nome ao disco, é claramente uma das melhores composições que o AVENGED SEVENFOLD escreveu em sua recente história. As melodias e a agressividade foram unidas na medida certa. De outro lado, "Welcome to the Family" e "Danger Line" não possuem o mesmo impacto da sua antecessora, mas podem parecer com certo destaque entre os fãs mais entusiasmados, mesmo que não cheguem a empolgar os mais céticos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

As primeiras faixas deixam mais do que comprovado o contorno de genialidade que Mike Portnoy deu ao álbum. Embora não tenha participado do processo de composição de "Nightmare", é nítido como o seu estilo – rico em detalhes práticos – se encaixou bem à sonoridade tradicional do AVENGED SEVENFOLD. Entretanto, a mesmice do trabalho aparece a partir da faixa seguinte ("Buried Alive"). Por mais que possa ser apontada como impressionante a capacidade do grupo em criar baladas, a monotonia toma conta de músicas como essa. Nem mesmo faixas que misturam o peso com climas mais cadenciados – como em "Natural Born Killer" – conseguem conquistar uma honraria dentro da obra. Do mesmo modo, "So Far Away" passa sem causar reviravoltas dentro do repertório de "Nightmare". No entanto, a agressiva "God Hates Us" evidencia como o quinteto norte-americano (que conta atualmente com o baterista Arin Ilejay) passeia bem quando investe em elementos mais próximos do metalcore/thrash metal do passado.

Na sequência, o disco conta com a sua primeira (e única) balada de impacto. "Victim" não possui o mesmo apelo comercial da acústica "So Far Away" e tampouco cai nas mesmices sonoras de "Buried Alive". A faixa conta com interessantes riffs de guitarra e um refrão verdadeiramente pegajoso que faz toda a diferença nessa comparação. Por outro lado, "Tonight the World Dies" pode ser apontada como outra balada incômoda pela ausência de características mais impactantes e pelo exagero acústico e comercial. A falta de músicas mais pesadas – o disco possui ainda a cadenciada "Fiction" – é o principal motivo pelo qual "Nightmare" não pode receber uma quantidade expressiva de elogios. Embora a extensa "Save Me" possa até reverter o quadro a favor do AVENGED SEVENFOLD, é a mesmice das insistentes baladas que comprometem o resultado final da obra.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por mais que possa parecer injusta resenha (sobretudo para os mais fanáticos pela banda), o mais recente disco do AVENGED SEVENFOLD precisa ser encarado de acordo com a proporção que o grupo adquiriu em pouquíssimo tempo. A banda não pode mais ser comparada aos demais nomes do underground. O trabalho dos norte-americanos deveria merecer um lugar de destaque na história da música pesada, ao contrário do modo precipitado que muitos querem entregar atualmente ao grupo liderado pro M. Shadows. Não há dúvidas de que "Nightmare" possui ótimos momentos. No entanto, a falta de criatividade, sobretudo no que contorna a quantidade expressiva de baladas de pouca riqueza sonora, é que deixa um ponto de interrogação sobre o futuro grupo. Por quanto tempo a família AVENGED SEVENFOLD é capaz de resistir?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Track-list:

01. Nightmare
02. Welcome to the Family
03. Danger Line
04. Buried Alive
05. Natural Born Killer
06. So Far Away
07. God Hates Us
08. Victim
09. Tonight the World Dies
10. Fiction
11. Save Me


Outras resenhas de Nightmare - Avenged Sevenfold

Resenha - Nightmare - Avenged Sevenfold

Resenha - Nightmare - Avenged Sevenfold

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Avenged Sevenfold: as mulheres da vida dos integrantes da banda

Avenged Sevenfold: Arin Ilejay comenta sobre sua saída da banda

A7X: Os 13 momentos mais insanos, em shows, segundo a Kerrang

Metalcore: nove razões para você adorar o estilo

Metalcore: 13 músicas que um fã de death metal deve gostar


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Paulo Finatto Jr.

Reside em Porto Alegre (RS). Nascido em 1985. Depois de três anos cursando Engenharia Química, seguiu a sua verdadeira vocação, e atualmente é aluno do curso de Jornalismo. Colorado de coração, curte heavy metal desde seus onze anos e colabora com o Whiplash! desde 2000, quando tinha apenas quinze anos. Fanático por bandas como Iron Maiden, Helloween e Nightwish, hoje tem uma visão mais eclética do mundo do rock. Foi o responsável pelo extinto site de metal brasileiro, o Brazil Metal Law, e já colaborou algumas vezes com a revista Rock Brigade.
Mais matérias de Paulo Finatto Jr..