Gamma Ray: Kai Hansen, artesão a serviço da música pesada

Resenha - To the Metal - Gamma Ray

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig, Fonte: Collector's Room
Enviar Correções  

publicidade

8


O heavy metal não seria o mesmo sem o Gamma Ray. A razão para isso é simples: Kai Hansen. Desde que surgiu no Helloween na primeira metade dos anos 1980, o vocalista e guitarrista alemão deixou a sua marca no estilo. Um dos principais compositores do chamado speed metal – ou power metal ou metal melódico, você escolhe a alcunha que preferir -, Kai é um artesão a serviço da música pesada, e isso fica claro em "To the Metal", novo álbum do Gamma Ray.

The Unity: banda com membros do Gamma Ray lança vídeo para "You Don't Walk Alone"

Separados no nascimento: Paul Stanley e Sidney Magal

Décimo álbum de estúdio do grupo, "To the Metal" figura fácil entre os melhores trabalhos da banda. O motivo é simples: Kai Hansen mantém intacta a sua aparentemente infinita capacidade de criar ótimas composições, invariavelmente pródigas em grandes melodias e refrões empolgantes. Assim, escutar o disco é uma experiência prazerosa para qualquer pessoa que curta heavy metal.

Produzido pelo próprio Kai e pelo baixista Dirk Schlächter, "To the Metal" tem tudo o que consagrou o Gamma Ray ao longo dos anos. Faixas mais cadenciadas como "Empathy", rápidas e cheias de bumbos duplos como a sensacional "All You Need to Know" (com participação de Michael Kiske, o vocalista que adora falar mal do metal mas é arroz-de-festa em um sem número de álbuns do estilo), heavy metal em sua melhor forma em "Time to Live" e "Shine Forever", e também algumas inovações – ainda que pequenas -, como na faixa-título, que bebe claramente no hard oitentista e chega a lembrar o Accept. Outra com uma pegada mais hard é "Mother Angel", com um riff que veio direto do túnel do tempo daquela que é considerada a época de ouro do metal.

"Deadlands" mostra que, apesar da mega exposição a que foi submetido, o metal melódico ainda pode ser agradável e empolgante aos ouvidos – mas, para conseguir isso, precisa ter uma mente criativa diferenciada como a de Kai por trás das coisas. Os solos de guitarra dessa faixa são muito bons, daqueles que fazem você tocar sozinho a sua air guitar e balançar a cabeça como um adolescente – apesar de estar beirando os 40 anos!

Já "Chasing Shadows" une agressividade e classe, e tem passagens instrumentais que fazem toda a diferença, unindo as guitarras ao teclado – a cargo do guitarrista Henjo Richter – em trechos que trazem à memória os melhores momentos de nomes como Stratovarius e Malmsteen.

Primeiro álbum de inéditas do Gamma Ray desde "Land of the Free II", lançado em 2007, "To the Metal" mostra uma banda ainda pra lá revelante, com muito a dizer e com força para impactar a cena. Nada mal para quem já está há 21 anos na estrada, não é mesmo?

Faixas:
1 Empathy 5:04
2 All You Need to Know 4:00
3 Time to Live 4:48
4 To the Metal 5:29
5 Rise 5:05
6 Mother Angel 5:20
7 Shine Forever 3:53
8 Deadlands 4:23
9 Chasing Shadows 4:23
10 No Need to Cry 5:56




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


The Unity: banda com membros do Gamma Ray lança vídeo para "You Don't Walk Alone"


Power Metal: os 25 maiores álbuns do estiloPower Metal
Os 25 maiores álbuns do estilo

Riffs parecidos: ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outrosRiffs parecidos
ZZ Top, Motorhead, Slayer, Metallica, A7X e outros


Separados no nascimento: Paul Stanley e Sidney MagalSeparados no nascimento
Paul Stanley e Sidney Magal

Luís Mariutti para Nando Moura: Estádio não se lota com views ou likesLuís Mariutti para Nando Moura
"Estádio não se lota com views ou likes"


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin