Man Of Kin: mais um talento do obscuro underground inglês

Resenha - And So It Begins - Man Of Kin

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

8


Natural de Londres, Inglaterra, o Man Of Kin – termo resultante do anagrama da palavra 'Manequim' – começou suas atividades em 1998 e, graças à boa recepção do debut "Lock And Load" (09) e de sucessivas apresentações ao vivo, cada vez mais portas estão se abrindo e expandindo o nome da banda para além de sua cidade natal. E os ingleses trabalham rápido, tanto que já estão liberando "... And So It Begins" e se preparando para tocar nos palcos brasileiros, onde São Paulo (SP), Palmas (TO) e Teresina (PI) são as cidades já confirmadas para recebê-los em setembro.

Ainda que a ideia inicial do fundador e vocalista Jaz Oberoi fosse executar uma espécie de Prog-Rock, na linha do Tool, o fato é que a música do Man Of Kin resultou em algo muito mais pesado. Seu cerne é o Thrash, daqueles repletos de groove – era uma vez o tal prog! – e em "... And So It Begins" a banda optou em seguir uma linha não tão pesada como a de seu antecessor, dando maior espaço às melodias que, em várias ocasiões, se enveredam pelo lado mais tradicional do Heavy Metal.

publicidade

E esse é o grande lance de sua música. Suas estruturas são bastante modernas e bem trabalhadas, mas deixam transparecer algumas características mais antigas, de forma até despojada. E toda a química funciona muito bem, pois o desempenho de Oberoi, com suas linhas vocais geralmente rasgadas, um trabalho de guitarras que atinge o objetivo de fugir do óbvio e uma seção rítmica com bastante espaço, faz com que a audição seja bastante atraente, em especial nas interessantíssimas "And So It Begins", "Your Misery", "Overthrown", "Disgrace" (ô refrãozinho invocado!), "Find Your Halo" e matadora "Silver Lining".

publicidade

E, ainda que seja independente, o capricho é evidente em todos os níveis da confecção de "... And So It Begins" – bem gravado e com um projeto gráfico eficiente em digipak todo branco. Em suma, mais um talento do obscuro underground inglês e bastante indicado a quem procura por um antídoto para a superficialidade que ronda alguns segmentos do Heavy Metal atual. Confira, a banda é bastante qualificada!

publicidade

Contato: www.myspace.com/manofkinuk

Formação:
Jaz Oberoi - voz
Aaron Waddingham - guitarra
Jon Coakley - guitarra
Carl Stanley - baixo
Rob Halliday - bateria

Man Of Kin - ...And So It Begins
(2010 / independente – importado)

01. Intro
02. And So It Begins
03. These For Walls
04. Your Misery
05. Overthrown
06. Disgrace
07. Self Righteous
08. Find Your Halo
09. The Unknown
10. Silver Lining
11. Clique

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Man Of Kin: A cena Heavy Metal em Londres é terrível!Man Of Kin
"A cena Heavy Metal em Londres é terrível!"


Fotos de Infância: Dave Mustaine, do MegadethFotos de Infância
Dave Mustaine, do Megadeth

Jimi Hendrix: Ele participou de um vídeo de sexo explícito?Jimi Hendrix
Ele participou de um vídeo de sexo explícito?


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin