Desolate Ways: mescla consistente de gótico e metal

Resenha - Last Moons - Desolate Ways

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Jackson Wójcik Pinto
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


A mescla do rock gótico com o heavy metal tradicional que a banda Desolate Ways preconiza está ainda mais consistente neste seu terceiro lançamento, "Last Moons", onde este grupo da pacata cidade litorânea de Torres, no Rio Grande do Sul, esbanja bom gosto e criatividade, com sua já habitual atmosfera sombria, recheada de teclados e vocalizações intrincadas, porém com o peso e energia que o metal requer.

Rockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmesMegadeth: Dave explica por que não tocar "The Conjuring"

A maturidade que esta banda, formada em 1998, denota neste lançamento é clara e evidente, com uma riqueza de detalhes nos seus arranjos que fascinam qualquer apreciador da boa música. Cabe ressaltar que a requintada produção da bolachinha, que ficou a cargo de Roger 'Earth' Fingle (Blood Tears e Seduced By Suicide), deu um ar todo especial ao resultado final, chegando à beira da perfeição, sendo gravado no estúdio Nitro Sound Solutions, na cidade de Caxias do Sul (RS) (parte em 2008, sendo finalizado em junho de 2009). O lançamento deu-se pela competente e experiente gravadora Die Hard Records, um dos melhores, e talvez, porque não dizer, o melhor selo do rock nacional. Tantas qualidades só poderiam findar-se com um dos melhores lançamentos no estilo de todo o rock nacional.

O som da banda nos remete ao doom metal, com melodias executadas com extrema maestria e num clima melancólico, exalando emoção e sofrimento pelos alto falantes e que tem tudo para alcançar o mainstream brasileiro devido a toda a sua classe e competência.

O CD nos apresenta 10 faixas, com 47 minutos de pura emoção, peso e melancolia, que já podem ser conferidas na música "Senseless", que abre o registro com uma força gritante e um incrível vigor . A arrastada e pesada faixa de número quatro e que dá nome ao CD é uma verdadeira aula de gothic e doom metal, alternando momentos de peso e leveza, porém sempre empolgante. A rápida "Frozen Leaves", com solos memoráveis é um dos pontos altos do disco, acompanhada de "No Turning Back", com um toque de bateria simples, porém cativante. A última faixa, "Winter", denotou ser um tiro certeiro como escolha para encerramento do CD, pois, além de cadenciada, também conta com a participação da vocalista da banda A Sorrowfull Dream, Josie, que aliada aos vocais característicos de Max Lima, deu um ar de elegância ao material.

Além do já citado Max (voz e guitarra), também fazem parte do Desolate Ways o guitarrista Elizeu Hainzenreder, Rodrigo Fernandes no baixo e Ingo Mengaz na bateria.

http://www.desolateways.com


Outras resenhas de Last Moons - Desolate Ways

Desolate Ways: Gothic Doom agora com contornos distintos




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Desolate Ways"


Rockstars: 18 roqueiros que já apareceram em filmesRockstars
18 roqueiros que já apareceram em filmes

Megadeth: Dave explica por que não tocar The ConjuringMegadeth
Dave explica por que não tocar "The Conjuring"

Bandas Iniciantes: 11 cagadas que vocês NAO podem cometerBandas Iniciantes
11 cagadas que vocês NAO podem cometer

Freddy Frenzzy: O vocal que trocou Hard Rock por forró ostentaçãoMetallica: Ulrich comenta sobre seu maior erroAbrindo o jogo: entrevista com Edu FalaschiBrian May: "Nunca haverá banda como Aerosmith"

Sobre Jackson Wójcik Pinto

Jackson é apresentador do programa de TV Rocktime, apreciador do bom e velho rock and roll em todas as suas vertentes, desde blues até metal extremo, com uma nítida queda por hard rock e heavy metal tradicional. Roqueiro inveterado há mais de 35 anos, escreve sobre rock para diversos blogs e tem muito orgulho de, ainda que eventualmente, colaborar também com o site Whiplash.

Mais matérias de Jackson Wójcik Pinto no Whiplash.Net.