Enterro: calcado na cena escandinava dos anos 90

Resenha - Nunc Scio Tenebris Lux - Enterro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Glauco Silva
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Considerando a árida seara de criatividade que o black metal tem se tornado de uns tempos pra cá, devido à massificação que o estilo sofreu (natural em toda música em evidência: ocorre o inchaço, daí a estabilização com a sobrevivência dos mais fortes e relevantes), é com enorme satisfação que afirmo que as únicas bandas que me chamam a atenção nessa linha - já há um bom tempo - são as brasileiras, e do Rio vem a que ultimamente mais me agrada no estilo: o Enterro.
5000 acessosFreddie Mercury: um espírito livre, criativo, generoso, cheio de energia e talento5000 acessosGuns N' Roses: musa de "My Michelle" comovida com fãs brasileiros

Apesar de conhecer a banda pessoalmente (no ano passado fizeram a abertura para o Vader, em Campinas, junto à minha banda) e o show deles ser uma experiência muito intensa, marcante, à primeira audição este debut não me animou muito… mas após uma audição mais atenta, dá pra sacar fácil que eles têm mais a oferecer do que o ouvinte desatento deixaria passar. Com um som mais calcado na cena escandinava dos anos 90, o quinteto adiciona também passagens a la Slayer antigo e Marduk que garantem a dose certa de brutalidade à sua musicalidade ríspida, gélida - e acima de tudo, tétrica até a alma.

Contando com músicos com muitos anos de estrada e um background variado (o vocal Nihil e o batera Perazzo eram do Mortus, os guitars Ozorium e Doneedah atendem por outros nomes no descontraído Matanza, e o baixista Kaffer é, entre outros, do monstruoso Darkest Hate Warfront), "Nunc Scio Tenebris Lux" é um trabalho coeso, maduro e que esbanja energia e seriedade - algo que o black precisa demais hoje em dia, ainda mais com os ataques constantes que tem sofrido após o polêmico episódio Gorgoroth. Não é a salvação do estilo, longe disso - e nem se prestam a esse papel, mas colocam a coisa em seus devidos trilhos de música perigosa em sua natureza inerente.

Com produção correta e balanceada, e arte gráfica (do cada dia mais requisitado Marcelo HVC, que já conta com vasto respaldo internacional) que prende a atenção, o trabalho tem tanta homogeneidade que fica difícil apontar um destaque em suas nove faixas. As variações rítmicas são absolutamente contagiantes, solos bem encaixados, Nihil se esgoelando com ódio e desespero como se o Armageddon chegasse daqui a pouco… com certeza este é um dos melhores lançamentos de 2008 que caiu em minhas mãos!

Apesar de manterem a promoção de sua arte de modo mais restrito, sugiro ao leitor manter o olho aberto nestes cariocas, porque eles ainda vão crescer - e acrescentar muito - na cena. Irrepreensível, cortante, as "trevas que vêm da luz" são aqui musicadas de modo a empolgar mesmo os que, eventualmente, vêm o metal negro apresentar sinais de esgotamento. Recomendado com toda veemência aos que acreditam e batalham pelo real black metal.

Faixas:
1. He Who Must be Killed [5:01]
2. War is my Answer [4:02]
3. The Funeral [5:51]
4. Nunc Scio Tenebris Lux [5:19]
5. This Land Shall Burn [4:34]
6. I Don't Need Your Sacrifice [5:00]
7. There's Nothing Divine [3:14]
8. In The Coffin [3:40]
9. The Meaning of Hate [4:45]

2008, independente (BR). Tempo total - 41:29

http://www.myspace.com/enterro

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Enterro"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Enterro"

Freddie MercuryFreddie Mercury
Um espírito livre, criativo, generoso, cheio de energia e talento

Guns N RosesGuns N' Roses
Musa de "My Michelle" comovida com fãs brasileiros

Red HotRed Hot
Ouça baixo isolado de Flea em várias músicas

5000 acessosFreddie Mercury: um espírito livre, criativo, generoso, cheio de energia e talento5000 acessosHeavy Metal: os 10 maiores hinos de todos os tempos5000 acessosJon Bon Jovi: quando ele levou um fora de Bruna Lombardi5000 acessosPearl Jam: banda tenta tocar Rush em homenagem a Geddy Lee mas desiste3464 acessosHo Ho Ho: 10 melhores músicas do Metal para se comemorar o Natal5000 acessosCorey Taylor: GNR deveria se reunir, tão influente quanto AC/DC

Sobre Glauco Silva

36 anos, solteiro, estudou Linguística e Engenharia de Alimentos na UNICAMP. Tem sua sobrevivência (CDs, cigarro e cerveja) garantida no trabalho em uma multinacional. Iniciado no Metal em 1988, é baixista/vocal do LACONIST (Death Metal) e acredita fielmente que o SARCÓFAGO é a melhor banda do universo.

Mais informações sobre Glauco Silva

Mais matérias de Glauco Silva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online