Charlatans: características mais interessantes do Brit-Pop

Resenha - Tellin' Stories - Charlatans

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fábio Cavalcanti
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Os anos 90 foram marcados por movimentos interessantes dentro do rock. Entre eles, temos o britpop. Sim, o pop chama atenção no nome, mas isso não muda o fato de que as bandas exploravam um som roqueiro, razoavelmente agitado, e com uma boa dose de "style" em suas letras. O The Charlatans não fez tanto sucesso quanto seus conterrâneos Oasis e Blur, mas deixou sua marca neste importante movimento britânico. E sua obra-prima certamente é o "Tellin' Stories", de 1997.

Chris Cornell: a emocionante despedida de Tom MorelloSepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Quem está familiarizado com a sonoridade "básica" do britpop, notará as características mais interessantes do estilo ao longo de "Tellin' Stories". E como o The Charlatans é uma das bandas pioneiras neste movimento, não há necessidade de exigir grandes mudanças a cada álbum deles. Mas, quem disse que eles não gostam de mudar algumas coisinhas aqui e ali? Logo na primeira faixa, a melodiosa "With No Shoes", nota-se um leve amadurecimento da banda. Mas, seus "grooves" característicos ainda estão lá, firmes e fortes!

E falando em "grooves", esta pode ser considerada a marca registrada do The Charlatans. Faixas como as roqueiras "How Can You Leave Us" e "How High", a instrumental "Area 51", a vibrante "One To Another", e até as semi-acústicas "Tellin' Stories" e "Only Teethin'", trazem os elementos necessários para levar o ouvinte a dançar.

As letras podem desagradar os apreciadores de temáticas mais envolventes, mas com certeza contagiarão qualquer pessoa que aprecie um jeito mais "estiloso" de se fazer música. O vocal de Tim Burgess, igualmente "estiloso", também consegue se mostrar bastante competente na tarefa de prender a atenção do ouvinte.

E o ponto mais alto de "Tellin' Stories" reside na excelente e cativante "North Country Boy", um pop/rock cadenciado que traz todo o espírito do britpop, e que levará o ouvinte a querer aprender a cantá-la o quanto antes! Até uma pessoa pouco familiarizada com o som do The Charlatans, poderia apostar que essa é uma das 3 melhores músicas de toda a discografia da banda (que acaba de atingir a marca de 10 álbuns de estúdio).

Este trabalho também conta com boas baladas: a acústica "You're A Big Girl Now", e a "semi-agitada" "Get On It". E atenção especial à faixa "Rob's Theme", um instrumental que passa meio despercebido, mas que não deixa de ser uma boa homenagem ao tecladista recém-falecido (na época) Rob Collins.

Infelizmente, o momento áureo do britpop já passou. Mas, obras marcantes como "Tellin' Stories", assim como certos álbuns posteriores do próprio The Charlatans, continuam mostrando que esse estilo possui os elementos para influenciar toda uma nova geração do rock, o que pode resultar em um ótimo "britpop revival" no futuro. Alguém aposta contra?

Músicas:
1. With No Shoes
2. North Country Boy
3. Tellin' Stories
4. One To Another
5. You're A Big Girl Now
6. How Can You Leave Us
7. Area 51
8. How High
9. Only Teethin'
10. Get On It
11. Rob's Theme




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Charlatans"


O Martelo: posters aditivados à base de drogas lisérgicasO Martelo
Posters "aditivados" à base de drogas lisérgicas


Chris Cornell: a emocionante despedida de Tom MorelloChris Cornell
A emocionante despedida de Tom Morello

Sepultura: Andreas Kisser comenta os primórdios da bandaSepultura
Andreas Kisser comenta os primórdios da banda


Sobre Fábio Cavalcanti

Baiano, sempre morou em Salvador. Trabalha na área de Informática e ¨brinca¨ na bateria em momentos vagos, sem maiores pretensões. Além disso, procura conhecer novas - e antigas - bandas dos mais variados subgêneros do rock. Por fim, luta para divulgar, sempre que possível, o pouco conhecido cenário rocker da tão sofrida ¨Terra do Axé¨.

Mais matérias de Fábio Cavalcanti no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336