Warrel Dane: mais poder e criatividade com a idade

Resenha - Praises To The War Machine - Warrel Dane

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Clóvis Eduardo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Warrel Dane já está beirando a casa dos 40 anos. E se lembrarmos que desde 1981, as bandas Serpent's Knight, Sanctuary e o Nevermore tiveram o cara no comando dos vocais, atestamos que a idade só tem dado mais poder e criatividade para o talentoso rapaz nascido em Seattle.

Ídolos imortais: Warrel Dane, uma das mais poderosas vozes do metalCD vs Vinil: não diga que o som do vinil é melhor - porque não é

A idéia de lançar um CD solo já é antiga por parte de Warrel Dane. Antes de "This Godless Endeavor" (2005), último disco do Nevermore, o cabeludo com voz melosa e fã de uma boa cerveja já tinha em mente um disco só dele, com algo mais "light" do que o praticado na banda principal. Assim como o novo disco do Nevermore está sendo produzido, não exigindo ainda muito do vocalista, Dane teve tempo suficiente para trabalhar na nova empreitada. Chamou uns amigos e colocou a cabeça e as mãos para trabalhar.

Fabuloso letrista, Warrel Dane conseguiu, novamente, fazer poesia, brincar com as palavras e ao mesmo tempo colocá-las em um arranjo bem Heavy Metal. As músicas são bem mais leves em consideração ao trabalho no Nevermore, mas não deixam de ser atrativos para os fãs de longa data. Até mesmo devido à maior virtude de Warrel Dane, que é a impostação e a emoção com que ele canta. Dá para imaginar o cara na maior gritaria ao microfone, segurando o pedestal com as duas mãos, como se fosse a última coisa que ele pudesse fazer na vida.

"When We Pray", música de abertura, já passa bem qual a mensagem que o vocalista quer mostrar neste primeiro cd solo. Refrão pegajoso, pegada tradicional do Heavy Metal e uma canção que gira em torno da letra e da forte interpretação do autor. Tudo meticulosamente dosado para que o ouvinte tenha a certeza que não está ouvindo mais um disco do Nevermore, mesmo que em marcha mais lenta.

Warrel Dane teve a brilhante idéia de chamar os guitarristas Jeff Loomis e James Murphy para incrementar algumas músicas. Jeff fica com o solo de "Messenger", segunda música do disco, e dá para perceber que esta parte realmente lhe caiu bem. Já James Murphy, produtor que fez uma ponta em "This Godless Endeavor" fica com o solo de "The Day The Rats Went To War", oitava faixa do disco, possuidora de um refrão bastante simples, mas muito bonito.

O disco trás grandes surpresas, como o cover de "Lucretia My Reflection", música da banda britânica Sisters of Mercy, que se encaixou muito bem no contexto do álbum, sombrio, mas ao mesmo tempo gostoso de ouvir. A balada "Your Chosen Misery", dá uma desandada, principalmente pelo ar melancólico. Na parte final do CD, vem outro cover: "Pattherns" do músico norte-americano Paul Simon, que também surpreende pela adaptação.

Oficialmente, a banda é formada por Warrel nos vocais, Matt Wicklund na guitarra, Dirk Verbeuren na bateria e Peter Wichers na guitarra. Os dois últimos são ex-integrantes da banda sueca Soilwork, sendo que ao último coube a mixagem e produção do disco e a gravação do baixo. São músicos competentes e com uma tarefa difícil: agradar Warrel Dane, que vinha desde anos pensando nesta produção que leva o nome de um dos mais brilhantes vocalistas de Heavy Metal da atualidade.

Faixas
1. When We Pray 03:38
2. Messenger 03:59
3. Obey 03:14
4. Lucretia My Reflection (Cover de Sisters of Mercy) 04:38
5. Let You Down 03:54
6. August 03:48
7. Your Chosen Misery 04:10
8. The Day The Rats Went To War 03:37
9. Brother 03:24
10. Patterns (Cover de Paul Simon) 04:01
11. This Old Man 03:43
12. Equilibrium 03:53

Total 45:53




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Warrel Dane"


Ídolos imortais: Warrel Dane, uma das mais poderosas vozes do metal

Warrel Dane: Jeff Loomis lamenta morte e revela conversa sobre reuniãoWarrel Dane
Jeff Loomis lamenta morte e revela conversa sobre reunião

Warrel Dane: vocalista sofria com muitos problemas de saúdeWarrel Dane
Vocalista sofria com muitos problemas de saúde

Doro Pesch: Warrel Dane era muito, muito talentoso, diz cantoraDoro Pesch
Warrel Dane era "muito, muito talentoso", diz cantora


CD vs Vinil: não diga que o som do vinil é melhor - porque não éCD vs Vinil
Não diga que o som do vinil é melhor - porque não é

Filhas de Rockstars: conheça algumas das mais bonitasFilhas de Rockstars
Conheça algumas das mais bonitas

Sgt. Peppers: O mais importante disco da história?Sgt. Peppers
O mais importante disco da história?

Slipknot: como são os membros da banda sem as máscaras?Slipknot
Como são os membros da banda sem as máscaras?

Whiplash.Net: Como enviar conteúdo ou se tornar um colaborador do siteWhiplash.Net
Como enviar conteúdo ou se tornar um colaborador do site

Phil Collins: McCartney foi tirar satisfação com o ex-GenesisPhil Collins
McCartney foi tirar satisfação com o ex-Genesis

Kerrang!: álbuns fantásticos com capas constrangedorasKerrang!
álbuns fantásticos com capas constrangedoras


Sobre Clóvis Eduardo

Clóvis Eduardo Cuco é catarinense, jornalista e metaleiro.

Mais matérias de Clóvis Eduardo no Whiplash.Net.

adClioIL