Static X: vibração bem mais Heavy Metal

Resenha - Cannibal - Static X

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


Após dois anos do muito bom "Start A War", o norte-americano Static-X apresenta algumas mudanças generalizadas envolvendo o lançamento de seu novo disco. Depois de tanto tempo com a Warner Bros, quem acabou liberando seu quinto álbum, "Cannibal", foi a Reprise Records; e este trabalho também marca o retorno do guitarrista Koichi Fukuda - que já havia tocado no platinado debut "Wisconsin Death Trip" (99) - que, por sua vez, parece ter influenciado para que as novas composições tenham uma vibração bem mais Heavy Metal do que seus últimos trabalhos.

Raul Seixas: Por trás da letra de "Carimbador Maluco"Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileira

Se por um lado agora o Static-X até encara alguns solos de guitarras, por outro diminuiu parte - e somente parte - de todas aquelas experimentações psicóticas, deixando a grande sensação de que muito do que se escuta por aqui está mais básico e até mesmo despojado. Assim, a redução dos elementos tecno e industrial acabou por comprometer a sensação 'dançante' que era a responsável pela inovação e fornecia a interessante profundidade de suas canções.

"Cannibal" possui bons momentos, alguns realmente grandes, mas como um todo não consegue causar o impacto de outrora. Aliás, está longe disso... Os destaques acabam ficando para a "Behemoth", pesadíssima e com bom groove; além de "Chemical Logic" e "Forty Ways", que são faixas barulhentas e com um belo trabalho das guitarristas.

Ao final da audição, muitos dos créditos positivos deste álbum recaem sobre Wayne Static com suas linhas vocais pra lá de torturadas e raivosas, e também o esforçado guitarrista Koichi Fukuda. De qualquer forma, a única certeza em torno de "Cannibal" é que este é um dos discos mais pesados já liberado pelo Static-X, e provavelmente o que realmente dividirá a opinião do público.

Formação:
Wayne Static - voz, guitarra e programação
Koichi Fukuda - guitarra e programação
Tony Campos - baixo
Nick Oshiro - bateria

Static-X - Cannibal
(2007 / Reprise Records - importado)

01. Cannibal
02. No Submission
03. Behemoth
04. Chemical Logic
05. Destroyer
06. Forty Ways
07. Chroma-Matic
08. Cuts You Up
09. Reptile
10. Electric Pulse
11. Goat
12. Team Hate

Homepage: www.static-x.com



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Static X"


Max Cavalera: falando sobre Wayne Static e outras mortes no MetalMax Cavalera
Falando sobre Wayne Static e outras mortes no Metal

Haja pente: os músicos mais cabeludos e barbudos do RockHaja pente
Os músicos mais cabeludos e barbudos do Rock


Raul Seixas: Por trás da letra de Carimbador MalucoRaul Seixas
Por trás da letra de "Carimbador Maluco"

Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraVeraneio Vascaína
Uma ácida crítica à polícia brasileira


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin