Resenha - Monday Morning Apocalypse - Evergrey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8

"Monday Morning Apocalypse", novo trabalho do Evergrey, irá levantar discussões entre os fãs do grupo, e a questão é muito simples: a banda mudou o seu som. No lugar do heavy metal com influências prog de antes, há agora um metal mais direto. As músicas estão mais curtas, os solos são mais breves, as linhas vocais seguem a linha do que o Kamelot fez em "The Black Halo". Tudo com uma qualidade acima da média, mas como qualquer grupo de metal que busca novos caminhos, o Evergrey será crucificado pela simples ousadia de tentar algo novo.

Blind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi KürschMetallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhação

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


Tenho certeza de que alguns fãs nem vão perder muito tempo ouvindo o CD, dando a velha desculpa de que a banda se vendeu, amaciando o seu som e tornando-se comercial (sinceramente, eu não suporto este discurso de adolescente mal resolvido). Mas, bem na boa, azar deles, porque "Monday Morning Apocalypse" é um grande trabalho de um dos grupos mais legais que surgiram nos últimos tempos.

O play abre com a empolgante faixa-título, e que já dá pistas do que ouviremos ao longo do disquinho. Direta e empolgante, de fácil assimilação e agradável de ouvir, mostra uma banda afinadíssima e com um grande poder de composição. O refrão desta música é daqueles que grudam na sua cabeça e acompanham você por horas. É diferente do que o Evergrey fez no passado, sem dúvida alguma, mas é tão bom quanto.

Outro fator importante que deve ser citado é que o termo "inovação", ao contrário do que muitos leitores pensam, não é sinônimo de "new metal", "nu metal", "metal alternativo" ou seja lá qual for a denominação que estão usando esta semana para a música pesada produzida na terra do Tio Sam (só para lembrar, dois dos grupos mais adorados pelos chamados "trues", o Manowar e o Iced Earth, são da pátria de George Bush). Este mau uso do termo já faz uma parcela de ouvintes torcer o nariz a qualquer menção de algo novo, o que é um erro gigantesco. Uma prova disso é o resultado que o Evergrey consegui alcançar com o seu novo trabalho.

O vocalista Tom S. Englund canta um absurdo no álbum. Sua voz é o grande destaque, disparado. Mostrando versatilidade e talento, o cara despeja inspiração em linhas vocais excelentes.

O CD é bastante homogêneo, com um alto padrão de qualidade acompanhando todas as músicas, mas as que mais me agradaram foram a que dá nome ao disco, "Obedience" e "The Curtain Fall". Com absoluta certeza esta lista irá variar de ouvinte para ouvinte.

Quer um conselho? Não seja um cabeça fechada, não se comporte como aquele seu tio avô chato e enjoado, que vive dizendo que quando ele era mais novo é que as coisas eram boas. Ouça "Monday Morning Apocalypse" e comprove que basta ter talento para inovar e manter a qualidade de um trabalho.

Na minha opinião o Evergrey provou isso com sobras em seu novo disco. Tenho certeza de que, ao ouvir o trabalho sem preconceitos, você também irá concordar com isso.

Faixas:
1. Monday Morning Apocalypse
2. Unspeakable
3. Lost
4. Obedience
5. The Curtain Fall
6. In Remembrance
7. At Loss For Words
8. Till Dagmar
9. Still In The Water
10. The Dark I Walk You Through
11. I Should
12. Closure


Outras resenhas de Monday Morning Apocalypse - Evergrey

Resenha - Monday Morning Apocalypse - Evergrey




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Evergrey"


Tom Englund: os álbuns que marcaram o vocalista do EvergreyTom Englund
Os álbuns que marcaram o vocalista do Evergrey

Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia


Blind Guardian: Algumas verdades sobre Hansi KürschBlind Guardian
Algumas verdades sobre Hansi Kürsch

Metallica: Jason Newsted, 14 anos de humilhaçãoMetallica
Jason Newsted, 14 anos de humilhação


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336