Resenha - Lonely Day - System Of A Down

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 6

E mais uma vez a história se repete: uma banda estoura no Brasil, vende milhares de discos, e a gravadora, buscando preencher o vácuo até o lançamento do novo trabalho dos caras, solta no mercado um single do grupo.

Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosSteve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


O System Of A Down é o protagonista da vez. A banda gravou dois dos melhores álbuns de 2005, os gêmeos "Mesmerize" e "Hypnotize", e teve o seu nome elevado às alturas não só pelos fãs, mas, principalmente, pela crítica. E com razão, afinal os dois discos, principalmente o primeiro, apresentavam fartas doses de originalidade e criatividade, qualidades raras no rock atual.

Buscando elevar seus lucros enquanto o nome do grupo ainda permanece em evidência, os manda-chuvas brasileiros resolveram lançar o EP "Lonely Day" por aqui. Sem desmerecer a magia que este formato exerce sobre os colecionadores, e a atração que mais um produto com o nome da banda tem sobre os ouvintes casuais, é preciso levar em conta que quase a totalidade das músicas apresentadas em "Lonely Day" valem mais como curiosidade, não trazendo o frescor e o fator imprevisível tão evidentes nos álbuns citados acima.

A faixa título, tocada à exaustão em todo o país, é uma das melhores de "Hypnotize". Melancólica e bela, traz os ótimos vocais do guitarrista Darion Malakian em um arranjo crescente, que alcança o seu ápice em um refrão recheado de apelo pop.

Os experimentalismos do grupo voltam à ordem do dia na interessante "Shame", com participação do combo de rappers Wu-Tang Clan. Vocais agressivos chocam-se com vozes mais limpas, e o resultado lembra, ainda que vagamente, o crossover eternizado pelo Anthrax ao lado do Public Enemy há quase vinte anos.

Enquanto os fãs do grupo abrirão um sorriso de orelha à orelha, os ouvintes mais tradicionais vão torcer o nariz para a versão de "Snowblind" do Black Sabbath. Como fez em várias canções dos seus dois últimos discos, o System Of A Down virou a estrutura da música de cabeça para baixo. Sem se preocupar em nenhum momento com o fato de estar mexendo em um dos maiores clássicos de Tony Iommi e companhia, a banda injetou novos elementos e transformou a faixa em algo tipicamente System Of A Down.

Fechando o EP, "Metro" alterna andamentos ora cadenciados ora mais rápidos, contando mais uma vez com um ótimo refrão, enquanto a non-sense "Marmalade" passeia do rock ao reggae sem maiores cerimônias. O EP ainda vem com uma faixa multimídia com o ótimo clip da faixa-título, e a versão nacional preservou a bela embalagem digipack original.

Goste-se ou não do grupo, é preciso admitir que a sua total falta de constrangimento para destruir todo e qualquer clichê associado ao rock, buscando sempre novos caminhos, é extremamente elogiável. Quando esta postura vem acompanhada de doses cavalares de talento, como ouvimos em "Mesmerize" e "Hypnotize", a banda acerta em cheio. Não que isso não se verifique em "Lonely Day", mas o próprio formato (EP ou single, chame como quiser) não é o mais adequado para maiores pretensões artísticas, servindo muito mais como souvenir e item de colecionador do que qualquer outra coisa.

Faixas:

1. Lonely Day
2. Shame (Featuring Wu-Tang Clan)
3. Snowblind
4. Metro
5. Marmalade
6. Lonely Day Video




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "System Of a Down"


Billboard: discos de rock/metal que atingiram o topo nos anos 2000Billboard
Discos de rock/metal que atingiram o topo nos anos 2000

Pé da Letra: Análise da música Aerials, do System Of A DownPé da Letra
Análise da música "Aerials", do System Of A Down


Iron Maiden: o passado vergonhoso registrado em fotosIron Maiden
O passado vergonhoso registrado em fotos

Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey


Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

adGoo336