Resenha - Inhuman Rampage - Dragonforce

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Clóvis Eduardo
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Veloz, melódico e técnico. É assim o som do Dragonforce. Uma banda que leva com arrojo o que chamamos de metal melódico. Solos gigantescos e bumbos rápidos como metralhadoras nos fazem lembrar bandas de outros estilos que só não seriam comparados ao extremo se os vocais e melodias não fossem as mais pegajosas possíveis.

DragonForce: banda conquista a "irreverência madura"Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1987

Conheci o Dragonforce desde o primeiro álbum, "Valley of the Damned" (2003) que já mostrava muitas músicas de excelente pegada e muita velocidade. Bem na verdade elas já mostravam qual seria a maior característica do grupo de origem inglesa. Músicas compridas, muitos solos aproveitando cada nota possível das guitarras e teclado, andamentos hora bem rápidos, hora mais ainda e uma bateria que deixaria seres já considerados "descontados" como Jorg Michael parecer um mero percursionista de quinta categoria. Na bem da verdade, neste terceiro álbum, o Dragonforce certifica que Speed Metal é uma coisa que até agora ninguém tinha descoberto.

"Inhuman Rampage" é bem superior a "Sonic Firestorm" (2004), e nisto já percebemos na faixa de abertura, a estonteante "Through The Fire And Flames". Sutilmente, há diferenciais no ritmo e andamento, o que deixa a audição mais agradável e menos pancada, pelo menos por alguns segundos. Uma outra ótima faixa é "Operation Ground And Pound" que apesar de ser a mesma delonga das outras músicas do CD (é tudo veloz, bumbeira saltando, solos, solos, solos...), apresenta sete minutos de distorções e um refrão muito empolgante. Há salvação também para a calmaria, com "Trail of Broken Hearts", que mesmo sendo pé no freio, quem leva o destaque, novamente, são os solos de guitarra.

Ao final do CD, você percebe que foi literalmente bombardeado por milhares de notas. E mesmo não chegando até o final do disco, sem dúvidas podemos constatar que o Dragonforce é poderoso em matéria de animação, mas triste em se tratando de diversidade musical.

Nota: Ainda está para vir até aqui alguém para me explicar por que bandas a exemplo do Dragonforce lançam CDs com músicas inéditas apenas no Japão. "Inhuman Rampage" ganhou mais uma canção na versão da terra do sol nascente. E os brasileiros, assim como todo o restante dos fãs, ficam a imaginar como seria mais uma música do Dragonforce.

ZP Theart - Vocals
Herman Li - Guitar
Sam Totman - Guitar
Vadim Pruzhanov - Keyboards
Dave Mackintosh - Drums


Outras resenhas de Inhuman Rampage - Dragonforce

Resenha - Inhuman Rampage - Dragonforce




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Dragon Force"


DragonForce: banda conquista a "irreverência madura"Dragonforce: novo álbum Extreme Power Metal é lançado; ouçaDragonforce: ouça trecho da versão para "My Heart Will Go On", de Celine DionDragonforce: lançado vídeo animado de "Razorblade Meltdown"; assistaDragonforce: ouça novo single da banda, "Heart Demolition"

Dragonforce: Herman Li elege seus cinco riffs favoritosDragonforce
Herman Li elege seus cinco riffs favoritos

A7X, Metallica, Dragonforce: e se eles tocassem fora do tempo?A7X, Metallica, Dragonforce
E se eles tocassem fora do tempo?

Power Metal: os dez álbuns essenciais do gêneroPower Metal
Os dez álbuns essenciais do gênero


Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1987Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1987

A7X: Curiosidades sobre a banda que talvez você não saibaA7X
Curiosidades sobre a banda que talvez você não saiba

Motorhead: a gafe nazista de Lemmy em NurembergMotorhead
A gafe nazista de Lemmy em Nuremberg

Iron Maiden: a concepção original de EddieIron Maiden
A concepção original de Eddie

Guitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a TimeGuitarristas
Os 10 maiores de todos os tempos segundo a Time

Guns N' Roses: Frank Ferrer paga pau pra Steven AdlerGuns N' Roses
Frank Ferrer paga pau pra Steven Adler

Kerry King: Dio era um dos caras mais legais no ramo.Kerry King
"Dio era um dos caras mais legais no ramo".


Sobre Clóvis Eduardo

Clóvis Eduardo Cuco é catarinense, jornalista e metaleiro.

Mais matérias de Clóvis Eduardo no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336