Resenha - Violet - Birthday Massacre

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

7


Quando uma nova banda surge no cenário gótico, podem ter certeza que eu fico desconfiado, pois, como também acontece no metal e no punk e no hard, várias bandas aproveitam o sucesso criado por aquelas que atingiram o estrelato, e começam a pipocar em todos os cantos do planeta. Mas confesso que quando uma banda surge com o status de "uma das revelações do metal gótico mundial", aí a coisa pega: o nariz torce, coço a cabeça e penso: "lá vem bomba". Não estou pré-julgando os canadenses do The Birthday Massacre, até porque se fosse para fazê-lo, bastava dar nota 4 ao CD e pronto. Mas vamos ver o que esse quinteto canadense, que se veste como uma mistura de The 69 Eyes com Blink 182 tem a oferecer.

De cara a banda mostra esforço e talento com a climática "Lovers End": trechos eletrônicos mesclados a riffs em baixa afinação com vocais sussurados e melódicos (nada de lirismo aqui). "Happy Birthday" segue o mesmo padrão, com pitadas de Sisters Of Mercy aqui e acolá. Já "Horrorshow" põe tudo a perder com uma levada dançante que não justifica o rótulo gótico, o que é compensado pela beleza da faixa título, com seus climas alegres (é gótico mesmo?) e um bom trabalho de teclados.

publicidade

Na verdade não sei realmente se estamos diante de uma banda gótica ou de um projeto mais ligado ao eletrônico que flerta com o estilo: "Play Dead" tem guitarras bem escondidas, com predominância de teclados, e os vocais corretos de Chibi, que se mostra correta e contida. "Vídeo Kid" poderia ser tocada facilmente em uma discoteca, "Holiday" é uma das poucas faixas que realmente traz um clima gótico (marcado pelos teclados – que as vezes soam como se Jean Michael Jarre estivesse meio bêbado) e pelo andamento mais cadenciado. Para encerrar, nada como uma faixa dançante como "Nevermind"... e a certeza de que os fãs de gótico irão encontrar muito pouco gótico aqui... talvez um gothic-pop.

publicidade

Se você curtiu os experimentos do The Gathering e do Theatre Of Tragedy (nesta feita levados ao extremo) e é fã dos momentos mais malucos do Evanescence, é possível curtir este CD. Mas se você não se enquadra neste quesito, ouça antes de comprar...

Formação:
Rhim – Bateria
Chibil – Vocais
Aslan – Baixo
Rainbow – Guitarras
M. Falcore – Guitarras

publicidade

Site Oficial: http://www.violetprision.com

Hellion Records – 2005 (Nacional)


Outras resenhas de Violet - Birthday Massacre

Resenha - Violet - Birthday Massacre

Resenha - Violet - Birthday Massacre




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Traduções: Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismoTraduções
Letras de rock relacionadas a ocultismo e satanismo

Mick Jagger: em cerimônia na escola do filho em São PauloMick Jagger
Em cerimônia na escola do filho em São Paulo


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin