Resenha - Rantology - Ministry

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7


"Rantology" está acima de ser apenas uma coletânea com remixes e faixas inéditas. É antes de tudo uma celebração, de amor ou ódio. Amor ao Ministry, por ter inovado no som pesado adicionando fortes doses de eletrônica mescladas ao peso das guitarras (inspirando uma série de bandas como por exemplo o Nine Inch Nails e Marylin Manson), ou de ódio deste idiota chamado Al Jourgensen, um ex-viciado, junkie e maluco (alguém disse ex?), que maculou o sagrado heavy metal com suas idéias absurdas. Neste CD temos quinze faixas, algumas remixadas por Al, outras ao vivo em Londres e Seattle, e mais algumas inéditas, antecipando o novo CD da banda que deve sair em 2006.

Iron Maiden: versões pesadas para clássicos do RockMike Portnoy: a reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream Theater

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

De cara uma faixa do último CD, "Houses of the Mole", "No W Redux", com um clima épico e uma crítica agressiva ao presidente norte-americano George W. Bush. "The Great Satan" é inédita e pesada, com as guitarras no talo, coisa que o Ministry sabe fazer muito bem. Al soa como um doente nos vocais, sinal de que está tudo bem. O problema é quando ele resolve re-mixar suas faixas: "Wrong" soa cansativa e nem o hino "N.W.O" (do aclamado "Psalm 69") se salva das presepadas eletrônicas de Al.

Já o "mix" de "Stigmata" ficou legal, com a inserção de efeitos em profusão, mas sem alterar o peso original. "Waiting" é muito interessante com sua levada "britadeira", e o mix de "Warp City" ficou cansativo de novo, devido ao exagero já existente na música e os elementos adicionados.

Mas o maior crime deste CD é a quase destruição de outro clássico: "Jesus Built My Hot Rod"... uma aula de peso desfigurada por batidas eletrônicas e um vocal inserido que em nada lembrava a insanidade de Gilby Haynes (Butthole Surfers). No mais algumas faixas bem interessantes ("Bloodline", e "Psalm69" ao vivo). Particularmente acho que o Ministry fez seu último clássico nos anos 90 com "Psalm"... mas há de se ressaltar a iniciativa de Al em experimentar e trabalhar sonoridades.

Quem é fã da banda, vai adorar, quem não é passe longe. Mas a relevância do Ministry (ou a cara de pau de Mr. Jourgensen) não podem ser esquecidas.

Site Oficial: http://www.ministrysound.org

Material Cedido Por:
Century Media Records
Http://www.centurymedia.com.br
São Paulo (SP)


Outras resenhas de Rantology - Ministry

Ministry: quebrando paradigmas e influenciandoResenha - Rantology - Ministry



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Ministry"


Por pouco: 11 Rockstars que quase morreramPor pouco
11 Rockstars que quase morreram

Riffs parecidos: Led, Sabbath, Maiden, Metallica, Dio, AC/DC e maisRiffs parecidos
Led, Sabbath, Maiden, Metallica, Dio, AC/DC e mais


Iron Maiden: versões pesadas para clássicos do RockIron Maiden
Versões pesadas para clássicos do Rock

Mike Portnoy: a reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream TheaterMike Portnoy
A reação ao ouvir garoto de 8 anos tocando cover do Dream Theater


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL