Resenha - Bloodshed - Krisiun

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar Correções  

9


De "Ummerciful Order" (1993) até "Bloodshed" (2005) o Krisiun mudou muito. A banda que antes lutava para crescer, com instrumentos de qualidade sofrível e tocando em tudo quanto fosse lugar cresceu e virou um dos nomes mais respeitados quando se fala em metal extremo. De banda de abertura que aproveitava para tirar uma casquinha em clubes europeus, o trio formado por Alex Camargo (Baixo/Vocais), Max e Moyses Kolesne (Bateria e Guitarra, respectivamente) tornou-se uma potência, capaz de ser "headliner" de pacotes de turnês, e de fazer seus próprios shows no exterior. Esta evolução talvez seja o grande atrativo de "Bloodshed", que traz os 4 temas do MCD, junto com 8 outros temas, gravados em 2004. E desde já um aviso: NADA DE TECNOLOGIA!!! A PRODUÇÃO FOI TOTALMENTE ANALÓGICA!!!

De fato o Krisiun atualmente se mostra uma banda muito madura e capaz de experimentar preservando sua sonoridade. "Slain Fate" é uma porrada bem cadenciada, com Moyses caprichando nos "riffs" e batidas com muito "groove" por parte de Moyses. Já "Ominous" é o Krisiun de sempre, com a velocidade imperando, mas com realmente um trampo muito mais cuidadoso, que gera um resultado admirável para uma banda já veterana, que ainda assim surpreende.

publicidade

As músicas novas mixturam o peso e ritmos mais cadenciados ("Servant of Emptiness", "Visions Beyond" e a quase melódica "Voodoo") com a porradaria já tradicional de "Hateful Nature". Já as 4 músicas do MCD "Ummerciful Order" trazem o Krisiun crú e rápido, quase um atropelo sonoro, "They Call Me Death", "Ummerciful Order" "Crosses Toward Hell" e "Infected Core" são pérolas do metal extremo, mas pecam pela produção da época, que obviamente foi bem aquém do que vemos nas outras faixas (até porque a banda em 1993 não tinha a mesma estrutura que tem hoje). Um processo de regravação das mesmas seria interessante. Para fechar, uma instrumental de 7 minutos, quase psicodélica (se é que podemos chamá-la assim), "OUTRO/MMIY", que mostra um Krisiun viajante, dentro de seu peso característico.

publicidade

Um excelente cd, que coroa o triunfo de uma banda que não desistiu e batalhou muito. Vale conferir.

Century Media – 2004.

Site Oficial: http://www.krisiun.com.br


Outras resenhas de Bloodshed - Krisiun

Resenha - Bloodshed - Krisiun




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


João Gordo: Se esses caras ficaram putos é porque serviu a carapuça certinhoJoão Gordo
"Se esses caras ficaram putos é porque serviu a carapuça certinho"

Revolta: banda de tom político une João Gordo, Iggor Cavalera, Prika, Moyses e maisRevolta
Banda de tom político une João Gordo, Iggor Cavalera, Prika, Moyses e mais

Kiss FM: rádio vai transmitir duas horas de death metal ao vivo com a banda Krisiun

Krisiun: banda se apresentará no programa Kiss Club


Vírgula: o primeiro show da vida de alguns rockstars brasileirosVírgula
O primeiro show da vida de alguns rockstars brasileiros

Krisiun: banda já tentou gravar duas vezes no Brasil mas não rolouKrisiun
Banda já tentou gravar duas vezes no Brasil mas não rolou


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Hard Rock: As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1Hard Rock
As 100 maiores bandas do estilo segundo a VH1


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin