Resenha - Bloodshed - Krisiun

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 9


É praticamente impossível ler reviews de metal extremo que não usem palavras e construções do tipo: "irá estourar os seus tímpanos", "fará sua cabeça girar brutalmente", "putrefação grandiosa", "o verdadeiro espírito da música negra e sanguinária", "brutal", "avassalador", "destruição sem fim", "furioso", "petardo inesquecível", "a melodia trucidada pela força suprema da carnificina"... e todas as coisas do tipo que estamos cansados de ouvir e já se tornaram vícios de linguagem.

Krisiun: Nadando firmemente contra a correntezaSlipknot: 12 histórias que retratam o quão insana a banda é

Pois bem, todos esses clichês se aplicam ao novo trabalho do Krisiun, o monstruoso EP intitulado apropriadamente de "Bloodshed".

Apesar da presença da demo "Unmerciful Order" - item raro de se achar anteriormente - ser um excelente presente para o público, sua produção nitidamente inferior ao restante do material (mesmo com a remasterização) representa um grande anti-clímax no álbum, diminuindo o impacto e a empolgação que sentimos com as 7 primeiras músicas novas.

A opção por andamentos mais "cadenciados" revela-se especialmente suculenta na audição dos riffs afiadíssimos de Moyses Kolesne - onde sobressai-se "Ominous", a melhor de todas - e no massacre sem fim imposto ao kit de bateria de Max Kolesne, que mais uma vez apresenta linhas velocíssimas e inimitáveis, o que é bem apropriado para a clássica "They Call Me Death" e na nova "Slain Fate".

O interlúdio extremamente macabro e sombrio de "Eons" mostra o bem vindo nível de experimentação e pluralidade que uma banda deve ter para não se tornar uma cópia de si mesma e prepara-te para a faixa mais insana do material: "Hateful Nature" - grooves simplesmente fantásticos, ótimo exemplo da sincronia perfeita do trio gaúcho. Ousadia e criatividade que se elevam nas duas outras instrumentais: "Voodoo"- fusão de bateria tribal, guitarra psicodélica e baixo consistente - e a agonizante e soturna "Outro/MMIV", uma experiência progressivamente aterrorizante.

Salvo alguns contratempos, não há nada que se questionar na melhor banda de death metal do mundo, porque a cada trabalho eles tratam de impor mais respeito e terem mais respaldo da mídia e dos fãs.

O Krisiun prova novamente toda a beleza que a brutalidade pode ter e faz a arte da música extrema mais interessante a cada dia.

O sangue está na mesa. Sirva-se quem quiser.

Formação:
Alex Camargo (Baixo/Voz)
Moyses Kolesne (Guitarra)
Max Kolesne (Bateria)

Site Oficial: www.krisiun.com.br

Material Cedido Por:
Century Media Records
Caixa Postal 1240 - São Paulo (SP)
CEP: 01059-970 - Brasil
Fone: (0xx11) 3097-8117
Fax: (0xx11) 3816-1195
Site: www.centurymedia.com.br


Outras resenhas de Bloodshed - Krisiun

Resenha - Bloodshed - Krisiun




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Krisiun"


Krisiun: Nadando firmemente contra a correntezaKrisiun: banda anuncia turnê na Europa com 32 datas em 32 dias

Heavy Metal: as dez melhores bandas sul-americanas do gêneroHeavy Metal
As dez melhores bandas sul-americanas do gênero

Krisiun: Edu Falaschi não viveu o undergroundKrisiun
"Edu Falaschi não viveu o underground"

Vírgula: o primeiro show da vida de alguns rockstars brasileirosVírgula
O primeiro show da vida de alguns rockstars brasileiros


Slipknot: 12 histórias que retratam o quão insana a banda éSlipknot
12 histórias que retratam o quão insana a banda é

Blind Faith: uma das capas mais polêmicas da históriaBlind Faith
Uma das capas mais polêmicas da história

Filmes sobre rock: A história do gênero no cinemaFilmes sobre rock
A história do gênero no cinema

Astros mortos: como estariam alguns se ainda estivessem vivos?Astros mortos
Como estariam alguns se ainda estivessem vivos?

Separados no nascimento: Dave Mustaine e um Cocker SpanielSeparados no nascimento
Dave Mustaine e um Cocker Spaniel

Burzum: Vikernes diz que não se arrepende de nadaBurzum
Vikernes diz que não se arrepende de nada

Metallica: Hetfield com vergonha ao relembrar documentárioMetallica
Hetfield com vergonha ao relembrar documentário


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336