Resenha - Touch In The Dark - Asrai

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

7


Os holandeses do Asrai vêm com bastante moral e apoio apresentar seu segundo álbum, "Touch In The Dark". Para que você tenha uma idéia o responsável pela mixagem é ninguém menos que Sascha Paeth, o qual usou de seu conhecimento da cena gótica - já trabalhou com, entre outros, Sisters Of Mercy – para dar toques finais refinados às composições.

publicidade

A banda, formada por três mulheres e dois homens, faz um metal gótico de qualidade. É interessante notar o quanto o sexo feminino se sobrepõe ao masculino no Asrai. O baixista é bem apagado, parece nulo frente à qualidade dos sintetizadores. Já Rik Janssen consegue algum sucesso com sonoridades desenvoltas, e semelhantes, apesar de sem o mesmo peso, às guitarras de Thomas Youngblood no Kamelot. Certamente esta parte final deve-se ao trabalho de Paeth, que também já trabalho com o grupo da Flórida.

publicidade

Em dez músicas, é possível ouvirmos alguns temas que nitidamente precisariam de um retoque. A guitarra na primeira faixa denuncia bem o que digo, principalmente em seu início ‘rapidinho’ demais. De qualquer maneira, há instantes excelentes, os quais fazem-me acreditar que o Asrai pode ir bem além do que fez neste álbum.

"Pale Light", "Dream", "Garden", "Touch In The Dark" e especialmente "Restless" são exemplos cabais de primor e cuidado, boas atmosferas, desenvolvimentos e arranjos ricos. Uma pena que o mesmo não acontece em outras canções.

publicidade

É perceptível o investimento e conhecimento musical dos integrantes e o cerceamento que têm de influências essenciais para o estilo que fazem. Fica bem clara, porém, uma dispersão e também certa inconsistência. Apesar disto, apostando que não ocorrerão desvios no caminho que traçam, posso dizer que o Asrai aponta à guisa de um terceiro disco que tende a ser, de longe, o seu melhor até então. Prepare-se para o próximo lançamento.

publicidade

Site Oficial – http://www.asrai.net

Margriet Mol (Vocais)
Rik Janssen (Guitarras)
Manon van der Hidde (Sintetizador – Violino)
Martin Kooy (Baixo)
Karin Mol (Bateria)

Material cedido por:
Hellion Records – http://www.hellionrecords.com
Rua 24 de Maio, 62 – Lojas 280 / 282 / 308 – Centro.
São Paulo – SP – BRASIL
CEP: 01041-900
Tel: (11) 5083-2727 / 5083-9797 / 5539-7415
Fax: (11) 5549-0083
Email: [email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Heavy Metal: os 10 melhores solos de guitarra de todos os temposHeavy Metal
Os 10 melhores solos de guitarra de todos os tempos

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin