Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemMax Cavalera diz quais foram os dois discos mais difíceis que já gravou

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemAndreas Kisser conta quais os dez álbuns que mudaram a sua vida

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemAlice Cooper diz que em sua equipe "todo mundo é tratado como a banda"

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemHalford relembra o dia que caiu em pegadinha armada por Tony Iommi e Geezer Butler


Stamp

Resenha - Neon God Part I; The Rise - WASP

Por Carlos Eduardo Corrales
Em 17/09/04

Matéria originalmente publicada no site
DELFOS – Diversão e Cultura
http://www.delfos.art.br

Sempre que o W.A.S.P. divulga que o próximo CD vai ser sério, eu sinto um certo calafrio na espinha. Afinal, essa é a banda que nos presenteou com músicas singelas como Don’t Cry (Just Suck) e Animal (Fuck Like a Beast). Ou seja, a banda sempre primou por diversão da melhor qualidade, equilibrando muito bem um Rock N’ Roll pesadíssimo com características do Heavy Metal.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Há pouco mais de dez anos, o W.A.S.P. lançou seu primeiro CD conceitual, The Crimson Idol, considerado o melhor da banda pelo seu líder Blackie Lawless. O álbum contava a história de um carinha que ficou trilhardário com a música que fazia, mas decepcionado com o mundo dos negócios que o rodeava. Inclusive, a melhor música desse CD, Chainsaw Charlie, foi composta em "homenagem" ao dono da Capitol (gravadora que lançou o álbum), que era xará do personagem da música. Por causa disso, a banda foi expulsa da gravadora. É preciso respeitar um cara com tamanha coragem, não é? :-)

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pois bem, The Neon God: Part 1 vem musicalmente na mesma linha do Crimson Idol, mas traz um conceito muito mais interessante. Aqui conhecemos a história de um órfão que teve uma infância horrível no orfanato no qual vivia, mas que acaba ficando trilhardário ao se tornar um falso messias. Embora resumidamente não pareça grande coisa, recomendo a leitura do encarte a todos que se interessarem, pois traz alguns assuntos muito apropriados para reflexão. Na verdade, encaixaria The Neon God mais como um CD filosófico do que apenas como um CD de música, pois seu conceito é muito mais interessante do que a música nele contida.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como já disse, a música lembra muito o Crimson Idol, ou seja, ela tem um clima bem sério e as baladas predominam no disco, como The Rise, What I’ll Never Find e Raging Storm. Como alguém que gosta mesmo do primeiro álbum e do Helldorado, realmente não vejo o W.A.S.P. como uma banda craque em baladas (título que dou para o Savatage), pois acho todas elas muito parecidas, sempre com uma guitarra sem distorção, com riffs "atmosféricos". Neon God também tem muitas músicas curtas (com cerca de 1 minuto), como Why Am I Here, Why Am I Nothing, Me And The Devil e Someone To Love, todas caminhando também pelo terreno das baladas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Mas em compensação, quando a banda decide fazer as músicas pesadas que os consagraram, mandam muito bem. É o caso de Wishing Well, XTC Riders, Asylum #9 e o maior destaque Sister Sadie. Esta última, cuja letra fala de uma freira sádica e pedófila tem em seu título uma referência óbvia ao Marquês de Sade, cujo nome originou a palavra "sadismo". Sister Sadie remete diretamente à já citada Chainsaw Charlie pois, além da letra polêmica, tem um refrão que gruda na cabeça e que na segunda audição, você já vai estar cantando junto. Também tem no final, um daqueles corais "polifônicos", característica muito presente em alguns clássicos do Savatage, como Chance, Wake Of Magellan e Not What You See. Será que o Savatage está influenciando Blackie?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Infelizmente, tendo um conceito mais forte do que a própria música (erro imperdoável para quem se aventura pelo rumo dos álbuns conceituais), The Neon God deixou muito a desejar. Vale pelo conceito, realmente muito elaborado. Claro que, se você gosta mais do W.A.S.P. mais sério, como vimos nos álbuns Crimson Idol e Still Not Black Enough, você vai adorar, pois este vai na mesma linha. Agora se você prefere o W.A.S.P. divertido de um Helldorado e não se importa com o conceito, é melhor passar longe.


Outras resenhas de Neon God Part I; The Rise - WASP

Resenha - Neon God Part I; The Rise - WASP

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Mad Max: inspirando W.A.S.P., Violator, Biohazard e outros

W.A.S.P.: como Lawless foi parar no filme do Village People e deixou produtor confuso

W.A.S.P.: o casamenteiro de Lita Ford e Chris Holmes!


Câncer na língua: entenda a doença de Bruce Dickinson


Sobre Carlos Eduardo Corrales

Carlos Eduardo Corrales é jornalista e fotógrafo há oito anos. É editor-chefe do Delfos - www.delfos.jor.br - o maior site nerd de jornalismo parcial reflexivo humorístico do mundo. Sua principal característica é não levar nada a sério, até mesmo quando fala sério. A única exceção, claro, são os ensinamentos do Deus Metal. Com esse ele não brinca, pois não quer que o Vento Preto venha tirar satisfação.

Mais matérias de Carlos Eduardo Corrales.