Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba


Resenha - Tijolo na Vidraça - Marcelo Nova

Por Luiz Carvalho
Em 19/07/01

Em 1990, quando estava na quarta-série, conheci um amigo que me apresentou o rock´n´roll. Tinha onze anos, iniciava o quinto ano do primeiro grau e até então, meu negócio era futebol e pornochanchada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Era.

A partir de então, mergulhei de cabeça na, então novidade, conheci uma série de bandas, mas, só passei a gostar de alguém que escrevia e cantava em português, muitos anos depois, quando me mudei de Carapicuíba para São Bernardo do Campo, aos quatorze anos. Quando completei quinze anos, fui trabalhar em um bar.

São Bernardo é um município com um grande número de nordestinos, filhos daqueles que se mudaram para a região na época que esta era um pólo industrial, mais precisamente automobilístico.

Como se sabe, a máxima "o freguês tem sempre razão", ao menos em butecos, prevalece. Assim, o que rolava no toca-fitas adaptado na parede, que garantia o som no horário de almoço dos peões, era Luiz Gonzaga e Raul Seixas. Ficava fascinado pela letras ricas desses dois artistas. Principalmente de Raul. Era diferente de tudo que já havia ouvido.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Foi através de Raul que conheci Marcelo Nova e o Camisa de Vênus. Durante uma manifestação numa empresa da redondeza, no caminhão de som, começaram a tocar uma música que esculhambava toda a ceninha pífia, por onde transitam os grandes do famigerado rock brasileiro. Reconheci a voz de Raul, já afetado por problemas de saúde. Mas, quem cantava com ele?

Dias depois, fui descobrir, ouvindo em uma rádio pirata, que a música se chamava "Muita Estrela, Pouca Constelação", era parte do último disco da formação originial de uma banda chamada Camisa de Vênus e que o cara que cantava com Raul, havia, inclusive gravado um disco com ele, um pouco antes da morte do primeiro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Nesta época, o Camisa havia se reunido, sem o guitarrista (Gustavo) e baterista originais (Aldo) e estava fazendo uma pequena turnê. Fui conferir a tal banda. Fiquei embasbacado. Um bando de gente entupia o Ses Ipiranga, gritando "Bota prá fudê!", enquanto a banda derramava sangue e energia.

O Camisa tirou férias, mas, Marcelo nunca deixou de fazer shows e lançar discos.

Dessa data em diante, completei minha discografia do Camisa de Vênus, comprei todos os discos do Marcelo Nova, incluindo o novo, uma caixa com três cd´s chamada "Tijolo Na Vidraça".

Nela, Marceleza revisita toda sua carreira, incluindo Camisa, a parceria com Raul Seixas no álbum "A Panela Do Diabo" e seus álbuns solo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

São 49 canções, algumas com novos arranjos, versões ("Check UP" e "Não Fosse O Cabral", de Raul Seixas, "When The Levee Breaks", do Led Zepellin, "One More Cup Of Cofee", de Bob Dylan, entre outras), além de três inéditas: "Não Sei O Que Fazer", "Bomba Relógio Ambulante" e "Um Lugar Para Deus", com texto redondo e melodia pesada, porém, cadenciada.

Apesar de ser uma coletânea, a caixa se mostra homogênea. Isso se deve ao fato de Marceleza não ser um roqueiro brasileiro por essência, ou seja, tem caráter, autenticidade escreve letras que valem à pena serem ouvidas e lidas.
Marcelo Nova tem credibilidade. Consegue ir ao programa do ao Fábio Júnior e se manter como um gentleman da vira-latice.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Tem bom-humor, mas, não é o Karnak, é mais audaz. Ama, mas, não é Los Hermanos... é mais denso que isso. As versões presentes neste álbum, mostram de onde veio. Não sofre do mal que aflige gente como Frejat e Lobão. Não tem traumas por fazer rock... não se vê na obrigação de amar bosta nova e dizer que ouve Djavan.

"Tijolo Na Vidraça", mostra um Marcelo amadurecendo com dignidade, refletindo aquilo que já vinha fazendo nos shows, moldar suas canções, de forma à valorizar o texto.

E neste sentido, vale ressaltar o trabalho de Johnny Boy, multinstrumentista de talento ímpar, que há algum tempo, divide-se entre manter a mutação nos shows e álbuns de Nova e tocar teclado com o IRA!. Johnny toca órgão, guitarra, piano, violão, gaita, acordeom, baixo... e quem já o viu em ação sabe que só a presença do cara, já vale meio ingresso. Além dele, estão na banda Luis Stopa (contrabaixo) e Denis Mendes (bateria), de dezesseis anos (!).

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro ponto à valorizar, é o cuidado com a parte gráfica. Acompanha o álbum, uma embalagem em formato de tijolo e um livreto, contendo um texto assinado pelo jornalista Pedro Só (Folha de SP) e fotos de sua carreira.

Quer ouvir rock sem frescura?

Compre!

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Marcelo Nova: "Na música brasileira existem belas bundas!"