Resenha - Lake Of Sorrow - Sins Of Thy Beloved

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

8


O Brasil está muito bem servido. Em meio a uma crise avassaladora, conseguimos ter fãs de um estilo capazes de superar barreiras e dar suporte a investimentos arriscados, mas de resultados fantásticos, como os realizados pela Hellion Records. Ter material nacional do The Sins Of Thy Beloved? Isso me soava como um sonho quase impossível na época do lançamento original deste debute, em 1998. Porém, se tornou realidade e cá estamos com outro ótimo álbum em mãos.

O metal gótico, em pouco tempo, passou de tesouro desvendado a campo minado. Aglomeraram-se conjuntos seguindo esta linha e, para conseguir se destacar dentre tantos talentos - hum... digamos que não estão em tal quantidade mencionada, mas enfim...-, é necessária boa dose de musicalidade e habilidade para criar e ser único, montando um relativismo de influenciado / influente, e não apenas surgindo da repetição mecânica do que já fizeram.

publicidade

"Lake Of Sorrow" é uma prova máxima de que o The Sins Of Thy Beloved percorreu o árduo caminho e se distinguiu dos demais. Os noruegueses aparecem, em matéria de peso, próximos ao balanceamento entre Tristania e Theatre Of Tragedy. Liricamente se assemelham a seus guias, contudo a tópica romancista impera absurdamente aqui. Meloso e grudento a um grau que chega a irritar, excetuando-se "All Alone", "Silent Pain" e algumas passagens das composições restantes.

publicidade

A grande sacada fica por conta do violino fantasticamente tocado por Pete Johansen, o qual já trabalhou com outras bandas de gótico e não é listado como integrante oficial do grupo. A razão disso provavelmente vem do fato do violinista em questão participar de projetos diversos, dos quais podemos apontar o The Tramps, pertencente à linha folclórica irlandesa.

publicidade

No final das contas, o The Sins Of Thy Beloved faz de oito longas faixas – incluindo a bônus nacional "World Of Day" – instantes de audição agradável e sonoridade detentora de toques bem originais. Com esse amontoado de músicos se igualando, eles se destacam como louváveis membros da elite gótica.

Site Oficial – http://www.tsotb.com

Formação:
Anita Auglend (Vocais)
Glenn Nordbø (Guitarras – Vocais)
Arild Christensen (Guitarras – Vocais)
Ingfrid Stensland (Teclados – Piano)
Anders Thue (Teclados – Piano)
Ola Aarrestad (Baixo)
Stig Johansen (Bateria)

publicidade

Material cedido por:
Hellion Records – http://www.hellionrecords.com
Rua Dr. João Maia, 199 – Aclimação
CEP: 04109-130 - São Paulo / SP - BRASIL
Tel: (0xx11) 5539-7415 / 5083-2727 / 5083-9797
Fax: (0xx11) 5083-3077
Email: [email protected]




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Punk Rock: os 25 melhores discos segundo o site IGNPunk Rock
Os 25 melhores discos segundo o site IGN

Black Sabbath: Tony Iommi explica como tocar ParanoidBlack Sabbath
Tony Iommi explica como tocar "Paranoid"


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin