Resenha - Violent Revolution - Kreator

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Paulo Finatto Jr
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 9


Depois de lançarem duas coletâneas para relembrar os fãs que a banda continuava dentro do thrash metal, os álbuns anteriores a "Violent Revolution" mostravam um Kreator mais atmosférico exemplificados em "Outcast" de 97 e "Endorama" de 99. Isto gerou diversos novos fãs para a banda, mas este tipo de sonorização pareceu não agradar nenhum fã das antiga, e também nenhum dos integrantes da banda com o passar do tempo.

Kreator: Frédéric Leclercq é anunciado como o novo baixista da bandaMetal sueco: site elege as dez melhores bandas da Suécia

Com um baterista finlandês chamado Yli-Sirnio que substituiu Tommy Vetterli por um problema que o impedia de tocar com freqüência ao lado do Kreator, foi em 2001 que a banda entrou em estúdio para preparar o álbum que marcou de vez o abandono do grupo das influências do industrial para retornarem totalmente ao tempo em que foi lançado "Coma of Souls", ou seja, executando um thrash metal muito agressivo. Além de Yli, a banda alemã conta os créditos de Mille Petrozza (baixo e vocal), Christian Geisler (baixo) e Jorg Tritze (guitarra), que formam hoje um dos 'line-ups' mais bem entrosados desde o início da carreira da banda, datado em 1984. Realmente "Violent Revolution" é um álbum perfeito para os fãs de thrash metal, pois apresenta só músicas belíssimas, sem mais nenhuma interferência da música industrial, fato que hoje "assombra" diversas bandas com o crescimento popular do new metal.

São músicas como "Reconquering the Throne", "Violent Revolution" e "All of the Same Blood" que evidenciam o bom trabalho de guitarra do Kreator assim como a boa pegada do baterista, fazendo destas três músicas os maiores destaques do CD. Outro ponto alto é a longa e muito rápida música intitulada "Replicas of Life", que serve perfeitamente para agitar o público durante os shows do Kreator. É bom também dizer que as demais músicas também são de uma boa qualidade....

Conclui-se que o retorno do Kreator foi da melhor maneira possível, e agora é só torcer pela passagem da banda aqui no Brasil, para conferir de perto o resultado de "Violent Revolution". Para os interessados na compra: versão nacional pela Century Media!


Outras resenhas de Violent Revolution - Kreator

Kreator: A revolução violenta que fez a banda renascer




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Kreator"


Kreator: Frédéric Leclercq é anunciado como o novo baixista da bandaKreator
Frédéric Leclercq é anunciado como o novo baixista da banda

Metal Alemão: as 10 melhores bandas segundo o About.comMetal Alemão
As 10 melhores bandas segundo o About.com

Metal Hammer: As 22 melhores músicas old-school do Thrash MetalMetal Hammer
As 22 melhores músicas old-school do Thrash Metal

Kreator: A promessa de um futuro melhor é uma mentiraKreator
A promessa de um futuro melhor é uma mentira


Metal sueco: site elege as dez melhores bandas da SuéciaMetal sueco
Site elege as dez melhores bandas da Suécia

Rolling Stone: As 500 melhores músicas segundo a revistaRolling Stone
As 500 melhores músicas segundo a revista

Mascotes do Metal: os dez maiores segundo The GauntletMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet

História do rock: Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatosHistória do rock
Sexo bizarro, drogas, mortes e outros boatos

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

Bruce Dickinson: vocalistas que ele respeita e admiraBruce Dickinson
Vocalistas que ele respeita e admira

O Surto: Fora Queen, só nós fizemos 250 mil cantarem no Rock in RioO Surto
"Fora Queen, só nós fizemos 250 mil cantarem no Rock in Rio"


Sobre Paulo Finatto Jr

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Mais matérias de Paulo Finatto Jr no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336