Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemEvanescence anuncia a saída da guitarrista Jen Majura

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemVinte excelentes músicas do Iron Maiden escritas pelo "chefe" Steve Harris

imagemSe vira nos 30: Andre Matos tomou cano de produtor e fez milagre pra agradar fãs

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen


Resenha - And Then There Was Silence - Blind Guardian

Por Rodrigo Simas
Em 28/01/02

Nota: 9

Uma das bandas mais cultuadas dentro do heavy metal nos últimos anos está prestes a lançar seu novo CD, com o título de "A Night At The Opera". Para anteceder esse esperado lançamento e para saciar a sede dos fãs que aguardavam ansiosamente por alguma coisa nova do grupo, o Blind Guardian resolveu lançar este single, chamado "And Then There Was Silence" que traz a música de mesmo nome (a única que vai estar no CD novo), a balada "Harvest of Sorrow" (que ia ser lançada como um EP na época do disco "Nightfall in Middle Earth") e uma faixa multimídia (que é uma espécie de clipe para "Borning In A Mouring Hall", do álbum "Imaginations From The Other Side").

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para quem achava que "Nightfall..." seria a evolução máxima da banda Alemã, se "A Night At The Opera" vier tão bom quanto "And Then There Was Silence", o Blind Guardian não só vai evoluir, como também dar mais um grande passo na sua viagem musical.

A música com mais de 14 minutos é um épico de fazer inveja a 99,999999999% das bandas de heavy metal/ heavy melódico, esbanjando originalidade (uma coisa praticamente inexistente nos dias de hoje) e mostrando porque o Blind Guardian se distancia em termos de qualidade dos outros nomes dentro do estilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"And Then There Was Silence" não deixa o ouvinte quieto um só segundo, tamanha é a variação do riffs, das melodias, a complexidade dos arranjos e as mudanças de andamento. Hansi Kursh (vocal) está mais uma vez perfeito em estúdio mostrando versatilidade e feeling, sendo agressivo na medida certa e sabendo não chatear com agudos e falsetes que aparecem de 1 em 1 segundo nos clones do estilo.

Como já é de costume, o BG trabalhou intensamente cada parte da música transformando cada detalhe em uma parte importante dentro da faixa. "Harvest Of Sorrow" por sua vez é uma balada boa, mas não traz nada de muito especial, ainda mais depois de acabar de ouvir "And Then There Was Silence".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Parabéns ao Blind Guardian por se manter como uma das melhores bandas que apareceram no heavy metal nos últimos muitos anos... e que venha "A Night At The Opera" .... coitadas das outras bandas ....

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Kai Hansen: escolhendo as dez maiores bandas de metal da Alemanha



Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre

Mais matérias de Rodrigo Simas.