Matérias Mais Lidas

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemEvanescence anuncia a saída da guitarrista Jen Majura

imagemLars Ulrich diz que shows do Metallica na América do Sul foram incríveis

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemOzzy Osbourne diz que está bem aos 73 anos, mas sabe que sua hora vai chegar

imagemDo Ozzy ao Slayer: veja os momentos mais metal do desenho South Park

imagemRitchie Blackmore revela como o impactou a chegada de Jimi Hendrix na Inglaterra

imagemVinte excelentes músicas do Iron Maiden escritas pelo "chefe" Steve Harris

imagemSe vira nos 30: Andre Matos tomou cano de produtor e fez milagre pra agradar fãs

imagemOzzy Osbourne dá sua opinião sobre o streaming e dispara contra Spotify; "É uma piada"

imagemO clássico dos Rolling Stones que levou mais de 30 anos para ser tocado ao vivo

imagemA visão de Arnaldo Antunes sobre sua timidez no período da adolescência

imagemFreddie Mercury revelou em 1985 como foi conciliar carreira solo e o Queen


Resenha - Maelström - Maelström

Por André Toral
Em 30/11/01

Nota: 10

Alegrai-vos! Entre um oceano de igualdades sem fim no cenário nacional, encontramos uma das poucas bandas que tratam de fazer algo totalmente diferente das demais, com excelente resultado! Realmente não é algo que se pareça ao que assola o mundo de hoje, mas uma mescla de estilos de forma a agradar fãs diversos.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Se você for apreciador de heavy metal tradicional, climas góticos, doom e progressivo, vai realmente amar a sonoridade apresentada aqui. E exatamente por ser assim, fica difícil dizer a que bandas o Maelström se parece, embora nos momentos mais calmos e arrastados algo de Moonspell da fase Wolfhearth nos venha à cabeça, isso sem contar com o próprio timbre do vocalista, que nos lembra algo de Fábio Ribeiro (Moonspell) de forma discreta.

Antes de mais nada, a banda, que é do Rio de Janeiro, é liderada por Alexandre Cegalla (guitarrista, tecladista e vocalista), contando com Augustin de Carmo (baixista) e Setephano di Borgia (baterista e percussionista) como músicos convidados; estas pessoas se mostram altamente profissionais em seus respectivos instrumentos, principalmente Stephano, um baterista de mão cheia.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

No campo dos petardos sonoros, temos a introdução dedilhada de "Sea of Darkness" que antecede os clássicos do álbum. Em seguida, "Maelström" , no tradicional estilo heavy tradicional, recheada de riffs que nos remetem à essa época, nos apresenta mudanças de andamento para passagens mais obscuras que inclusive nos lembram doom. Os teclados e dedilhados dão um sabor especial, isso sem contar a virtuose do guitarrista. Seguindo com "Obscure", ouvimos uma introdução com melodias bem dramáticas e toques de violão semelhantes ao clima europeu; o andamento é pesado e com bateria bem destacada. O solo é realmente melodioso.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Um primor! Impossível não destacar as belas passagens progressivas, que de forma alguma soam enjoativas. Já "Lilith" possui bela abertura, com guitarra inspiradíssima, sendo que os arranjos são fantásticos e pode-se comparar com algo na linha gótica européia mesclado ao heavy metal.

Quando escutamos um clima inicial de medo e suspense, "Eternal Course" surge se mostrando verdadeiramente pesada, com riffs altamente empolgantes e andamento sempre diversificado; candidata a melhor do álbum. Já "Every" anda pela linha mais melódica do heavy metal, apresentando dedilhados propícios aos arranjos; podemos dizer que existem pitadas de Moonspell da fase Wolfhearth salpicados aqui e acolá. E o show não para, pois "The Visionary Hope" vem a ser acelerada e com ótimo bom gosto para composição de guitarras base, juntamente a uma bateria verdadeiramente versátil, pesada e técnica. Explorando o seu lado inteiramente instrumental, "Faust" é fantástica! Absolutamente rápida, mostrando excelente andamento e vibração. Em toda sua extensão, os momentos variam de ritmo, e cada qual é mais empolgante que o outro, até mesmo na parte mais lenta onde temos a sensação de estarmos em viagem pelo cosmos; efeitos e teclados nos proporcionam isso. Bem, a esta altura o leitor já sabe que tudo neste álbum mostra qualidade, mas não pára por aí., pois "Bleak" é outra excelente composição, cercada por bom gosto e demais características presentes em todo o álbum, junto a "Legions of Hades", lembrando aquela fase mais espetacular de King Diamond, não fossem os vocais com tonalidade grave.

Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva

Dá para perceber que temos em mãos um lançamento com todas as credenciais para o destaque nacional. Pessoalmente, neste ano, estou certo de que será a melhor banda da qual já fiz uma resenha. E certo de que as músicas não seriam a mesma coisa sem uma produção digna, é importante ressaltar o profissionalismo com que o álbum conta, tanto na parte gráfica, quanto em termos sonoros. De fato, algo dentro da linha internacional. E se você está a fim de ouvir uma banda diferenciada, tente e acerte ao adquirir esta obra prima que atende pelo nome de Maelström!

Para acessar o site oficial da banda: www.maelstrom.com.br
Para contactar a banda: [email protected]

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre André Toral

Formado em Administração de Empresas. Curte Hard clássico dos anos 70 e início dos 80; Heavy Metal é sua religião.

Mais matérias de André Toral.