Resenha - Into The Sunset - Erik Norlander

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Sarkis
Enviar Correções  

8


Este segundo álbum solo de Erik Norlander é no mínimo surpreendente. O tecladista passa de um trabalho totalmente instrumental e sem guitarras - o debute "Threshold", lançado em 1997 - para um hard rock / metal sinfônico, onde os vocais, divididos por Glenn Hughes, Lana Lane, Edward Reekers e Robert Soeterboek, e a presença do guitarrista Arjen Anthony Lucassen (Ayreon), são elementos essenciais, que ganham grande destaque no decorrer das faixas.

publicidade

Analisando a carreira de Norlander, poderia se esperar músicas complexas, extremamente trabalhadas e técnicas. No entanto, "Into The Sunset" vai em outra direção, e impressiona exatamente por possuir uma simplicidade encantadora.

A acessibilidade do disco contribui na produção de uma série de composições essencialmente clássicas, repletas de refrãos que não saem da mente de maneira alguma. E o melhor de tudo, nada de clichês. Apenas muito talento despejado em proezas do nível de "Into The Sunset", "Rome Is Burning", "Fly", "Lines In The Sand" e "On The Wings Of Ghosts".

publicidade

Os vocalistas têm atuações espetaculares. Todos, sem exceção. De qualquer forma, vale notar dois pontos: primeiro que o ouvinte merecia intervenções adicionais de Glenn Hughes e Robert Soeterboek, já que com mais espaço, dariam ainda mais brilhantismo a este trabalho. Segundo que só dá pra considerar a participação de Lana Lane em "Fly’, pois é um desperdício lançar uma cantora a altura dela em "Hymn", a faixa mais dispensável do CD, que consiste numa mistura de Enya e soul r&b americano.

publicidade

A inspiração que sobra nas músicas e nas guitarras de Arjen Anthony Lucassen, se escondeu na capa simplória e inexpressiva, criada por Judson Huss. O mesmo deve ter acontecido com o próprio Erik Norlander em algumas mixagens. É verdade que são poucas as falhas, mas elas existem e deixam os vocais, por vezes, abaixo do devido.

Apesar dos detalhes a serem arrumados, vale a pena conferir este álbum. As melodias marcantes com certeza irão agradar e ficar na memória de fãs dos mais diversos estilos.

publicidade

Site Oficial – http://www.thetank.com

Glenn Hughes / Lana Lane / Edward Reekers / Robert Soeterboek (Vocais)
Erik Norlander (Teclados)
Arjen Anthony Lucassen (Guitarras)
Tony Franklin (Baixo)
Cameron Stone (Violoncelos)
Greg Ellis (Bateria)

Material cedido por:
Hellion Records – http://www.hellionrecords.com
Rua Dr. João Maia, 199 – Aclimação
CEP: 04109-130 - São Paulo / SP - BRASIL
Tel: (0xx11) 5539-7415 / 5083-2727 / 5083-9797
Fax: (0xx11) 5083-3077
Email: [email protected]

publicidade




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Lista: 50 discos de rock e metal sem uma única música fracaLista
50 discos de rock e metal sem uma única música fraca

Jethro Tull: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinJethro Tull
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin


Sobre Thiago Sarkis

Thiago Sarkis: Colaborador do Whiplash!, iniciou sua trajetória no Rock ainda novo, convivendo com a explosão da cena nacional. Partiu então para Van Halen, Metallica, Dire Straits, Megadeth. Começou a redigir no próprio Whiplash! e tornou-se, posteriormente, correspondente internacional das revistas RSJ (Índia - foto ao lado), Popular 1 (Espanha), Spark (República Tcheca), PainKiller (China), Rock Hard (Grécia), Rock Express (ex-Iugoslávia), entre outras. Teve seus textos veiculados em 35 países e, no Brasil, escreveu para Comando Rock, Disconnected, [] Zero, Roadie Crew, Valhalla.

Mais matérias de Thiago Sarkis no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin