Resenha - Stiff Upper Lip - AC/DC

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Haroldo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Nota: 9
3005 acessosPhil Rudd: por que ele se recusa a fazer solos de bateria5000 acessosChris Cornell: relatório policial descreve últimas horas e morte

Precisão, coerência e amor ao rock’n’roll.
Em essência, é isso o que o AC/DC tem a ensinar a quem quiser aprender a fazer rock. Cinco anos depois de “Ballbreaker”, os australianos retornam em sua melhor forma com um punhado de canções escolhidas a dedo para agradar aos fãs.
A primeira coisa a se destacar em Stiff Upper Lip é a opção acertada da tríade Young em fazer da mixagem um festival de guitarras que, não raramente, abafa o agudo quase monocórdico de Brian Johnson. A segunda coisa é a surpresa de, ao contrário de vários álbuns anteriores, as faixas irem evoluindo progressivamente. Se a faixa-título lembra bastante “Hard As A Rock”, “Meltdown”, a segunda, evoca os tempos de Bon Scott, com espírito bem rock’n’roll. “House Of Jazz” tem marcação acentuada, bem pesada, uma das melhores do disco. “Hold Me Back” começa na linha de “Thunderstruck”, menos power e mais alegre, assim como “Can’t Stand Still”. E é na sétima faixa, “You Can’t Stop Rock’n’Roll” que o álbum atinge seu ápice, um formidável trabalho de guitarras no mais puro estilo hard rock, como não se faz mais hoje em dia. Ouça-a o mais alto que puder. “All Screwed Up” te leva a pensar que está escutando “Electric”, o cd mais rocker do The Cult, pela semelhança de timbre e pegada.
O AC/DC tem a sorte de ter em seu líder um guitarrista despreocupado com modismos e modernices, cujo maior prazer é balançar a cabeça e tocar seu instrumento esplendorosamente. Por isso mesmo, a única dúvida dos amantes da banda é quanto ao que será feito das 5 faixas que sobraram das gravações para este disco e quando Angus Young irá reaparecer com uma nova obra-prima.

Formação:
Angus Young - Guitarra (líder)
Malcolm Young - Guitarra
Brian Johnson - Vocais
Cliff Williams - Baixo
Phil Rudd - Bateria

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Phil RuddPhil Rudd
Por que ele se recusa a fazer solos de bateria

1391 acessosRock: gênero é um trintão decadente, segundo Spotify737 acessosAC/DC: a primeira vez com "Let There Be Rock"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "AC/DC"

AC/DCAC/DC
Baterista Chris Slade conta como era gravar com a banda

Metal rende?Metal rende?
Quantos do gênero estão entre as maiores vendas?

AC/DCAC/DC
Vocalista original teria voltado se pagassem bem

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "AC/DC"

Chris CornellChris Cornell
Relatório policial descreve últimas horas e morte

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Avril Lavigne muito antes da fama

MetallicaMetallica
As extravagâncias da banda para tocar no Rock in Rio

5000 acessosMais Alto!: A diferença entre headbangers e humanos comuns5000 acessosFoo Fighters: Pelo Twitter, banda responde ao vídeo viral5000 acessosCapas de álbuns: as mais obscuras e marcantes da história5000 acessosDire Straits: Sultans Of Swing, ainda irretocável décadas depois4838 acessosIron Maiden: Nicko acha que a banda deve ser "egoísta" no palco5000 acessosMarilyn Manson: produtor fala sobre como é trabalhar com ele

Sobre Paulo Haroldo

Ex-comerciante, divorciado (liberdade ainda que tardia). PreferUncias musicais: Hard Rock (principalmente anos 70), Blues, Heavy Metal sem podreira, Progressivo(nOo confundir com ProgMetal), e todo bom rock/pop feito sem samplers,computadores e outros artifYcios eletrnicos que s_ servem para mascararfalsos músicos. Exterminador de hip-hoppers...

Mais matérias de Paulo Haroldo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online