Megadeth: um resumo da obra criada pela formação clássica da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mateus Ribeiro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Existem inúmeras formações de bandas que deixaram o seu legado no mundo do rock/metal. É impossível negar o tamanho da relevância do Sabbath na fase Ozzy, ou do Maiden nos cinco primeiros discos lançados com Bruce Dickinson nos vocais, por exemplo.

Megadeth: Ellefson cantará balada estilo "Beth", do Kiss, sobre relação com MustainePunk Rock: seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabelo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Outro "time" que merece muito respeito e admiração é o que acompanhou Dave Mustaine no Megadeth entre os anos de 1990 e 1997: David Ellefson no baixo, além do guitarrista Marty Friedman e do baterista Nick Menza. Esses quatro cidadãos são responsáveis por uma das formações mais criativas e prolíficas da historia do heavy/thrash metal. Na verdade David Ellefson já estava na banda desde o início, logo, Friedman e Menza eram as "peças" que faltavam para o Megadeth se encaixar e lançar os melhores discos de sua carreira.

Logo de cara, em 1990, é lançada a maior obra do Megadeth e um dos melhores discos de thrash metal, o excelente "Rust In Peace". Um início de caminhada perfeito, repleto de virtuose, velocidade e precisão. Músicas como "Holy Wars... The Punishment Due", "Hangar 18" (e seus ONZE solos de guitarra), "Five Magics" e "Tornado Of Souls" colocaram o Megadeth em outro patamar, em meio aos gigantes do metal.

Em 1992, outro grande álbum, "Countdown To Extinction". A banda tira um pouco o pé do acelerador e investe muito mais na melodia e no feeling do que no peso. O nível das composições se manteve muito alto, e mesmo com um som mais acessível, temas como a (maravilhosa) faixa-título, "This Was My Life" e "Foreclosure Of A Dream". Porém, há espaço para temas mais pesados e rápidos, como "Skin O' My Teeth", "Psychotron", "Ashes In Your Mouth" e um dos maiores clássicos da banda, "Symphony Of Destruction".

Dois anos depois, em 1994, apesar de um clima turbulento, nasce outro disco maravilhoso, que recebeu o nome de "Youthanasia". A sonoridade mais cadenciada continua dando o tom e a melodia está presente em praticamente todas as músicas do disco, até nas mais agressivas. Além do destaque óbvio para "A Tout Le Monde", que é uma das mais belas (e tristes) baladas do metal, a faixa-título, a raivosa "Reckoning Day", a caótica "Train Of Consequences", a reflexiva "Addicted To Chaos" e "Family Tree" tornam "Youthanasia" um dos trabalhos mais emblemáticos dos anos 1990.

Após uma trinca impecável, o Megadeth deu algumas derrapadas em "Cryptic Writings", lançado em 1997. Longe de ser um trabalho ruim, mas por outro lado, não tem nem um pouco do brilho dos três anteriores. Além da falta de brilhantismo, as tendências mais comerciais deixaram o som da banda um pouco menos encorpado. De qualquer forma, músicas como "Trust", "Almost Honest", "Use The Man", "I'll Get Even" e "She-Wolf" garantem uma boa nota para o trabalho.

Infelizmente, tudo que é bom, um dia acaba. E a formação clássica do grupo se encerrou após Nick Menza ser demitido. A verdade é que os fãs sentem falta do carisma, presença de palco e do talento de Marty Friedman e Nick.

É óbvio que Dave Mustaine não colocaria nenhum zé mané para tocar no Megadeth, porém, mesmo com músicos de MUITO talento e bons discos lançados, o Megadeth nunca mais conseguiu emplacar um clássico de respeito. Longe de qualquer tipo de saudosismo, até porque "The System Has Failed" e "Endgame" são ótimos trabalhos, mas a química existente entre os membros daquela formação (que não eram os melhores amigos, mas em estúdio e no palco arrebentavam) era coisa de outro mundo.

Até hoje, os fãs relembram com muito carinho tudo que foi feito durante aqueles sete anos. Até algum tempo atrás, alguns ainda sonhavam com uma reunião, que se tornou impossível, com a trágica e precoce morte de Nick Menza.

Ídolos imortais: Nick Menza, técnico e carismáticoÍdolos imortais
Nick Menza, técnico e carismático

Para a nossa sorte, existem inúmeros registros em vídeo, que permitem reviver tudo o que esse quarteto fantástico fez em cima de um palco. Valeu, Mustaine, Ellefson, Friedman e Menza. Vocês mudaram a vida de muita gente, inclusive a minha.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Megadeth"


Megadeth: Ellefson cantará balada estilo Beth, do Kiss, sobre relação com MustaineMegadeth
Ellefson cantará balada estilo "Beth", do Kiss, sobre relação com Mustaine

Kiko Loureiro: oito mitos que te impedem de viver de música (vídeo)Kiko Loureiro
Oito mitos que te impedem de viver de música (vídeo)

Megadeth: próximo álbum terá música cantada por David EllefsonMegadeth
Próximo álbum terá música cantada por David Ellefson

Em 01/12/1957: nascia Chris Poland

Grandes covers: cinco versões para Symphony Of DestructionGrandes covers
Cinco versões para "Symphony Of Destruction"

Megadeth: Dave Mustaine pegou dicas de canto com Bruce Dickinson após câncerMegadeth
Dave Mustaine pegou dicas de canto com Bruce Dickinson após câncer

Dave Mustaine: câncer não está em remissão, mas tratamento foi concluídoDave Mustaine
Câncer não está em remissão, mas tratamento foi concluído

Judas Priest: Tim "Ripper" se junta a ex-membros do Megadeth e toca clássicos da banda

Megadeth: James me ama e se importa comigo, diz Dave MustaineMegadeth
"James me ama e se importa comigo", diz Dave Mustaine

Patinhos feios: grandes álbuns que são subestimados - Parte 1Patinhos feios
Grandes álbuns que são subestimados - Parte 1

Guitar World: 11 Álbuns Essenciais do Thrash MetalGuitar World
11 Álbuns Essenciais do Thrash Metal

Megadeth: Mustaine considera música de Risk uma das melhores que já fezMegadeth
Mustaine considera música de Risk uma das melhores que já fez


Punk Rock: seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabeloPunk Rock
Seja feio, beba muito, e nunca penteie o cabelo

Rita Lee: Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice CooperRita Lee
Ela participou de suruba com o Yes e furtou a cobra de Alice Cooper


Sobre Mateus Ribeiro

Fanático por Ramones, In Flames e Soilwork. Limeirense com muito orgulho (e sotaque).

Mais matérias de Mateus Ribeiro no Whiplash.Net.

adGoo336