Joy Division: documentário legendado no You Tube

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Roberto Rillo Bíscaro
Enviar correções  |  Ver Acessos

Manchester, nos anos 1970, era pálida lembrança dos dias de Elizabeth Gaskell. A melhor tradução urbana da Revolução Industrial cedera lugar a uma cidade arruinada e suja. A demolição de velhos prédios semi-bombardeados ensejou a construção de desumanizadores conjuntos residenciais. Desemprego, pobreza e criminalidade abundavam.

Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave MustaineDuff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixista

Em junho de 76, os SEX PISTOLS tocaram no Free Trade Hall, num show hoje mitológico. A partir dele, muitos jovens manchesterianos sacaram que criar uma banda era alternativa pra sair do marasmo. Uma delas foi a JOY DIVISION, definidora de muito do que se convencionou chamar pós-punk. Em termos de Brasil, basta escutar o álbum de estreia da LEGIAO URBANA, pra saber do que falo.

O documentário Joy Division (2007) introduz muito bem neófitos e apresenta curiosidades a velhos fãs.

Ian Curtis (vocal e letras), Bernard Summer (guitarra), Peter Hook (baixo) e Stephen Morris (bateria) fãs de IGGY POP e THE VELVET UNDERGROUND, que mal sabiam tocar seus instrumentos, mas que, com o produtor Martin Hannett, inventaram uma sonoridade. Esparsa, fantasmagórica, com o baixo lugubremente pesado, mas por vezes, dançante, sem deixar de ser lúgubre; a guitarra que às vezes parece serra (Atrocious Exhibition é modelar nesse quesito) e a bateria de outro planeta. Som solene, arrastado, mas não destituído de delicadeza (confira o teclado de Atmosphere, com seu rastro de cacos de cristal). JOY DIVISION somou boa produção à fúria punk. Sons de elevadores e até mesmo potencial dançante (Transmission pré-data em anos o estilo discoteca pra zumbis, do SISTERS OF MERCY ou FIELDS OF THE NEPHILIM).

JOY DIVISION, o documentário, traz os sobreviventes da banda e figuras como Tony Wilson, dono da influente Factory Records, falando sobre a trajetória desse grupo fundamental. Juntamente com imagens e recortes de jornal, aprendemos como Summer, Hook e Morris não souberam lidar com o torturado Ian Curtis, que se enforcou em 18 de maio, de 1980, 24 horas antes de tomar o avião que levaria a já criticamente idolatrada JOY DIVISION pra sua primeira turnê norte-americana.

O epilético Curtis, com sua espasmódica presença de palco e referências literárias que vão de Dostoievsky a William Burroughs, compôs letras expressando profunda depressão e desespero, pedidos de socorro que ninguém ouviu. O programa relata a inspiração pra alguns clássicos. She's Lost Control nasceu depois que o cantor viu uma moça ter um surto de epilepsia e saber de sua subsequente morte. Love Will Tear Us Apart é fruto de sua dúvida angustiante entre o casamento falido e a namorada francesa.

JOY DIVISION deixou 2 álbuns - Unknown Pleasures e Closer - e um legado que somado a bandas como os SMITHS, faria de Manchester uma das cidades-referência do pop/rock oitentista. Se o neoliberalismo de Thatcher remodelou sua infraestrutura, em parte foram suas bandas que a tornaram centro de excelência cultural.

Depois do suicídio de Ian Curtis, a JOY DIVISION metamorfoseou-se em NEW ORDER, pérola synth-dance-pop, um dos produtos de exportação cultural mais valiosos da Grã-Bretanha 80's. O documentário e atitudes recentes de Summer e Hooky atestam pra obtusidade de seu caráter. Mas, como não respeitar suas contribuições pra cultura pop?

O documentário pode ser visto no You Tube, com legendas em português.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Joy Division"


A Teia: trilha sonora repleta de clássicosA Teia
Trilha sonora repleta de clássicos

Góticas: 10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 80Góticas
10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 80


Electra Mustaine: a linda filha do Sr. Dave MustaineElectra Mustaine
A linda filha do Sr. Dave Mustaine

Duff McKagan: Anestesias não funcionam mais no baixistaDuff McKagan
Anestesias não funcionam mais no baixista


Sobre Roberto Rillo Bíscaro

Roberto Rillo Bíscaro é professor universitário e edita o Blog do Albino Incoerente desde 2009.

Mais matérias de Roberto Rillo Bíscaro no Whiplash.Net.

adGooILQ