Sammy Hagar

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Renato de Moraes
Enviar correções  |  Comentários  | 

Intransigente e determinado, o cantor Sammy Hagar tem seguido seus próprios impulsos criativos em todos os seu mais de 34 anos de carreira, apesar das críticas a seu respeito. Ele começou como o frontman de uma banda chamada Montrose, que curiosamente ganhou reconhecimento somente após o seu desaparecimento, se tornando uma banda “cult”. Depois de ser despedido da banda, Sammy Hagar após anos de carreira solo ficou conhecido como o "Red Rocker". Em 1985, ele aderiu à já bem sucedida banda de rock Van Halen. Depois, em 1996, quando foi mais uma vez “tirado” da banda, Sammy Hagar rapidamente ressuscitou o sucesso de sua carreira solo.

1241 acessosVan Halen: Simplesmente "FUCK"5000 acessosSteven Tyler: vocalista admite que já queimou a rosca

Sammy Hagar nasceu em 13 de outubro de 1947, em Monterey, Califórnia, o caçula de quatro filhos. Seu pai era um pugilista, campeão de boxe do ano em que ele nasceu. HAGAR passou a maior parte de sua infância em Fontana, Califórnia, a leste de Los Angeles. Seu pai lhe inspirou a prosseguir a sua própria carreira de boxe quando era um adolescente, e ele continuou a manter grande parte de seu treinamento físico durante muitos anos depois. Com 18 anos, ele aprendeu a tocar guitarra, e começou sua longa carreira na música.

HAGAR realizava shows em boates, em San Bernardino, na Califórnia, antes de ir para São Francisco, no início dos anos 70. Ele descobriu que um guitarrista, Ronnie Montrose, queria formar sua própria banda, e se ofereceu no Verão de 1973. Antes do final do ano, Montrose, HAGAR, baixista e baterista lançavam o disco auto-intitulado de estréia pela Warner Bros Records. O LP incluía excelentes faixas como "Rock Candy" e "Bad Motor Scooter", e foi executado em estações de rádio décadas mais tarde.

No ano seguinte, a banda Montrose lança “Paper Money”, e começam a ganhar notoriedade. "Como um quarteto de alta energia, Montrose acertou naquilo onde outros falharam, devido à acessibilidade dos seus materiais", escreveu Barry Taylor na Billboard.

Mais tarde naquele ano, o guitarrista, e dono da banda dispensa HAGAR do grupo [havia uma enorme disputa na banda entre Hagar e Ronnie], pois a direção musical e os seus egos colidiram. "Eu estava criativamente limitado nessa banda", disse Hagar, para Evan Hosie da revista Rolling Stone, "mas o Montrose me influenciou muito."

Depois, tanto Church quanto Carmassi (baixista e baterista respectivamente) saíram do Montrose para se juntar a Sammy em sua carreira solo. Em 1976, lança seu primeiro álbum solo chamado “Nine on the Ten Scale” pela Capitol Records, no qual ganhou notoriedade pelas Faixa “Keepin’ on a Rock”, e os covers de Van Morrison e Donovan, respectivamente “Flamingos Fly” e “Young Girl Blues”. Logo em seguida lançou outro álbum, “Sammy Hagar” - também conhecido como "The Red Album" - em janeiro do ano seguinte, que incluiu as canções "Red", "Crusin '& Boozin'," e "Rock N 'Roll Weekend ". Depois, em outubro de 1977, seu próximo lançamento, “Musical Chairs”, chega nas lojas.

Desde o início de sua carreira, HAGAR sacudiu o interesse de uma ampla variedade de audiências. Ele recebeu algumas críticas por sua acessibilidade, enquanto outros o condenaram por ser demasiadamente pesado e barulhento. Evan Hosie escreveu na Rolling Stone, "É difícil conciliar tal encantamento, articular com cidadãos, que casualmente falam de vida após a morte e de seu amor por ficção científica, com o cara gritando para dementes na multidão." Sua música muitas vezes refletia a sua crença na vida em outros planetas, assim como o seu interesse em outros assuntos místicos.

No início de sua carreira, HAGAR fazia turnês com populares bandas de rock como Kiss e Boston. Em 1978, ele ganhou o Prêmio de "Músico do Ano" em San Francisco, Califórnia, acrescentando à sua popularidade. Nessa Altura, a sua banda tinha Bill Church, o guitarrista Gary Pihl, o tecladista Alan Fitzgerald, e o baterista Chuck Ruff. "Pode-se realmente sentir o calor e o relacionamento que teve com a platéia, especialmente quando ele pulou fora do estádio para a torcida", escreveu John Deegan sobre HAGAR na Billboard.

"Eu sou o tipo de músico que toca tudo ao vivo," disse HAGAR a Jack McDonough na Billboard. Quando ele voltou ao estúdio para gravar “Street Machine”, ele decidiu produzir o álbum que incluía as faixas "Trans Am (Highway Wonderland)", "This Planets on fire (Burning hell)." Durante o mesmo ano, a cantora Bette Midler regravou a musica de HAGAR, "Keep On Rockin” para seu filme “A Rosa”.

Em março de 1980, Sammy Hagar lança um registro ao vivo, “Loud and Clear”, com performances da fase Montrose como "Bad Motor Scooter" bem como uma seleção das suas canções solo, tais como "I’ve done Everything for you" (que mais tarde fez um enorme sucesso com o cantor Rick Springfield). Em junho do mesmo ano, ele lançou seu próximo disco, “Danger Zone”, que incluía músicas como "Love or Money", e "20th Century Man".

Em 1981, ingressou o baterista David Lauser na banda, e começou a gravação do grupo permanente, para o lançamento de “Standing Hampton” pela nova gravadora, Geffen Records, deixando uma marca em sua antiga gravadora, a Capitol Records, pois mesmo com vendagens modestas de seus discos anteriores, Sammy Hagar foi o músico que mais vendeu discos pela gravadora. O primeiro disco pela Geffen teve um investimento muito grande por parte da produção, culminando com a explosão da popularidade de Sammy, com a faixa "I'll Fall in Love Again", "There’s only one way to rock", e "Heavy Metal". A última faixa também apareceu na trilha sonora do filme Heavy Metal. Mais tarde, HAGAR contribuiu também para outras trilhas sonoras.

No ano seguinte, começou a subir mais e mais na Billboard, com seu disco “Three Lock Box”, que incluiu hits como a faixa título e "Your Love is Driving Me Crazy". No entanto, HAGAR decidiu deixar por um tempo sua carreira solo em 1984. Ele se une ao guitarrista Neal Schon, Journey, o baixista Kenny Aaronson, e o baterista Michael Shrieve e forma o HSAS (nome derivado das primeiras letras dos últimos nomes dos membros). O grupo desempenhou uma série de concertos em West Coast Através do álbum gravado “Throught in the fire”.

HAGAR retornou ao seu projeto solo em 1985 com o seu registro "VOA" com sucesso absoluto. Sacudiu sua popularidade com o mega hit "I Can’t Drive 55," "VOA" atingiu platina no decurso do ano. Após mais de dez anos Sammy Hagar tinha escrito verdadeiramente sua marca no rock n 'roll.

Então, um dia, em 1985, HAGAR a convite de Eddie Van Halen, decide abandonar a sua carreira solo. A decisão foi cumprida com a polêmica de críticos e fãs do Van Halen. Ele tinha um estilo diferente de David Lee Roth, e alguns pensavam que ele poderia manter sucesso do grupo. Em 1986, Van Halen lança “5150”. O álbum se tornou número 1 em todas as paradas, esgotando totalmente todos os ingressos dos concertos da Tour.

A camaradagem entre HAGAR e Van Halen foi muito noticiada, "É uma coisa engraçada. Eu me sinto como se conhecesse Edward, Michael, Alex há muito tempo" comentou HAGAR para Guitar Player.

HAGAR é o entusiasmo e atitude positiva em pessoa, revitalizou os membros do Van Halen. "Ele é extremamente positivo, e tira todo mundo do marasmo" disse o produtor Mick Jones à Rolling Stone. Eddie Van Halen mais tarde disse a David Wild, para a Rolling Stone, "A partir do primeiro segundo percebi que musicalmente com Sammy tudo era possível. Coisas que eu tinha em mim que eu queria expressar, ele é capaz de cantar qualquer coisa".

Após o lançamento de 5150, HAGAR teve de lançar outro álbum solo para cumprir suas obrigações contratuais com a Geffen Records. Eddie Van Halen tocou baixo no álbum e co-produziu com HAGAR. Originalmente lançado como “Sammy Hagar”, o nome foi alterado mais tarde para “I never say Goodbye” como resultado de um concurso promovido pela MTV americana. Van Halen liberara seu próximo disco "OU812" em 1988, apenas reafirmando o sucesso anterior.

Dois anos mais tarde, HAGAR e Van Halen abriram um empreendimento empresarial internacional. A banda abriu sua própria boate em Cabo San Lucas, na ponta da Baja Califórnia, no México. O clube foi chamado "Cabo WABO" depois da canção de mesmo nome em "OU812".

HAGAR mais tarde começou a tradição de comemorar o seu aniversário em Cabo WABO a cada outubro. Comprou a parte dos outros membros do Van Halen e tomou conta do clube sozinho. Cabo WABO mais tarde tornou-se sua própria marca de tequila, que foi lançada nos Estados Unidos em 1997.

Em 1991, Van Halen voltou com “For Unlawful Carnal Knoledge”, do monstruoso hit "Right Now”. Após a tour, HAGAR e Betsy entram em processo de divórcio.

Oficialmente a banda nunca tinha lançado um registro ao vivo, e o fizeram em 1993, chamado "Live: Right Here, Right Now”. No ano seguinte, a Geffen Records lança uma coletânea, chamado "Unboxed", que também incluiu duas novas canções, "High Hopes" e "Buying My Way Into Heaven". Ele retornou com o Van Halen em 1995 para lançar o disco “Balance".

No Ano de 96, a banda passa por um momento turbulento. Lançam duas canções para o filme “Twister”. Sammy estava esperando sua nova esposa, Kari, dar à luz, e não queria gravar um novo disco. Após várias disputas comerciais e pessoais, HAGAR sai do Van Halen. Segundo a banda, HAGAR queria ser um artista solo. No entanto, HAGAR insistiu em que ele foi despedido. Van Halen regressava com o cantor David Lee Roth para gravar algumas músicas para uma coletânea. Gary Cherone entra em seu lugar e depois sai em 98.

Pouco tempo após sair do Van Halen, HAGAR reuniu vários músicos, incluindo Mickey Hart, o cantor Huey Lewis, o baterista Matt Sorum, Slash e Bootsy Collins e lança o disco “Marching to Mars” pela MCA Records.

Ele também registrou a canção "Leaving the Warmth of the Womb" com os membros originais da banda Montrose - Ronnie Montrose, Bill church, e Denny Carmassi. O primeiro Single "Little White Lie" (Pequenas mentiras inocentes, em português), com base nos acontecimentos no Van Halen, e estreou no número 18 da Billboard. Foi acompanhado do outro single "Both Sides Now".

"Eu senti que eu tinha algo a provar. Em 1975, quando sai do Montrose, eu sentia o mesmo e depois em 86 no Van Halen, me sinto exatamente assim" disse HAGAR a Melinda Newman na Billboard após o lançamento de "Marching to Mars".

Com o apoio da banda chamada Waboritas (composta pelo guitarrista Vic Johnson, tecladista Jesse Harms, pelo baixista Mona, e pelo baterista David Lauser), Hagar lança um novo disco. De volta a sua carreira solo, lançou em 1999 “Red Voodoo” com o sucesso “Mas Tequila”. Mais tarde Sammy começou a mudar muito a sua direção musical, passando forte pelo country music, música pop e até batidas de jazz. Talvez por isso não voltou a fazer grande sucesso. “Se eu lançar um disco e ele virar um grande sucesso, acredite, isso seria um total erro de percurso” disse Hagar à revista brasileira Roadie Crew. Continuou em 2000 com o disco “Ten 13” (alusão a sua data de aniversário). Depois o disco “quase” caseiro “Not 4 Sale” e em 2003 seu primeiro álbum ao vivo em 20 anos, “Live: Hallelujah”. Em 2006 teve o lançamento de seu disco mais “diferente”, “Livin’ it Up!”, mostrando forte a tendência a country music, tanto que em 2008 fez uma tour intitulado “Pirates and Poets” junto com o cantor country americano Kenny Chesney. Ainda nesse ano lançou os singles “Open”, “Im a roll” e “Cosmic Universal Fashion”, músicas do anunciado disco de 2009, “Cosmic Universal Fashion”.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Van HalenVan Halen
Em "5150", uma banda mais compacta e divertida

1241 acessosVan Halen: Simplesmente "FUCK"474 acessosLoudwire: em vídeo, 10 maiores riffs de metal dos anos setenta0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Van Halen"

Van HalenVan Halen
Sammy Hagar comenta vinte anos de bizarrices

Michael JacksonMichael Jackson
O Rei do Pop também tinha um pé no Rock!

NovelasNovelas
10 clássicos do Rock que a Globo ajudou a popularizar

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Sammy Hagar"0 acessosTodas as matérias sobre "Van Halen"

Steven TylerSteven Tyler
Vocalista admite em livro que já queimou a rosca

Dimmu BorgirDimmu Borgir
Silenoz: "Não sei se me classificaria como satanista!"

Corey TalorCorey Talor
"Axl é um pau no cu e quem espera por ele é otário"

5000 acessosRafael Serrante: Ele invadiu o palco do Maiden no Rock In Rio5000 acessosThrash Metal: 20 bandas brasileiras de qualidade inquestionável5000 acessosVocalistas: belíssimos timbres de alguns cantores de rock5000 acessosEm 19/03/1982: Randy Rhoads morre em um acidente de avião5000 acessosGhost: bem confortável com a ideia de não ser mais anônimos5000 acessosSlayer: maluco encara furacão na Flórida ao som da banda

Sobre Renato de Moraes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online