Winger

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Allan Jones
Enviar correções  |  Comentários  | 

Kip Winger é americano, de Denver. Estudou música clássica na sua adolescência. Começou estudando em Nova York e depois voltou para Denver, com o propósito de estudar na universidade de lá. Ao mesmo tempo que estudava ballet clássico, Kip compunha suas canções voltadas para o Rock. Suas maiores influências eram Yes, Jethro Tull e Alice Cooper.

5000 acessosMegadeth: as 10 maiores tretas de Dave Mustaine5000 acessosMetal Rules: Os 100 melhores discos da História do Metal

Em 1982 Kip retornou a Nova York e procurou seu velho conhecido que havia se tornado um conceituado produtor: Beau Hill.

Kip começou a fazer trabalhos de freelancer; compunha e fazia arranjos de estúdio juntamente de Beau. A idéia de Kip era formar uma banda, mas estava difícil achar os componentes ideais. Suas contribuições mais relevantes estão no álbum de Fiona “Beyond the pale” e do Kix, onde ele co-escreveu a canção “Bang Bang”.

Em 1986, surge a grande oportunidade de Kip. Alice Cooper procurava por um baixista para gravar o álbum “Constrictor”, e ele conseguiu a vaga. Durante a turnê do álbum, ele aproveitava os momentos vagos para preparar o material para o álbum de sua banda que já tinha mais dois integrantes: Paul Taylor e Reb Beach. O Tecladista e o guitarrista da banda de Alice se mostraram interessados no projeto de Kip. Para fechar o time, ele contactou o renomado baterista de estúdio Rod Morgenstein, que aceitou o convite.

Após gravar mais um álbum com Alice Cooper, a banda entrou em estúdio para a gravação de estréia. Inicialmente a banda se chamaria Sahara, mas por sugestão de Alice, eles usariam o sobrenome de Kip. Como o Van Halen, a banda se chamaria apenas Winger.

O disco foi elogiado pela crítica. O single “Seventeen” empolgou os produtores que queriam mais. Assim sendo sai em 90 “In the heart of The Young”. O disco consegue destaque no cenário devido ao hit “Miles Away”. O Winger parte para a estrada junto de bandas como Kiss e Slaughter.

Com a mudança da tendência musical, o Winger assume uma nova postura. O Hard estava caindo e o alternativo subindo, e a banda tentou pegar uma carona no trem que subia.

Em 1993, eles editam “Pull”. A banda se mostra como um trio, já que Paul Taylor preferiu dedicar-se a outros projetos. O disco não convence os fãs, nem a mídia, apesar de Kip dizer até hoje que é o melhor disco que ele já fez em sua carreira.

O Winger resolver se separar, e Kip começa a pensar em um álbum solo, quando uma tragédia acontece, sua esposa Beatrice morre em um acidente de carro. O disco é lançado com o nome de “This conversation seems like a dream”. Kip parte para uma turnê acústica, e logo em seguida grava “Down Incognito”.

Mergulhado em melancolia, Kip solta mais um álbum solo em 1999, batizado de “Songs from the Ocean Floor”, um álbum dedicado a sua esposa falecida.

Com a entrada do ano 2000, Kip resolve começar uma nova era. Procurando esquecer a melancolia dos álbuns solos, ele coloca o Winger novamente na ativa e desta vez a banda volta como um quinteto. Além dos quatro integrantes originais, soma-se mais um guitarrista chamado John Roth.

A banda faz apresentações ao vivo e recebe muitos elogios. Um novo álbum de estúdio está caminho.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Winger"

Guitar WorldGuitar World
Os 20 melhores álbuns de Hair Metal dos anos 80

AORAOR
Dez álbuns essenciais dos anos noventa

WingerWinger
Banda finalmente faz as pazes com Beavis & Butthead

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Winger"

MegadethMegadeth
As 10 maiores tretas da história de Dave Mustaine

Metal RulesMetal Rules
Os 100 melhores discos da História do Metal

Classic RockClassic Rock
As 10 melhores baladas dos anos 80

5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa5000 acessosMalmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista5000 acessosGóticas: 10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 802736 acessosBeatles: Capivaras catarinenses recriam foto histórica de Abbey Road5000 acessosEm 28/12/2009: Morre Jimmy "The Rev" Sullivan, do Avenged Sevenfold5000 acessosTrouble: cena americana, religião, e Candlemass

Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online